quarta-feira, 21 de maio de 2014

Guiné 63/74 - P13174: Tabanca Grande (435): Francisco Monteiro Galveia, a residir em Fronteira, ex-1º cabo cripto, CCAÇ 616 (Empada, 1964/66), grã-tabanqueiro nº 656

Francisco Monteiro Galveia. Foto atual

1. Resposta, de ontem,  do Francisco Monteiro Galveia, que passa a ser hoje o membro nº 656 da nossa Tabanca Grande


Aqui estou de novo, Xiko Galveia... A primeira foto foi tirada em Empada na varanda do Posto Administrativo em 1965. Vou procurar enviar novamente uma foto recente (vd. anexo).

Fiz a recruta em Quelus, especialidade em Campo de Ourique e Trafaria, mais  um mês de estágio em Estremoz e  um mês de férias, seguindo-se  a CCaç  616... Amadora, poucos dias,  e o barco Quanza a caminho da Guiné.

Os primeiros dias de viagem foram muito difíceis. O refeitório era no porão com um cheiro a tintas frescas, vómitos por tudo quanto era sítio... Valeu-me ter travado conhecimento com o chefe da cozinha do barco e, a partir daí, passei a ter rancho melhorado, fazendo parte da equipa da cozinha. Ainda levei umas sandes de bifanas para terra. 
1º cabo cripto Galveia,. na varanda do posto adminis-
trativo de Empada (c. 1964/66). 

Chegado a Bissau,  integrei o Centro Cripto local 
enquanto a CCaç  616 esteve em Bissau, onde se trabalhava até à exaustão, das 9h às 21h,  com um pequeno intervalo para refeição, das 21h às 9h sem intervalo, mais a passagem de serviços uns aos outros. Quando se  trabalhava de noite, tinha que se descansar  de dia e dormir na caserna onde estava a CCaç  616 instalada com barulhos por todo o lado. 

O centro Cripto tinha pouco pessoal para o serviço que tinha, todos os dias se acumulava mais serviço, mensagens tipo rotina muitas não chegaram a ser decifradas (como haviam de ter resposta), e mesms as de  tipo urgentes passavam de uns dias para outros seguintes. 

As comunicações via rádio eram muito ruins, pelo que as mensagens chegavam sempre adulteradas, muitas vezes, depois de decifrar não se conseguia ler nada que fizesse sentido, chegava a passar por todos os operadores para as descriptar. 

Findo este período,  segue-se Empada em que eu era um desconhecido da maioria dos componentes da CCaç 616 e eu também conhecia poucos companheiros. Posteriormente falarei alguma coisa de Empada. 

Conheço bem o Joaquim Jorge, foi Comandante interino muito tempo da 616, é um homem com um H grande é a pessoa certa para falar dos acontecimentos que nos rodearam.

Um abraço.
Xico Galveia.

2. Comentário de L.G.:

Camarada Galveia, estás apresentado à Tabanca Grande, cabendo-te o lugar nº 656 (**). Podes agora sentar-te à vontade à sombra do nosso mágico, portentoso, protetor poilão. Acreditamos que há um irã bom, acocorado no alto do poilão da Tabanca Grande, que nos protege...contra os diabos maus da vida e do mundo. Como grã-tabanqueiro, tens direitos e deveres, sendo o mais importante o direito (e o dever) de honrar a memória de todos os nossos camaradas e de partilhar as tuas memórias.

Fazemos encontros, convívios, almoços, etc., a que não és obrigado a ir. Mas, por exemplo, gostávamos de te conhecer, em carne e osso, em Monte Real, no dia 14 de junho próximo, no IX Encontro Nacional da Tabanca Grande. Desafia o Joaquim Jorge para aparecer.

Um alfabravo (AB) do Luís Graça e demais editores e colaboradores do blogue.

PS - Se quiseres ser conhecido e tratado por Francisco Galveia (como consta na tua página do Facebook) diz-nos que a gente corrige...

_____________

Notas do editor:

(*) Vd,. poste de 19 de maio de 2014 >  Guiné 63/74 - P13165: O nosso livro de visitas (177): Francisco Monteiro Galveia, que vive em Fronteira, Alto Alentejo... Foi 1º cabo cripto na CCAÇ 616 (Empada, 1964/66) e pede para integrar a Tabanca Grande


(**) Último poste da série > 14 de maio de  2014 > Guiné 63/74 - P13138: Tabanca Grande (434): Luís Cândido Tavares Paulino, ex-Fur Mil da CCAÇ 2726 (Cacine e Cameconde, 1970/72) - Grã-Tabanqueiro 655

1 comentário:

Anónimo disse...

Francisco Galveia
21 maio 2014 18:39

Luís Graça, obrigado por ser aceite na Tabanca Grande. Responsável que sou, vou cumprir e colaborar dentro do possivel.

No próximo encontro não me é possivél estar presente. Tenho um filho casado, uma neta de 5 anos que vivem em Fernão Ferro, têm as férias marcadas a partir de 10 de Junho e vamos passar conjuntamente uns dias em Cacela Algarve.
Um abraço até breve.