domingo, 22 de julho de 2012

Guiné 63/74 - P10182: Passatempos de verão: Hoje quem faz de editor é o nosso leitor (1): Animais do Cantanhez: nomes científicos e outras curiosidades...

















Guiné-Bissau > Região de Tombali > Parque Nacional do Cantanhez > Iemberém > 2 de março de 2008 > Animais desenhados nas paredes exteriores das instalações da AD -Acção para o Desenvolvimento. Fotografia de Luís Graça, por ocasião de visita ao sul, no ãmbito do Simpósio Internacional de Guiledje (Bissau, 1-7 de março de 2008).

Fotos: © Luís Graça (2008) / Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné. Todos os direitos reservados.


1. Todos os anos, por  esta altura, em que baixa, com as férias escolares e a canícula do verão,  a "tiragem" e a "audiência" do nosso blogue, arranjamos um passatempo para entreter os leitores e fazer descansar os editores...  Este ano não será exceção: férias são férias, e os editores bem merecem uns dias de descanso...

A série que que inventámos vai chamar-se "Passatempos de verão: Hoje quem faz de editor é o nosso leitor"... Qualquer leitor do nosso blogue, quer seja ou não camarada da Guiné, membro ou não da Tabanca Grande, pode colaborar na edição deste poste (que está incompleto)... O objetivo é encontrar, com recurso à Internet, mas também aos livros que a malta tem lá em casa (incluindo os dos filhos e netos em idade escolar...), os "nomes científicos", a classificação zoológica desta bicharada que ainda hoje, felizmente, se  pode encontrar nas matas do Cantanhez, a última floresta húmida da Guiné-Bissau... 

Os nomes que vêm nas imagens são as designações, em crioulo, por que são conhecidos estes animais entre os guineenses (a maioria dos quais, sobretudo os que nasceram e vivem em Bissau, nunca os viram)... O nosso leitor, com tempo e vagar, pode explicar-nos melhor, por exemplo, que raio de bicho é esse tal Tucurtacar Pangolim, como é que os zoólogos o classificam, quais são as suas principais caraterísticas, habitat, alimentação, distribuição geográfica, etc.Quem diz o Pangolim, diz o Nhinhte Camatchol - cobra ou ave ? nem sei.. -  que nunca encontrei, confesso, nas minhas andanças pela zona leste, só sul, no chão dos nalus... Já quanto à onça tenho dúvidas: trata-se de um felino, sem sombra de dúvida, mas será onça ou leopardo ?

As contribuições de cada leitor podem chegar-nos por duas vias: (i) por email, através do nosso endereço: luisgracaecamaradasdaguine@gmail.com
; ou  (ii) por comentário (o leitor não precisa de estar registado no Google, pode enviar-nos o comentário "como anónimo" (mas nome e apelido, no final, da mensagem são obrigatórios)... Sugerimos que cada leitor "adote um bicho" e faça uma pequena pesquisa sobre ele... 

À medida que as contribuições forem chegando, há um escravo de um editor de serviço (que só terá férias em setembro... do ano que vem) que vai atualizando o respetivo poste... O leitor, não sendo grã-tabanqueiro, pode mandar-nos uma foto tipo passe, digitalizada, para publicar ao lado  do seu nome... (mas isto é facultativo, ninguém é obrigado a mandar a "chapa")...  Podem mandar-nos "asneiras" que a gente não censura nada, mas, atenção!,  ficam sujeitos - se o TPC não for bem feito - a "levar na pinha" por parte dos outros leitores... A ideia deste passatempo é que podemos, em conjunto, aprender algo mais - neste caso, sobre a fauna da Guiné-Bissau - , e ao mesmo tempo divertir-nos... Aceitam o desafio ?!
Bom verão, boas férias, bons passatempos, bons encontros... Carpe diem... Gozem as coisas boas da vida!
Luís Graça e seus co-editores de serviço, Carlos Vinhal e Eduardo Magalhães Ribeiro.
PS - Atenção: continuem a visitar-nos. Queremos, no final de agosto, chegar aos 4 (quatro) milhões de visitas... e no final do ano aos 600 (seiscentos) grã-tabanqueiros (membros registados na Tabanca Grande).

1 comentário:

Anónimo disse...

Camaradas
O dari não é a minha praia, como agora se diz.
O pangonlim, que é uma variedade de papa-formigas, é uma animal curioso.
Parece um grande sáurio daqueles com o dorso arqueado, a cabeça e cauda compridas.
Tem boca e focinho compridos e que teria tido dentes poderosos.
A cauda é larga, junto ao corpo, e vai afiando para o fim até terminar em bico muito afiado. É rija e suporta bem o peso de um homem.
Tem o corpo coberto de escamas losangonais e castanhas, rijíssimas. São autênticas telhas losangonais.
Na foto - que enviei por e-mail - é visível a parte inferior do corpo que é mole e não está protegida. As patas são curtas e têm unhas poderosas. Eu seguro uma e o Lemos fotógrafo e bazookeiro segura a outra.
O Duarte segura a boca.
Este era um exemplar adulto e muito belo e eu nunca mais vi nenhum.
Foi caçado pelo caçador de Cacine, a Sul da estrada Cacine-Cameconde.
Um Ab.
António J. P. Costa