quinta-feira, 21 de abril de 2016

Guiné 63/74 - P15999: In Memoriam (254): Nina Amado (1932-2016), Mãe do nosso camarada e amigo Juvenal Amado, falecida no passado dia 13 de Abril

1. Mensagem do nosso camarada Juvenal Amado (ex-1.º Cabo Condutor Auto Rodas da CCS/BCAÇ 3872, Galomaro, 1971/74), com data de 15 de Abril de 2016, com um poema homenageando a memória de sua Mãe, falecida no passado dia 13, dias antes do nosso Encontro Nacional:

Carlos e Luís e restantes camaradas 
Ao longo dos anos em que participo neste nesta, tertúlia aprendi a sentir os camaradas como família. 
Assim dando resposta a muitos, que me foram perguntando pela saúde da minha mãe, venho cumprir a dolorosa obrigação de informar do seu falecimento no dia 13 de Abril. 
A foto é a minha mãe o meu pai jovens, que é assim que os quero recordar para sempre. 

Obrigado
Juvenal Amado

IN MEMORIAM

NITA AMADO - 1932-2016

Os Pais do Juvenal - Nátio e Nita Amado


O TEU PERFUME PARA NÓS SERÁ ETERNO

Os anos passaram sobre o teu olhar
Viste-nos crescer
Foste a nossa sombra protectora.
Cavaram-se no teu rosto as rugas
Olhavas para nós expectante
Os teus olhos falavam suplicantes

Não sei te lembravas
Nós saltávamos para tua cama,
regressávamos ao ninho do teu colo,
repartíamos alegria com beijos e risos.
O nossos risos de crianças ainda ecoam
Como fomos felizes sobe o teu olhar!

Foram dolosos os últimos anos
Definhaste
Como uma flor com o caule cortado,
foste-te despedindo de nós
suavemente .

Os cravos floriram e tu não viste,
não fomos capazes de parar o tempo
Ontem num gesto derradeiro
Acompanhámos-te,
depositámos-te na terra,
Para trás ficou um rasto de luz,
só habitas no nosso coração
Mas o teu perfume,
para nós será eterno.

Nita Sacadura Amado.
3 de Dezembro de 1932 - 13 de Abril de 2016

************

Comentário do editor

Para o camarada Juvenal Amado, e demais familiares, vão as nossas mais sentidas condolências pelo falecimento da senhora Dona Nina Amado. 
Ele não quis que se publicasse a notícia da morte da senhora sua mãe antes do nosso Encontro. Aqueles que souberam da notícia antes, tiveram a oportunidade de lhe dar um abraço solidário em Monte Real.
____________

Nota do editor

Último poste da série de 21 de abril de 2016 Guiné 63/74 - P15998: In Memoriam (253): António dos Santos Mano (Larinho, Torre de Moncorvo, 1943 - Estrada Missirá-Enxalé, 1966), fur mil op esp, CCAÇ 1439 (Enxalé, Missirá e Porto Gole, 1965/67) (Armando Gonçalves / Júlio Martins Pereira / Henrique Matos / João Crisóstomo)

9 comentários:

Anónimo disse...

Caro camarada Juvenal Amado

Ao tomar conhecimento deste funesto acontecimento, envio-te as minhas sinceras condolências e um apertado abraço.
JPicado

Manuel Carvalho disse...

Meu caro Juvenal

Os meus sentidos pêsames e um abraço solidário.

Manuel Carvalho

Tabanca Grande disse...

Fazer o luto através da poesia a quem alguém chamou "a arte da liberdade livre" (António Ramos Rosa)... A poesia liberta a palavra e as nossas emoções... A mim também me ajudou a fazer o luto pela perda dos meus pais,primeiro ele, depois ela... (Elas duram mais do que eles...).

Meu caro Juvenal, somos nós que agora estamos na linha da frente... Saibamos continuar a ser dignos dos nossos progenitores e, mais do que isso, dos nossos verdadeiros formadores e educadores... O essencial que aprendemos na vida foram eles que nos ensinaram. E foram eles que nos deram a vida. A vida é uma dádiva, a mais preciosa das dádivas... Que grande estupidez, sadomasoquista, quando a gente na crise da puberdade / adolescência tem o estranho desejo de ficar órfão, de pai e mãe!...

Um abraço solidário, Luis

António Murta disse...

Meu camarada e amigo Juvenal.

Sensibilizou-me a fotografia, o poema e a tua dor. Nestas horas difíceis aceita a solidariedade de quem já amargou o mesmo transe. Um abraço fraterno e as minhas condolências.

A. Murta.

Anónimo disse...

Amigo Juvenal

Bem percebo a tua dor. Que te posso dizer '

Acompanho o teu sofrimento

Um abraço

carvalho de Mampatá

José Marcelino Martins disse...

Condolências.

Cesar Dias disse...

Juvenal Amado
Deixo-te aqui os meus sentimentos pela tua perda, a ti e a toda a tua familia.

Um abraço solidário companheiro.

César Dias

Anónimo disse...

Gosto deste teu poema.
O resto já foi dito.
Um abraço,
BS

Mário Vasconcelos disse...

Apenas nesta tarde de hoje tomei conhecimento dessa amarga e dolorosa notícia. Pela amizade que nos une, vinda do tempo em que estivemos por Galomaro-Guiné, não ficaria sossegado interiormente, se passasse em claro,por isso te envio a minha solidariedade. Por certo nunca a esquecerás,prova disso é o teu poema muito sentido. O meu abraço fraterno.