quarta-feira, 10 de maio de 2017

Guiné 61/74 - P17340: Dossiê LAMETA - Movimento Luso-Americano para a Autodeterminação de Timor-Leste - Parte I: Um documento para a história, um livro do nosso camarada da diáspora, João Crisóstomo (Nova Iorque)... A documenrtação original vai ser entregue dentro de dias em Dili... Uma cópia é entregue hoje, pessoalmente, ao Presidente da República Portuguesa


Capa do livro de João Crisóstomo - LAMETA - Movimento Luso-Americano para a Autodeterminação de Timor-Leste, edição de autor, Nova Iorque, 2017, 162 pp.


Dedicatória autografada ao Luís Graça e à Maria Alice Carneiro. O autor, que está  no nosso país até amanhã, antes de regressar a casa, em Nova Iorque, e partir depois para Dili, andou numa roda vida, deixando mais de 7 dezenas de cópias do seu livro a amigos e personalidades portuguesas. A edição do livro foi inteiramente custeada por si.(*)


Nota biográfica do autor






[Excertos das primeira páginas do livro: pp. 7-9]


1. O nosso amigo, camarada e grã-tabanqueiro João Crisóstomo está de passagem por Portugal juntamente com a esposa e nossa querida amiga Vilma, tendo participado no encontro da sua Companhia, a CCAÇ 1439 (Enxalé, Porto Gole e Missirá, 1965/67), que se realizou nas Caldas da Rainha, em 29 de abril último (. falhando por isso , e com muita pena, o XII Encontro Nacional da Tabanca Grande). (*)

Português da diáspora, ex-combatente da guerra colonial, com nacionalidade americana, regressa amanhã a Nova Iorque, onde reside desde 1975 (vd. nota biográfica acima). Mas, entretanto, vai ter oportunidade, esta tarde, de ser recebido no Palácio de Belém, em audiência privada, cumprimentar o "presidente de todos os portugueses" e de  "todas as comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo" e de lhe mostrar o dossiê original sobre o LAMETA  que, a pedido do Primeiro Ministro de Timor Leste, vai agora deixar, dentro de dias, em Dili no 15º aniversário da independência.

Foi o primeiro ministro timorense, a par de outras pessoas amigas e personalidades da sua vasta rede de relações, quem lhe fez ver e sentir a necessidade de transformar esse dossiê num livro-álbum para que "o papel das comunidades portuguesas dos Estados Unidos no processo da independência de Timor Leste", ao longo de seis anos,  também não caísse na vala comum do esquecimento, como acontece muitas vezes, no nosso país, com as coisas em que se metem os portugueses cá dentro e lá fora.

O João vai-se agora separar  desse dossiê, e doutros artefactos entre os quais um grande painel “Timor 1975” (4,50 X 1,20 metros) , da autoria do artista luso-americano Fernando Silva, usado frequentemente em frente às Nações Unidas, em Nova Iorque e que, pelo telefone,  o dirigente do LAMETA fez questão de oferecer a Xanana quando este saiu da prisão.

Além de mostrar o dossiê original e deixar uma cópia na Presidência da República, o nosso camarada e amigo João Crisóstomo vai, por certo, também oferecer um exemplar autografado do seu livro ao Presidente da República.

Temos uma cópia em pdf desse "book" com a autorização do autor para reproduzir, no nosso blogue, os documentos ou partes do livro que acharmos de maior interesse para os nossos leitores. É o que começamos a fazer, a partir de hoje, reproduzindo alguns excertos.

Com a independência de Timor fecha-se um ciclo de 500 anos da nossa história e abre-se outro... O João Crisóstomo, o António Rodrigues e outros mordomos de elite dos mordomos portugueses de Nova Iorque, ao serviço da elite nova-iorquina, que criaram e animaram este movimento (LAMETA), também fazem parte dessa história... Tenhamos para com eles e a restante comunidade luso-americana um palavra de reconhecimento, apreço e agradecimento. Nós, aqui, também fizemos algumas ações valiosas em defesa do direito dos nossos amigos timorense à autodeterminação. Enfim, é bom não deixar apagar-se a memória, seja em Timor, ou seja noutras partes da comunidade lusófona, da Guiné-Bissau a Macau, de Cabo Verde a Angola...

