segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Guiné 61/74 - P22428: Tabanca Grande (524): Juvenal José Cordeiro Danado, ex-Fur Mil Sapador de Inf da CCS/BCAÇ 2892 (Aldeia Formosa, 1970/71), que se senta à sombra do nosso poilão no lugar 847

1. Mensagem do nosso camarada Hélder Valério de Sousa (ex-Fur Mil de TRMS TSF, Piche e Bissau, 1970/72), com data de 31 de Julho de 2021:


Caros amigos Editores,

Tenho o grato prazer de vos enviar o "pedido de adesão" ao Blogue por parte do nosso camarada da Guiné, Juvenal José Cordeiro Danado. Pediu-me para "apadrinhar" o pedido (quando chegar a Páscoa não sei se terei capacidade para fazer o que o Vinhal disse ser a minha obrigação de padrinho...) e para tal enviou-me o texto de apresentação, com as duas fotos da praxe, onde de forma breve dá conta do seu percurso militar.

Acrescenta também um texto, em jeito de "jóia", que penso que pode muito bem ser publicado, no seguimento da apresentação, ou em "post" próprio, como melhor entenderem, já que se trata de uma homenagem póstuma a um camarada falecido em consequência de ferimento em combate.

O Juvenal, para além da actividade que desenvolveu, inicialmente na indústria e posteriormente no ensino, do qual se reformou recentemente, tem desenvolvido interessante e valiosa actividade de colaboração no jornal "O Setubalense", com artigos variados, desde o recordar episódios da sua passagem pela Guiné até assuntos do quotidiano, sempre com elevado sentido humanista e de preocupação social.

Mais recentemente, porque passou a ter mais tempo, também intervém num grupo do Facebook dedicado a "Coisas de Setúbal", onde fez publicar o texto de homenagem que se anexa.

Saudações
Hélder Sousa


********************
Juvenal Danado, Fur Mil Sapador de Infantaria,
CCS/BCAÇ 2892 (Aldeia Formosa, 1970/1971)

Sou Juvenal José Cordeiro Danado, natural de Aires (uma aldeia do concelho de Palmela), onde nasci a 19 de maio de 1948, e em cuja escola fiz o ensino primário.
Frequentei depois a Escola Industrial e Comercial de Setúbal, onde tirei o curso de Formação de Serralheiro. Foi como serralheiro que trabalhei até à tropa.

Fui Furriel Miliciano Sapador de Infantaria na Guiné, de janeiro de 1970 a setembro de 1971.

Fiz a minha recruta no Destacamento da Escola Prática de Cavalaria (Santarém, 2º turno de 1969). A especialidade decorreu no CISMI de Tavira. A seguir fui colocado no RI 16 (Évora), como Cabo Miliciano, e aí fui mobilizado para a Guiné, para a CCS do BCaç 2892, sede em Aldeia Formosa - Quebo.

Juvenal José Cordeiro Danado, "hoje"

Quando regressei, vim viver para Setúbal, onde resido, no gozo (e nas mágoas) da aposentadoria, após uma carreira profissional e contributiva repartida pela indústria e pelo ensino.

Sou seguidor do blogue e decidi solicitar a adesão. Para tanto, envio uma foto dos tempos da Guiné e a mais atual que possuo.

Segue também um texto que fiz publicar recentemente no grupo «Coisas de Setúbal» (facebook), em que procuro homenagear um amigo e colega da EICSetúbal e, por seu intermédio, os restantes alunos da EICS e todos os nossos camaradas que perderam a vida na Guerra Colonial. Se lhe acharem algum interesse para publicação no blogue, façam o favor.


********************

2. Comentário do editor:

Caro Juvenal

Deixa-me dar-te os parabéns pelo padrinho que escolheste, o Hélder Valério de Sousa, é uma pessoa muito estimada entre nós, não desmerecendo os restantes camaradas que compõem a nossa tertúlia, porque é alguém que procura o equilíbrio entre posições e discussões, às vezes acaloradas, na defesa de pontos de vista nem sempre concensuais. Não é por acaso que se disponibilizou para a função de colaborador permanente, que o faz manter atento ao que por aqui se passa, principalmente aos ataques de alguns "penetras" que tentam a todo o custo deixar o seu "veneno" a coberto do anonimato mais ou menos camuflado.

Mas hoje é o teu dia. Aqui não temos praxes nem cerimónias de iniciação, só a alegria de ver juntar-se a nós mais um camarada de armas, daqueles que como os que já cá estão, palmilhou aquele pequeno território de África, tão estranho, em todos os sentidos, a quem tinha deixado a sua família, o seu emprego e os seus estudos.

É já um lugar-comum a afirmação de que fomos fazer uma guerra que não queríamos e para a qual nada tínhamos contribuído até então. Muitas vidas em vão se perderam e muitas das mazelas que trouxemos só a terra as vai curando.

Fica o convite/pedido para o teu contributo no espólio do nosso Blogue, até porque terás, agora, mais um pouco de tempo disponível. Aceitamos fotos, acompanhadas das respectivas legendas, e textos das memórias dos tempos passados na Guiné.

Amanhã sairá a tua primeira colaboração, a homenagem que fizeste ao teu (nosso) camarada Fernando Pacheco dos Santos.

Deixo-te-te um abraço de boas-vindas em nome dos editores e da tertúlia, que somos nós todos afinal. Vais sentar-te no lugar 847, como todos, à boa sombra do nosso "poilão sagrado".

Ao teu dispor, o camarada e novo amigo
Carlos Vinhal

____________

Nota do editor

Último poste da série de 2 DE AGOSTO DE 2021 > Guiné 61/74 - P22426: Tabanca Grande (523): O cap art Otelo Saraiva de Caravalho, com quem trabalhei na Rep ACAP, QG/CCFAF, em 1971, ao tempo do major inf Ramalho Eanes e do ten cor inf Mário Lemos Pires (Ernestino Caniço)... Em sua memória,.é reserado o lugar nº 846, à sombra do nosso poilão

4 comentários:

Hélder Valério disse...

Caro Juvenal, sê então bem vindo!

Reparei que estiveste em Santarém na 2ª incorporação de 1969. Eu estive na 3ª, entrei em 15 de Julho. Deves ter sido (foste com toda a certeza) de um colega de Vila Franca, o Joaquim Pedrosa, que foi jogador do Sporting e principalmente da Académica de Coimbra, e de outro colega da EICVFXira o Bento (já falecido) que depois continuaram na Cavalaria, tendo então transitado do Destacamento onde fizemos a recruta, para a Escola principal.

Abraço
Hélder Sousa

Nau disse...

Muito obrigado, Carlos Vinhal, pela gentil e calorosa receção. E o abraço devido, mais a declaração de amizade a um companheiro de armas. Muito obrigado.
Um reparo: estive na Guiné em 1970/71.
E uma constatação: o Hélder, já deu para ver, é um camaradão.


Caro Hélder:
Não me lembro dos camaradas que referes, podem não ter pertencido ao meu esquadrão (o 4º, do capitão Vouga) e ao meu pelotão. Mas vou enviar-te duas fotografias de conjunto para veres se algum dos que citaste está lá.
Quero agradecer-te mais uma vez por tudo, companheiro. Muito obrigado.

Carlos Vinhal disse...

Caro Juvenal, já emendei o espaço temporal da tua comissão de serviço.
Eu ainda passei o Natal de 71 em terras de Mansabá.
Abraço
Carlos Vinhal
Coeditor

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Meu caro Juvenal (, temos mais dois, um é Amado, outro Candeias):

Com o dia de ontem cheio de trapalhadas (incluindo um apagão matinal do blogue) não tive tempo de te saudar, como gosto de fazer aos novos membros da Tabanca Grande. Mas o nosso coeditor Carlos Vinhal já o fez por mim, e muito melhor.

Fico feliz pela tua decisão de, finalmente, integrares este espaço de partilha de memórias (e de afectos) que se chama Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné. Um espaço único nas redes sociais (e insubstituível) porque aqui cabemos todos com tudo o que os une e até com aquilo que nos pode separar (por exemplo, a política, a religiao e o futebol...).

Já pedi a nossa adesão à tua página do Facebook, "Coisas de Setúbal" e espero que te mantenhas ativo e produtivo no nosso blogue, que bem precisa de "sangue novo". Obrigado também ao teu vizinho Hélder Sousa por "apadrinhar" a tua entrada.

Um alfabravo fraterno, Luís Graça. (Vejo que és do meu tempo, eu de 1969/71, tu de 1970/71.)