quarta-feira, 16 de março de 2016

Guiné 63/74 - P15862: Fotos do álbum da minha mãe, "Honra e Glória" (Abílio Duarte, ex-fur mil, CART 2479 / CART 11, Nova Lamego e Paunca, 1969/70) - Parte I



Foto nº 1  > Capa do álbum da minha saudosa mãe, "Honra e Glória"



Foto nº  2  > O meu saudoso pai, militar do Regimento de Infantaria de Lisboa, 1943-45


Foto nº 3 >  A foto da ordem, com a farda emprestada... [A farda nº 1...]



Foto nº 4 > Recruta nas Caldas da Rainha [, em farda nº 3, no RI 5, que faz hoje 42 anos que se revoltou,...]



Foto nº 5 > Juramento de bandeira [, no RI 5, Caldas da Rainha]



Foto nº 6 > Em Vendas Novas, EPA [Escola Prática de Artilharia]



Foto   nº 7 >  Diploma do Curso de Minas e Armadilhas [, Escola Prática de Engenharia; nota, 79,8, "regular"]





Foto nº 8 >  Eu e o famoso e afamado Pechincha  [, do meu pelotão, fur mil op esp, desenhador na vida civil,,,]



Foto nº 9 > Eu [, à esquerda,]  com o fur mil Pais, numa jogatana, na nossa messe no Gabu [Nova Lamego], e o devido bioxene.







Foto nº 10 > Eu e o Pais, uns trinta anos depois






Foto nº 11 > Eu, o Pais e o Valdemar [Queiroz]


Fotos (e legendas): © Abílio Duarte (2016). Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem complementar. L.G.]


1. Mensagem, de 12 do corrente, do Abílio Duarte [, ex-fur mil, CART 2479 / CART 11, Nova Lamego, Paunca, 1969/1970]

Olá,  Luís,

Conforme teu pedido semanas atrás, aqui vão algumas fotos, que farás o favor de lhes dar o destino que entenderes, fui buscá-las a um Álbum, que a minha saudosa mãe criou com fotos que eu lhe enviava.

O interesse delas é relativo, tudo depende de quem as vê.

Nas mesmas vou pôr legendas, para melhor interpretação do seu significado.

Agradecendo desde já a tua paciência, daqui um grande abraço.

Abílio Duarte

2. Comentário do editor:

Obrigado, Abílio... Vamos publicar, numa série com o teu nome... Se quiseres, podes ir mandando pequenos textos, a partir das legendas (que são sucintas, mas nem sempre suficientes)... Quem disse que uma imagem vale por mil palavras, esqueceu-se dos cegos... São frases de senso comum, que vale pouco, como aquela, que costumávamos dizer e repetir em Bambadinca: Quem não sabe ler, que veja os bonecos... (Lembras-te, Tony Levezinho ?).

Todas estas fotos (mesmo as mais pessoais...) são preciosas, ajudando, em muito, a reconstrução do "puzzle" esburacado da nossa memória, da memória de toda uma geração que passou pela Guiné, entre 1961 e 1974... 

Mas é preciso "contextualizá-las"... Um ET, da geração dos nossos filhos, netos ou bisnetos, vai olhar para as tuas/nossas fotos como um boi para um palácio... Quem são esses gajos, em que época é que viveram, o que estavam para ali a fazer ?... Não havia telemóveis, ipads, tablets, PC, o Skype, nem sequer telefones!... Um homem podia estar (estava!) dois anos sem falar, "ao vivo", com a família e os amigos!... Tal como no tempo, 500 anos atrás, em que se ia à Índia e voltava (quando voltava!) dois anos depois... Havia, entretanto, uma coisa que se chamava "aerograma", inventada pelas senhoras do Movimento Nacional Feminino, e uma máquina montada pela tropa chamada "Serviço Postal Militar" (SPM)... Ajudaram a "encurtar" as distâncias, que o império, de dois mil quilómetros quadrados, era longe e largo...

Ao pores à nossa disposição algumas fotos que mandavas à tua mãezinha e que ela foi guardando e colando carinhosamente no seu álbum, prestas, a todos nós, um serviço altruista: ao vê-las, estamos a "avivar" as nossas próprias memórias individuais (e grupais): a tua história de vida é também a nossa. a de cada um de nós... Bem hajas!... Luís.

