terça-feira, 27 de outubro de 2015

Guiné 63/74 - P15295: Agenda cultural (432): Integrada no 14.º Ciclo das Tertúlias Fim do Império, dia 28 de Outubro, pelas 15 horas, apresentação dos livros "A Guerra", de Fernando Reis Lima e "Não Sabes Como Vais Morrer", de Jaime Froufe Andrade, no Palácio da Independência, em Lisboa

1. Em mensagem do dia 22 de Outubro de 2015, o nosso camarada Manuel Barão da Cunha, Coronel de Cav Ref, que foi CMDT da CCAV 704/BCAV 705, Guiné, 1964/66, dá-nos conta da próxima tertúlia do Fim do Império, a levar a efeito no próximo dia 28 no Palácio da Independência, em Lisboa:


14.º CICLO DAS TERTÚLIAS FIM DO IMPÉRIO 

LISBOA/SHIP/Palácio da Independência (em princípio, 4.ª feira, 15h00; 20% das vendas revertem para a SHIP): 

28 de Outubro de 2015 - 122.ª Tertúlia: 

Apresentação de livros já apresentados na tertúlia do Porto, nomeadamente:

"A Guerra", de dr. Reis de Lima (Alferes Miliciano Médico em Angola, BCaç 114, 1961/63, Presidente da Assembleia Geral do Núcleo do Porto da Liga dos Combatentes); e 

"Não sabes como vais morrer", 7 mais 1 histórias de guerra, do jornalista Jaime Froufe Andrade (1945; Alferes Miliciano Ranger, Moçambique 1968/70). 
____________

Nota do editor

Último poste da série de 26 de outubro de 2015 > Guiné 63/74 - P15294: Agenda cultural (431): Lançamento do livro "Modelo Político Unificador - Novo Paradigma de Governação na Guiné-Bissau", da autoria do Dr. Livonildo Francisco Mendes, Licenciado e Mestre em Sociologia e Doutor em Ciência Política, Cidadania e Relações Internacionais, levado a efeito no passado dia 19 de Outubro de 2015, nas instalações da UNICEPE, no Porto

1 comentário:

Manuel Bernardo disse...

Lamento que no livro "A Guerra; Angola 1961-1963", se venha elogiar o comportamento do então TCor. Lemos Pires (já falecido), como governador de Timor em 1974-75, quando levou na sua equipa oficiais como os majores Fernandes Mota e Costa Jónatas, elementos que provocaram a desestabilização de Timor e dando apoio descarado à FRETILIN. Veja-se a opinião do então General Morais da Silva (já falecido) meu co-autor no livro "Timor Abandono e Tragédia"2000: "(...) Vejamos alguns factos constantes da participação feita por mim contra o Governador (Lemos Pires), quando regressei de Timor (1976) após negociar a libertação dos 23 prisioneiros (incluía o Major "Cmd" António Viçoso): o Gabinete da Comunicação Social era chefiado pelo Major Jónatas, era o responsável pela propaganda da FRETILIN, e que ordenava a publicação de textos de Marx e Lenine (...). O Major Mota (Chefe do Gabinete de Assuntos políticos então criado) proclamava a FRETILIN como o único movimento de acordo com o programa do MFA (...)". Assim não é verdade que "Lemos Pires tenha pugnado pela harmonia entre os três partidos", como afirma Fernando Reis Lima.