sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Guiné 63/74 - P15740: Agenda cultural (464): Lançamento, em Paris, no Museu de Arte e História do Judaísmo (MAHJ), dia 18, 5ª feira, da edição francesa do livro de Samuel Schwarz (1880-1963), "Os cristãos-novos em Portugal no séc. XX" (1ª ed, 1925) (João Schwarz)



Cartaz de promoção do encontro Os Marranos [os descendentes dos judeus, sefarditas, que viviam na Penínsual Ibérica e que,  tendo sido obrigados a  converter-se ao cristianism - daí o nome cristãos-novos- ,  não abandonaram a sua fé judaica]. 5ª feira, dia 18 do corrente, às 19h30, em Paris, no Museu de Arte e História do Judaísmo (MAHJ). nº 71, da Rua do Templo [Rue du Temple], 750'03 Paris.


Os cristãos-novos em Portugal
no século XX

Autor: Samuel Schwarz
Editora: Cotovia, Lisboa
Colecção: Judaica
Ano de Edição: 2010
N.º de Páginas: 200
ISBN: 978-972-795-309-7
O pretexto é o lançamento do livro de Samuel Schwarz, "La Découverte des Marranes, les crypto-juifs du Portugal" [A descoberta dos marranos, os cripto-judeus de Portugal"], publicado em 2015 sob a chancela da editora Chandeigne.

O encontro terá a participação de: (i) Nathan Wachtel,, professor do Colégio de França; (ii) João Shcwarz, neto do autor;  (iii) Livia Parnes, historiadora; (iv) Anne Limma, editora; e (v) Anny Dayan Rosenman, Universidade de Paris-Diderot, moderadora.

Nota sobre o autor: Samuel Schwarz (1880-1953), judeu polaco, chega a Portugal em finais de 1914; engenheiro de minas no nordeste do país, fez a descoberta, em 1917, de comunidades marranas. Ao fim de oito anos de observação, publica em 1925 um livro, que fez história, e onde se traça o retrato destas comunidades marranas. Ao descrever os seus ritos e os seus hábitos culinários, e ao transcrever as suas orações,  Samuel Schwarz estabelece as bases em que assenta hoje a investigação e o estudo dos marranos. Este livro é publicado pela primeira vez em francês. [Tradução e adptação livre de LG]




1. Mensagem que nos acaba de enviar o doutor João Schwarz,  engenheiro, investigador, a viver em França, neto de Samuel Schwarz, filho da nossa decana Clara Schwarz (n. 1015), e irmão do nosso sempre lembrado e chorado Pepito (1949-2014): 

Caro Luís

Obrigado a si e ao Mário Beja Santos pelos postes sobre Tomar e a Sinagoga (*). Junto envio um anuncio de uma palestra que terá lugar em Paris na semana que vem e que celebra a publicação do livro do meu avô em Francês. Se estiver em Paris é bem-vindo.

Abraços, João


2. Comentário do editor LG:

Samuel Schwarz, aos 20 anos.  Foto do neto,
João Schwarz (com a devida vénia...) 
João, filho de Artur Augusto Silva e de Clara Schwarz, irmão de Henrique e de Carlos (Pepito), neto de Samuel, bisneto de Isuchaar... É um prazer receber notícias do meu amigo. Obrigado pelo convite, mas estou longe em Paris, por esta Lisboa que o viu nascer... Vou, com todo o gosto, dar a notícia no nosso blogue, na nossa agenda cultural.(**)

Sobre o seu avõ, recordo ainda, para os nossos leitores, que ele se instalou em Lisboa com a I Guerra Mundial, já então casado com uma jovem russa, de Odessa (hoje, na Ucrânia). 

Samuel Schwarz, em 1952, em Lisbia,
um ano antes de morrer, com o neto João, Cortesia de
João Schwarz




Samuel Schwarz (1880-1953) será, em Portugal.  um engenheiro de minas e um homem de negócios de sucesso. Mas ficará sobretudo conhecido pela sua erudição, e pelo seu interesse pela história e cultura dos judeus sefarditas (que viviam na Península Ibérica), e em particular pelos marranos, Foi ele que identificou (e salvou do abandono, do esquecimento, da discriminação) a comunidade cripto-judaica de Belmonte.

Foi também ele quem comprou, salvou da ruina  e doou ao Estado Português a antiga sinagoga de Tomar...

A filha (única) de Samuel, Clara Schwarz, foi casada com o advogado e escritor, de origem caboverdiana, Artur Augusto Silva. O casal viveu em Bissau duas décadas, de  1948 a 1966. Formada em letras pela Universidade de Lisboa, Clara Schwarz pertenceu ao núcleo dos fundadores e dos primeiros professores do Liceu Honório Barreto, ao tempo do Governador-Geral da Guiné, Sarmento Rodrigues (1946/49). Vai fazer 101 anos, no domingo, dia 14, dia dos namorados. 

Leituras suplementares:  

(i) Página de João Schwarz (em francês) > Des Gents Intéressants > Samuel Schwarz

(ii) Wkipédia > Samuel Schwarz

_____________________

Notas do editor:

(*) Vd. postes de:

10 de fevereiro de 2016 > Guiné 63/74 - P15732: Os nossos seres, saberes e lazeres (140): O ventre de Tomar (4) (Mário Beja Santos)


14 de fevereiro de  2015 > Guiné 63/74 - P14249: Homenagem da Tabanca Grande à nossa decana: a "mindjer grande" faz hoje 100 anos... Clara Schwarz da Silva, mãe do Pepito (1): 100 anos não é apenas uma vida, são muitas vidas, que atravessam dois séculos e muitos lugares do mundo (Luís Graça)

23 de outubro de  2014 > Guiné 63/74 - P13788: Da Suécia com saudade (39): A estrela de David, os Torquemada de Burgos, os marranos de Belmonte... Olhares desde a Lapónia...(Joseph Belo)
19 de fevereiro de 2010 > Guiné 63/74 - P5841: Controvérsias (67): Como diria o meu avô Samuel, há orações que os lábios murmuram, mas o coração não sente (Carlos Schwarz)

1 de dezembro de  2009 > Guiné 63/74 - P5386: Parabéns a você (46): Carlos Schwarz Silva, simplesmente Pepito, para os felupes, os nalus, os fulas, os companheiros da AD e os tugas... do nosso blogue (Luís Graça)


(**) Último poste da série >  5 de fevereiro de  2016 > Guiné 63/74 - P15709: Agenda cultural (463): Apresentação dos livros "Por Chanas do Leste de Angola", da autoria de Ernesto Fonseca e "Desbravando as Silenciosas Picadas dos Dembos, MX-11-26", da autoria de Aniceto Pires, dia 11 de Fevereiro de 2016, pelas 15 horas, na Messe do Militar do Porto, Praça da Batalha (Manuel Barão da Cunha)

Sem comentários: