terça-feira, 17 de outubro de 2017

Guiné 61//74 - P17873: Bom dia, desde Bissau (Patrício Ribeiro) (2): Os meus passeios pelos Bijagós: ilha de Caravela


Foto nº 1


Foto nº 2


Foto nº 3


Foto nº 4



Foto nº 5

Fotos (e legenda): © Patrício Ribeiro (2017) Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem complementar: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné]


1. Mensagem do nosso querido amigo e camarada Patrício Ribeiro, o "pai dos tugas" (como é conhecido na Guiné-Bissau):



Data - 14/10/2017

Assunto - Os meus passeios  - Parte

Luís:

Os meus passeios nos Bijagós… que agora estão na moda…

Como dizia no anterior post P16818 (*),  por lá ando a passar férias, para festejar os 70 anos. Sou de 1947. Grandes e bons passeios de 7h para cada lado, com muito conforto… como podem ver nas 9 fotos e no filme, tiradas no final de julho deste ano. Aqui vão as cinco primeiras fotos, as restantes seguem nputro mail.


Patrício Ribeiro, Orango, 2008
[O Patrício Ribeiro  nasceu em Águeda, em 1947; viveu desde tenra idade em Nova Lisboa / Huambo, Angola, vivido, onde casou e fez o serviço militar, como fuzileiro naval;: retornou ao "Puto" depois da descolonização, fixando-se entretanto na Guiné-Bissau, há 3 décadas, país onde fundou a empresa Impar Lda, líder na área das energias alternativas; trabalha com o filho,; passa agora mais algum tempo em Portugal, na época do verão]

Legendas (das cinco primeiras imagens):

Foto nº  1- Viagem de Bissau, para a Ilha da Caravela, na canoa de carreira semanal, 7 horas;

Foto nº 2- Nossos trabalhos; radar, rádios e energia solar, na ilha da Caravela em Betelhe, junto ao antigo aeroporto;

Foto nº 3- Porto de Betelhe, na Caravela, a preparar a saída para o Ilhéu de Caió [, a sudoeste da Ilha de Jeta, região de Cacheu];

Fotos nºs 4,5 - Viagem entre a Caravela e Ilhéu de Caió, 7 horas, muito agradável (não é só nas Caraíbas)-

[...] Para quem gosta de passar férias nos Bijagós, é ótimo em outras épocas do ano…

Aqui perto existe um pequeno hotel no ilhéu de Queré, que recomendo. É muito agradável e com muito qualidade, é gerido pela Sónia, uma Portuguesa, agora quase Bijagó. Podem ver a página na Net , Keré - 00245 966943547-  

Vd. aqui o sitío Keré, Bijagós.

Abraço
Patrício Ribeiro (**)

www.imparbissau.com
impar_bissau@hotmail.com



Mapa da região de Bolama / Bijagós. Cortesia da Wikipédia. Orango é a mais distante das ilhas, a 100 km de Bissau, 7 h de viagem.  A ilha Caravela, por sua vez, fica a 37 km da costa continental e  tem 128 km². É a a ilha mais a norte do  arquipélago: tem densas florestas, vastos mangais e praias de areia branca.
______________

Notas do editor:

(*) Vd. poste de 9 de dezembro de  2016 > Guiné 63/74 - P16818: Memória dos lugares (352): Ilhéu de Caió, a sudoeste da Ilha de Jeta, região do Cacheu: um local muito bonito onde, para o ano, quero vir passar umas férias (Patrício Ribeiro, Bissau)


3 comentários:

Tabanca Grande disse...

Patrício:

Aqui tens, a I Parte... Vai alimentando a tua nova série, "Bom dia, desde Bissau (Patrício Ribeiro)"... ´

Bem gostava, ainda um dia, de conhecer os Bijagós e de ir a Orango, mas vejo que a viagem não é pêra doce...

Bom regresso a Bissau. Ab, Luís

Tabanca Grande disse...

Patrício, obrigado pela partilha de infomação: não sabia que havia um "ilhéu privado e paradisíaco" chamado Kere, nos Bijagós...

Já agora, através do Trivago, não consigo reservar quartos até ao fim do ano...

Tabanca Grande disse...

Amigos e camaradas, antes de irmos para a "vala comum do esquecimento", façamos uma derradeira viagem, de canoa nhominca, e vamos descobrir os Bijagós!...

Não é Bolama nem Bubaque,,, É Caravela, é Orango, é o ilhéu de Qeuré (ou Keré...).

No tempo da guerra, não havia tempo para fazer turismo, muito menos ecoturismo... Há muito que o Patrício Ribeiro, o "pai dos tugas", deambula por lá, em trabalho e em lazer...

Daqui a 50 anos os Bijagós podem ter desaparecido com a subida do nível da água do mar... E com eles, o bom povo bijagó, e os seus hipopótamos de água doce e salgada...

Foi o único sítio onde não houve guerra, na Guiné, no nosso tempo!... Porque lá eram as mulheres quem mais mandavam e escolhiam os maridos... O Amílcar Cabral infelizmente casou com uma portuguesa, não com uma bijagó... (LG)