segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Guiné 63/74 - P7477: Resenha histórica da CCAÇ 764 (Aldeia Formosa, Colibuia, Cumbijã, 1965/66): Pela garra se conhece o leão (Parte II) (António Clemente)

Continuação da publicação de uma pequena resenha histórica da CCAÇ 764, feita pelo ex-Fur Mil António Clemente, residente em Fátima [, foto à esquerda, em Tavira, Dezembro de 1963, onde esteve com o Mário Fitas], feita em homenagem a um camarada morto em Cumbijã, em 15/4/66, o Peitinhos, de seu nome completo Manuel Díquel  (ou Vítor ?) dos Reis Prazeres, natural de Mira de Aire, concelho de Porto de Mós, Sold At 1211/64 (*).  


Segundo o portal Ultramar Terraweb, do nosso camarigo Mário Pires, o segundo nome do Peitinhos era é Vitor... No texto do Clemente, aparece Díquel. (Enfim, temos aqui o pequeno diferendo a esclarecer).


CCAÇ 764 (Aldeia Formosa, Colibuía, Cumbijã, 1965/67), companhia independente > Parte II
por António Clemente


Desde finais de Maio de 1965, a CCAÇ 764 ficou adstrita ao BCAÇ 1861 (Buba,  1965/67), com os seus grupos de combate distribuídos da seguinte forma:  (i) Comando da Companhia e 3º Gr Comb em Aldeia Formosa; (ii) 2º Gr Comb, em Colibuía; (iii)  1º Gr Comb, em Cumbijã, não havendo referência ao 4º Gr Comb. A sua divisa era: Ex ungue leonem (traduzindo o latinório à letra, Pela garra se conhece o leão...).


O António Clemente enviou-nos este trabalho, através do camarigo Mário Fitas, também com a menção expressa de ser um "presente de Natal" para nós, membros da Tabanca Grande, gentileza que já agradecemos e retribuímos,  sentando-o connosco debaixo do nosso gigantesco e mágico poilão, agora ainda mais bonito com as luzinhas do nosso Natal de 2010... (LG)










(Continua)






Guiné > Região de Tombali > Cumbijã > CCAV 8351, Os Tigres de Cumbijã (1972/74) > Um aquartelamento construído de raíz, entregue ao PAIGC em 19 de Agosto de 1974. Foto do ex-Cap Mil Vasco da Gama, natural de Buarcos, e nosso grande camarigo.

Foto: © Vasco da Gama (2010). Direitos reservados

____________


Nota de L.G.:


(*) Vd. postes de:


19 de Dezembro de 2010 >Guiné 63/74 - P7474: Resenha histórica da CCAÇ 764 (Aldeia Formosa, Colibuia, Cumbijã, 1965/66): Pela garra se conhece o leão (Parte I) (António Clemente)


1 comentário:

Luís Graça disse...

Porto de Mós teve 17 mortos na guerra do ultramar, 8 em Angola (47%), 5 na Guiné (29%)e os restantes, 4, em Moçambique (24%)...

A lista de mortos por concelho, organizada pelo portal Ultramar Terraweb, é um monumento de dedicação, trabalho, carinho e camaradgem.... Bem hajas, António Pires.

http://ultramar.terraweb.biz/02autor.htm