PS - Tens sabido do nosso comum amigo (, meu, de Bambadinca, teu, do BNU),  o José Carlos Lopes ? Ele tem um excelente album fotográfico... Fazia muitos "slides" e de boa qualidade... É meu vizinho (, eu moro em Alfragide). Mas não arranjo tempo para o ir visitar a Linda a Velha... Estive com ele cerca de 1 ano em Bambadinca... Ele, da CCS/BCAÇ 2852 (1968/70), eu, da CCAÇ 12 (1969/71)... Em tempos combinámos juntarmo-nos, eu, tu e ele... Vamos ver quando poderei ou quando poderemos juntarmo-nos, os três...

9 comentários:

José Diniz Carneiro de Sousa e Faro disse...

Bom dia,
Caro Abílio, vendo as fotos e lendo o o teu percurso militar chego a conclusão que é idêntico
ao meu senão vejamos:
- RI 5 Caldas 5ª Compª 11 de Abril 1967 cmdte do Pel Alf Abreu
- E.P.A 8º Pelotão (Obuses) 25 de Junho de 1967. Cmdte Compª Cap Branco
- Guiné - B.A.C. 1 de 22 de Abril a 17 de Junho 1970.
- Em Junho de 1969 passei por N. Lamego com o pelotão de Artilharia (Obuses14) com detino a
Piche.
Se não estivemos juntos, pelo menos passamos pelos mesmos sítios.
Abraço,
José Dinis S. Faro

José Diniz Carneiro de Sousa e Faro disse...

A minha chegada à Guiné foi em 22 de Abril de 1968 e não 1970 que por lapso foi mencionado.
As minhas desculpas. Obrigado. Abraço.

Abilio Duarte disse...

De certeza que nos encontramos, em PICHE. Pois a minha Compª. foi para lá, assim que eles foram atacados, meados de 1969, era uma Compª. de Africanos.C.Art. 2479/C.Art. 11, deves-te recordar. Um abraço.

Abilio Duarte disse...

Foto nº. 4 - Recordas o golpe das Caldas. Eu também, pois foi nesse dia que me casei. 42 anos.
Parece que foi ontem, e eu na igreja a aguentar a noiva, pois os convidados que vinham de fora de Lisboa, nunca mais chegavam, pois havia várias estradas fechadas. E eu dizia, o Spinola não me larga, foi na Guiné, e agora no dia do meu casamento.

Luís Graça disse...

Bioxene: mais um vocábulo que vem enriquecer o nosso Tabancário (Abreviaturas, siglas, acrónimos, gíria, calão, expressões idiomáticas, crioulo, etc.l), usadas pela malta na Guiné, e/ou agora usadas no nosso blogue, e que vêm enriquecer a língua de Camões, Pessoa, Ondjaki, Pepetela, Saramago, Jorge Amado, Mia Couto, Cabral, etc.

Lista disponível na coluna do lado esquerdo do blogue... LG

Valdemar Silva disse...

Viva Duarte.
Julgo que a foto do Pechincha é em Espinho e a que apareço eu, ainda com o
cabelinho preto, é em Nelas.
Quanto á foto da farda nº. 1 era o próprio fotógrafo, em Espinho, que tinha a parte de cima da farda (boné, camisa, gravata e dolmen), pra rapaziada tirar a foto
pró Cartão. A alguns ficava apertada e a outros, no meu caso, ficava larga e tinha de ser apertada atrás com alfinetes.
Estou à espera de mais fotos.
Abraço
Queiroz

José Diniz Carneiro de Sousa e Faro disse...

Bom dia,
Recordo perfeitamente o ataque (1º de muitos) à Piche que foi em Junho de 1969. Eu e o Furriel de Pel Nat., estávamos dentro da tabanca à frente da Porta de Armas (estrada para N.Lamego) entre os dois fogos do IN que estava nos arames da tabanca e o nosso. A tabanca ficou esburacada. Abraço. Recordo do Golpe das Caldas início de 1974 (Março).

jteix disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jteix disse...

Caro Luís
Bioxene não é como dizes, mais um vocábulo, mas sim um nome, embora alcunha, passo a explicar: O Bioxene, faz parte dos fundadores do Bando, éramos oito, tivemos agora uma baixa como sabes, o nosso malogrado Secretário General Portojo, o Bioxene, Fernando Almeida de seu nome, andou connosco nas Caldas da Rainha (faz hoje 50 anos que entramos para lá, 2ºTurno 67) e um dia protestou contra a qualidade do vinho: - "Esta merda parece mais bioxene(*)", foi o suficiente... para nós ficou Bioxene até hoje.
Um abraço e... cuidado com o bioxene vinícola.
cumprim/jteix

(*) bioxene, pó que misturado com água fica preto.