segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Guiné 63/74 - P10726: A minha CCAÇ 12 (27): Novembro de 1970: a 22, a Op Mar Verde (Conacri), a 26, a Op Abencerragem Cadente (Xime)...(Luís Graça)









Guiné > Zona leste > Setor L1 (Bambadinca) > Subsetor do Xime > 1970 > CCAÇ 12 > A sequência dramática de uma helievacuação, no decurso da Op Boga Destemida (8 de fevereiro de 1970). Pelos vestígios de queimadas, nota-se que estávamos na época seca, logo a foto será dos primeiros meses de 1970... O riquíssimo Álbum Fotográfico do meu querido amigo e camarada Arlindo Teixeira Roda (natural de Pousos, Leiria, a viver em Setúbal há décadas) não tem  legendas... Da trágica Op Abencerragem Candente (25-26 de novembro de 1970, já no final da época das chuvas), não tenho infelizmente qualquer imagem.

Fotos: © Arlindo Teixeira (2010) / Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné. Todos os direitos reservados.

A. Continuação da séria A Minha CCAÇ 12, por Luís Graça (*)... Estávamos com 18 meses de Guiné, e de intensa atividade operacional, desde que na segunda metade do mês de julho de 1969 fomos colocados em Bambadinca, como subunidade de intervenção ao serviço do comando do BCAÇ 2852 (até maio de 1970) e depois do BART 2917 (a partir de junho de 1970)...

Sobre a Op Abencerragem Candente já se escreveu muito e ainda não se contou aqui toda a verdade (nem se contará tão cedo...) . Traz-nos, a todos aqueles que participaram nesta tragédia, terríveis recordações... Há gente viva, que ainda sofre sempre que se fala aqui da Op Abencerragem Candente...

Hoje optarei pelo laconismo. Limito-me a reproduzir a o que vem escrito na história da CCAÇ 12. Um dia, não sei quando, hei-de escrever um poema em memória de todos aqueles que morreram no dia 26 de novembro de 1970, na antiga estrada do Xime-Ponta do Inglês, um dos sítios mais sangrentos da guerra no TO da Guiné... Paz às suas almas. Evoquei-os, discretamente, em poste recente, num texto poético sobre a antiga estrada Xime-Ponta do Inglês, de má memória.  Fiz questão que este poste saísse hoje, 42 anos depois da Op Abencerragem Candente.










Excertos de: História da CCAÇ 12: Guiné 69/71. Bambadinca: Companhia de Caçadores nº 12. 1969/71.
Cap. II. pp-41-43.





Guiné > Mapa geral da província (1961) > Escala 1 /500 mil > Pormenor de parte do Setor L1 (Bambadinca), compreendido grosso modo pelo triângulo Bambadinca- margem direita do Rio Corubal - Xitole. com a posição relativa da sede de batalhão, Bambadinca (BART 2917, 1970/72) e das respetivas subunidades de quadrícula, localizadas em Xime (CART 2715), Mansambo (CART 2714) e Xitole (CART 2716).

 A vermelho as duas estradas que existiam em 1961: Bambadinca-Xime-Ponta do Inglês (interdita desde finais de 1968); e Bambadinca-Mansambo (aquartelameento construído de raíz em 1968, pela CART 2339)-Xitole (, estrada que seguia  depois para o Saltinho, e a partir aí estava interdita). 

Para se ter uma noção da distância, os obuses 10.5 do Xime não conseguiam bater a zona da Ponta do Inglês/Foz do Corubal [mapa de Fulacunda), que tinha a norte a rica bolanha do Poindom e um núcleo populacional (balanta e beafada) controlado pelo PAIGC,desde a destruição, pelas NT, de Samba Silate e de Poindom, em 1963. A guerrilha mostrava-se sempre muito aguerrida na defesa da sua população, face a ações de contrapenetração das NT (com exceção da grande Op Lança Afiada, 8-19 de março de 1969, que mobilizou cerca de 1300 efetivos, entre militares e carregadores civis).______________

Nota do editor:

10 comentários:

Luís Graça disse...

... Vocês imaginam (ou lembram-se...) o que é recolher seis corpos (todos eles, à exceção do Cunha, horrivelmente mutilados pelos roquetes...), mais 9 feridos graves, 15 corpos ao todo transportados às costas ou em macas improvisadas, até à clareira de Madina Colhido!...

Imaginam o movimento de helis que levaram os 9 feridos para o HM 241, enquanto que os mortos continuaram a ser transportados manualmente para o Xime... Valeu-nos a proteção do helicanhão...

Esse resto de dia e essa noite foram de pesadelo!

Torcat Mendonca disse...

Imagino, Luís Graça. Eu e muitos dos que a este Blogue pertencem como antigos operacionais.

Na 2715 estava um Furriel muito meu amigo, era o Xico Carvalho. Ia-me dando notícias, nem sempre agradáveis como a morte do Velho Seco Camará (tão bem conheci,fizemos n operações juntos creio que o Blogue tem uma foto dele )ou outras notícias, mais agradáveis e nostálgicas, como ele ver o meu nome gravado numa árvore da ponta Coli.

Essa Operação parece-me, se bem me lembro, ter tido erros de palmatória. Disse e nada mais acrescento, mesmo que tivesse participado era difícil dizer.
Era a guerra onde os erros custavam caros, não sei se os houve aqui.Curioso ver que muitos dos que tinham certo comportamento era olhados pelos - porreiro pá - como chatos...era a guerra pá e o cheiro, os cheiros que se entranhavam e nos perseguiam.
Enfim passou. Noticia de cá:chegou agora o frio de inverno. Ab T.

Luís Graça disse...

.. Pois é, já estavas longe, cá na santa terrinha, há coisa de um ano... A rapaziada da CART 2714 (teus netos...) também alinhou, 2 grupos de combate... Por essa altura, em Mansambo andava tudo mais calminho, até tiraram os obuses de lá, imagina a miséria!...

A coisa esteve mesmo feia, nessa manhã de 26 de novembro, tive alguns soldados africanos que se recusaram a ir comigo (e outros graduados da CCAÇ 12) à frente da emboscada resgatar os mortos e socorrer os feridos... Já contei essa história, não quero por enquanto voltar a relembrá-la... O meu grupo de combate, o 4º (onde eu estava na altura), teve dois feridos, um grave... O pobre do Seco veio embrulhado num dólmen, o que restou dele...

Infelizmente não temos aqui ninguém da CART 2715 para partilhar connosco estas dolorosas memórias... Convence o teu amigo, o Xico Carvalho, a aparecer...

Segunda-feira, Novembro 26, 2012 6:10:00 p.m.

Torcat Mendonca disse...

O Xico parece que vai lendo. O irmão dele esteve no meu tempo, creio que em Bula nas Panhard'es (escreve-se assim ?). Veio comigo no Uíge, infelizmente já faleceu.

O Xico era muito amigo do, se a memória não falha,Benjamin Durães que estava no Xitole (2714?).

Um dia, quando nos encontrarmos ainda lhe falo. Como tenho que falar,outra vez, com o Manuel- Alf. em Pirada na entrega do quartel aos IN pós "independência". Ab T.

Luís Graça disse...

Não, o Benjamim Durães, ex-fur mil op espec, pertencia ao Pel Rec Inf da CCS/BART 2917 (Bambadinca, 1970/72)... Não chegou a completar a comissão, foi ferido na estrada Bambadinca-Xime... Vive em Palmela. É o presidente do núcleo da Liga dos Combatentes... Palmela ou Sesimbra ?... Já não tenho a certeza, se queres dou-te o nº de telemóvel dele. Vem sempre aos nossos encontros, em Monte Real, com os netos. Conhece todo o mundo. É ele que organiza os encontros do BART 2917, o tal que sucedeu ao BCAÇ 2852, do teu (e do meu) tempo, 1968/70...

Luís Graça disse...

