quinta-feira, 7 de abril de 2016

Guiné 63/74 - P15946: Fotos à procura de...uma legenda (72): "As bajudas do Senegal e os rapazes de Cuntima"... (Foto de Vitor Silva)





Guiné > Região do Oio > Setor de Farim > Cuntima > CART 3331 (1970/72) > "Todas as manhãs, bem cedo, Cuntima tinha visitantes do Senegal. Uns para fazerem comércio, outros para partir mantenhas com familiares e amigos e muitos outros para serem assistidos no Posto de Socorros pelo Médico e Enfermeiros da Companhia. Estas duas bajudas senegalesas prestaram-se para a fotografia, à distância conveniente, da máquina e dos militares". (*)

Foto (e legenda): © Vitor Silva (2008). Todos os direitos reservados.


1. Cada um de nós olha para as fotos que vamos publicando no nosso blogue (e já são mais de 50 mil!), com um certo olhar, seguramente único, já que a íris de cada de nós (pelo menos a sua forma) é única... 

Nenhum ser humano "vê" a mesma coisa da mesma maneira... Muitas das fotos que aqui publicamos retratam a mesma "realidade", quase até à exaustão: a maminha da bajuda, o pilão, o rio, o Niassa, os bu...rakos onde nos metemos, o obus 14, a G3, o Unimog 411 feito num oito... Outras chamam-nos a atenção pela sua singularidade... Esta, por exemplo, obrigou-me a usar "vários óculos" (incluindo os de ver ao perto)... E comentei:

"Vitor, a cena, com as bajudas senegalesas, que vocês estão a 'galar', é um espanto!... Merece destaque num poste à parte... Podia ser um fotograma de... um filme do faroeste, um filme de cowboys!... Eu acho é uma imagem com um grande carga erótica... Há aqui alta voltagem de erotismo!... Podíamos chamar-lhe 'As bajudas do Senegal e os rapazes de Cuntima!'... Elas, púdicas mas vaporosas, e vocês a mirá-las, a despí-las de alto a baixo... Qem terá sido o feliz fotógrafo ?"...


2. E depois é verdade: não há recanto nenhum da Guiné, do "nosso tempo", que não esteja mininamente documentado pelo nosso blogue, graças a uma rede, fantástica, de gente generosa que vai tendo a paixão, a carolice, a pachorra, a infinita paciência de ir compondo as peças de um  "puzzle" sem fim...

Por outro lado, há uma coisa que nos preocupa, amigos e camaradas da Guiné: é o destino a dar a todo este já imenso património memorialístico, reunido ao longo de doze anos... E que já não pertence apenas aos seus autores, ao Vitor, ao Humberto, ao Arlindo, ao Tony, etc., é de todos os nossos leitores, portugueses, guineenses, e por aí fora, que nos procuram e acarinham, que leem os nossos postes, veem as nossas fotos, e comentam ou não...

De qualquer modo, muitas terras da Guiné, pura e simplesmente, não existiriam "no mapa", se não fora o nosso blogue... Se calhar Cuntima é um delas!... (E façam a experiência: vão ao Google Imagens e procurem por um topónimo da Guiné: por exemplo, Bambadinca, Bafatá, Cacine, Fulacunda, Xime, Guileje... A maioria das imagens que o Google exibe são "nossas"...). Na realidade, o nosso blogue presta um serviço público de grande alcance, modéstia à parte!..

E depois vem o "nosso mais velho", o António Rosinha, ainda "armar mais confusão":

"Há quem diga que não fomos colonizadores (Sérgio Buarque da Holanda lido por Norton de Matos), fomos apenas uns aventureiros. As fotos do nosso blogue, com a Guiné em fundo, parece que pode comprovar isso mesmo a muita gente. Andámos ali 500 anos a fazer o quê?, perguntou-me um dia um engenheiro italiano em Bissalanca, na construção da Rotunda onde agora tem a estátua de Amílcar Cabral. Dizia aquele italiano que aquela terra tinha tão pouca graça... E de facto, cá para nós, aqui nesta altura do campeonato, em que até alguns estiveram nos 'Cus de Judas', outros 'além da Taprobana', é difícil explicar a estranhos o nosso 'gosto tão estranho'...

"Talvez este blogue ainda ajude a explicar a 'aventura colonial', além de explicar a nossa guerra em que contámos com Amílcar Cabral do outro lado".  (*)


... E acrescentaria eu: "e cercados por todos os lados, a norte pelo Senegal, a leste e a sul pela Guiné-Conacri, a oeste pelo Atlântico e o resto do mundo"... LG

___________

(**) Último poste da série > 30 de março de 2016 > Guiné 63/74 - P15915: Fotos à procura de...uma legenda (72): Três anos e meio separam estas duas fotos, tiradas no mesmo lugar, no destacamento da ponte do Rio Udunduma, estrada Xime-Bambadinca... Ou melhor, num sítio de nenhures... (Jorge Araújo, 1973 / Humberto Reis, 1970)

1 comentário:

Valdemar Silva disse...

Mais uma grande fotografia do nosso blogue.
Muitas fotos desta temática 'a tropa a ver as bajudas', algumas até mais ousadas,
tiradas nas mais diversas paragens existem publicadas no blogue da Tabanca Grande.
Esta é especial, por se tratar de bajudas do Senegal e se apresentarem como numa
Guiné Fashion 1972.
Os soldados, embora com ar gingão, parecem dizer (calados) 'estou sem palavras'.
Qualquer dia teremos que fazer uma grande exposição ou publicação do grande e valioso espólio fotográfica da Tabanca Grande.