Fica aqui também um desafio aos nossos investigadores: a personalidade do João Crisóstomo (um homem determinado e persistente a quem o antigo Cardeal Patriarca de Lisboa, Dom José Policarpo, chamava, quando ainda bispo, com toda a graça e propriedade, o "berbequim"!)  e a história deste processo de "lobbying" da nossa comunidade luso-americana, deviam ser objeto, na nossa academia, de um "case study" em ciência política!...

Principais capítulos do livro, de 162 pp:

1. Como tudo começou: criação da LAMETA e primeiros passos (pp. 17-29)
2. Novos aliados para Timor: D. Renato Martino, Elie  Wiesel e outros (pp. 31-43)
3. Um referendo para Timor-Leste (pp. 45-57)
4. Nações Unidas (pp. 59- 64)
5. Os meios de comunicação social (pp. 65- 70)
6. Congresso, Casa Branca, petições (pp. 71-78)
7. Portugal (pp. 79-94)
8. Jornadas de informação e outros acontecimentos públicos (pp. 95-104)
9. O filme "Death of a Nation" (pp. 105-109)
10.  Padrinhos para Timor (pp. 111-123)
11. Casos de um longo percurso e  4 contentores com ajuda (pp. 125-136)
12. Figuras inspiradoras (pp. 137- 147)
13.  E, agora, a LAMETA (pp. 149-153)
14. Alguns documentos que falam das iniciativas pró-Timor das comunidades luso-americanas ou noticiam os primeiros passos da nação por que elas lutaram (pp. 155-160)



Lourinhã > 30 de abril de 2017 > O João Crisóstomo e o Luís Graça... Infelizmente, à Vilma, por indisposição nesse dia,  não pôde vir à "capital dos dinossauros"... O João teve a gentileza de nos oferecer, a  mim e à Alice, um exemplar do seu livro, autografado.
Foto (e legenda): © Luís Graça  (2017). Todos os direitos reservados. [Edição: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné]
_____________

Notas do editor:

(*) Vd. poste de 15 de abril de 2017 > Guiné 61/74 - P17246: (De)Caras (71): João Crisóstomo acaba de publicar, em Nova Iorque, o livro "LAMETA: o desconhecido contributo das comunidades luso-americanas para a independência de Timor-Leste"...Vem a Portugal, para umas férias, no próximo dia 20, 5ª feira.

(**) Vd. poste de 3 de março de 2017 > Guiné 61/74 - P17102: Convívios (781): Encontro do 50.º aniversário do regresso da CCAÇ 1439 (Enxalé, Porto Gole e Missirá, 1965/67): Caldas da Rainha, 29 de abril de 2017. Prazo de inscrição: 13 de abril (Maria Helena Carvalho, filha do Pereira do Enxalé)

1 comentário:

Tabanca Grande disse...

Vai já a caminho de casa, em Nova Iorque, o nosso João Crisóstomo mais a sua Vilma... Falou comigo, ao telemóvel, do aeroporto de Lisbsoa. Infelizmente não consegui lá ir despedir-me dos meus amigos.

O João contou-me como foi recebido ontem pelo senhor presidente da República, o qual se mostrou sensibilizado e grato pelo seu gesto, o de mostrar o dossi~e LAMETo e dar-lhe um exemplar, autografado, do seu livro.

O João e a Vilma ficaram encantados com a personalidade do prof Marcelo Rebelo de Sousa, e preparam-se agora para viajar até Dili, para mais uma missão: levar e entregar o prometido dossiê LAMETA ao Museu e Arquivo da Resistência Timorense, bem como o grande painel “Timor 1975” (4,50 X 1,20 metros), da autoria do artista luso-americano Fernando Silva, a Xanana Gusmão, que lhe fora prometido aquando da sua saída da prisão.

Em meu nome e dos amigos e camaradas da Guiné, desejo ao João e à Vilma boa viagem, esperando poder abraçá-los de novo, dentro em breve. Luís Graça