... Outra coisa: como te "ameacei", um dia destes vou republicar o relatório da Op Lança Afiada, da autoria do então cor Hélio Felgas...
Nessa altura conto contigo para esclarecimentos, comentários, sugestões, observações, notas... Pode ser ? Hoje tenho serão para fazer... Serão académico...

Torcat Mendonca disse...

Pois,pois...estás com um problema com a "Lança Afiada". Eu já escrevi sobre essa operação, Já disse que tinha sido evacuado, que tinha caído com o meu Grupo na "zona de morte" de uma emboscada. Sofremos quatro feridos e causamos baixas ao IN,poucas porque inferiores a quarenta. Eu hoje a escrever isto e parei porque os dentes começaram a m"mastigar em seco. Voltei dois dias depois e fiz o resto da operação.
Que conclusões tiro eu,hoje ou tirei no passado,sobre aquele esforço monstro de mais de mil homens? São muitas, desde o enquadramento dos aquartelamentos das NT no Leste, o abandono do Boé (Béli e Madina)e a fronteira a ser, feita pela margem esquerda do Corubal nessa zona tão vasta(ver Carta 1/500.000),ao planeamento da operação -com fugas de informação -, falta de emboscadas na margem esquerda do Corubal (Xitole até ao Geba -Fulacunda), má alimentação das NT, época do ano e tanto mais.Tenho muito escrito no bloco, tudo(quase)na cabeça e espero que a memória me não atraiçoe,seja objectivo e, não dizendo tudo, não pondo em causa quem me comandou, consiga escrever aquela "coisa". Tenho (já tive á vontade 50 folhas que se foram)cerca de uma vintena escritas agora - só o preâmbulo...
Tinha estima pelo Cor Hélio Felgas e respeito a sua memória.Logo sou suspeito na critica ou talvez não.
Farei o que me pedes e continuarei a escrever. Sabes que a minha saúde o não tem permitido.
Um abração do Torcato

Anónimo disse...

Caro camarada L.Graça

Imaginamos ?!...
Recordamos..meu caro..o cheiro a carne queimada,a pólvora.
Recordamos a impotência..a raiva..o corpo ressequido e quebrado..porquê,porquê..o cansaço..os gemidos dos feridos..o desespero de estarmos sós entregues ao nosso destino..helis ! quais helis..

Não quero continuar.

Felizes aqueles que só imaginam

Um alfa bravo

C.Martins

Luís Graça disse...

Meu caro C. Martins:

Um operacional como tu, hoje médico, não precisa de muita prosa nem de muita poesia para "relembrar" estas cenas...

Quanto aos helis, perdi a conta do corropio que foi nesse dia.

Quanto ao transporte de 6 cadáveres e 9 feridos, nas difíceis condições da mata do Xime, mobilizavam dois grupos de combate, 60 homens: 15 vezes 4...

Se bem que o gigante Abibo Jau (do 1º GR Comb / CCAÇ 12,mais tarde fuzilado, em 1975, juntamente com o tenente Jamanca, o comandante da recém criada CCAÇ 21), tenha trazido o pequeno Cunha às costas, sozinho, até Madina Colhido! 5 km de marcha forçada!...

E ninguém lhe deu uma cruz de guerra!...

É bom lembrar, camarada Martins, para que amanhã os nossos filhos, netos e bisnetos não digam:
- Guiné ?... nunca ouvi falar!

David Guimarães disse...

Essa secção comandada por Cunha - um bom operacional e que foi grande companheiro - com ele andei desde a recruta em Caldas da Rainha e fomos mobilizados no mesmo Batalhão - os soltados da sua secção formaram batalhão bem ao meu lado... Imagino isso tudo, vivi acabrunhado no Xitole po resultado dessa operação e a saber-se que foi somente algo mal comandada... enfim poder-se-ia ter evitado isso, sobre a matéria já falei em devido tempo... E soube que houve um Furriel de Armas Pesadas que furioso chamou Assassino de Guerra ao 2º Comandante, poderia ter chamado incompetente (já falamos sobre isso Luís)- Abraço David