terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Guiné 63/74 - P15526: Estórias cabralianas (90): A Pátria é um Natal, e o Natal é uma Pátria (Jorge Cabral)


Guiné > Zona leste > Setor L1 (Bambadinca) > Fá Mandinga > Pel Caç Nat 63 (1969/71) > "Cinco séculos de história te contemplam!", terá proclamado o alfero Cabral, perante o anónimo e estupefacto fotógrafo... A foto chegou clandestinamente à metrópole. E faz parte hoje do precioso álbum fotográfico do Jorge Cabral, advogado, criminalista, professor universitário reformado... Camaradas e amigos, esta foto vale ouro... (LG)

Foto ©: Jorge Cabral  (2013). Todos os direitos reservados. {Edição e legendagem: LG]

1. Mensagem de Jorge Cabral [ex-alf mil art, cmdt Pel Caç Nat 63, Fá Mandinga e Missirá. 1969/71]:


Data: 5 de dezembro de 2015 às 15:27

Assunto: NATAL


Luís Amigo! Vem aí o Natal. E,  como faço sempre, nesta época, envio este pequeno texto.ABRAÇO GRANDE! Jorge Cabral




2. Estórias cabrilianas (90) > NATAL


Foi no dia 25 de Dezembro de 1970.

Talvez porque o Spinola nos havia visitado há pouco,

o Sitafá, o puto que vivia connosco,  interrogou-me:

– Alfero, o que é a Pátria?


Revi o velho Cais das Colunas,

o vendedor de castanhas no Campo Pequeno

e as belas raparigas que quase levitavam no Rossio à hora do cansaço,,,

– Sabes que dia é hoje, Sitafá? É Natal!... A Pátria é um Natal! E o Natal é uma Pátria!

J. Cabral    (**)

_________________

Notas do editor;

(*) Vd. poste de  18 de dezembro de  2011 >  Guiné 63/74 - P9223: Estórias cabralianas (69): Onde mora o Natal, alfero ? (Jorge Cabral)

(...) Também houve Natal em Missirá naquele ano de 1970. Na consoada, os onze brancos e o puto Sitafá, que vivia connosco. Todos iam lembrando outros Natais.
Dizia um:
– Na minha terra…

E acrescentava outro:
– A minha Mãe fazia… (...)

(**) Último poste da série > 3 de setrembro de 2015 > Guiné 63/74 - P15070: Estórias cabralianas (89): Os filhos do sonho (Jorge Cabral)

6 comentários:

Luís Graça disse...

Alfero, não estava esquecida, estava simplesmente guardada, para melhor ocasião, esta pérola natalícia... Porra, dizes tudo sobre o Natal: o Natal é a Pátria!... Como explicar isso a um puto, nascido em África, muçulmano, que vive connosco num buraco rodeado de arame farpado, em 25 de dezembro de 1970, em Missirá ?

Há sempre um amargo de boca quando recordamos os nossos natais passados na Guiné... Tu passaste dois e eu tamb+em, dos de 1969 e 1970... Ao ler o teu apontamento (que transformei em estória cabraliana), disse logo cá para mim: "Ganhei o dia, ganhei a véspera de Natal"... Não sabes como me fez bem à alma!... Obrigado, alfero!

António José Pereira da Costa disse...

Olá Camarada
Um Feliz Natal para ti e para os que te são queridos.
Um Ano Novo cheio de saúde (a base de tudo) sorte (faz sempre falta, mesmo aos audazes) e alegria (muita e variada).
António J. P. Costa

JD disse...

Bom dia Camaradas!
É inatingível audácia literária do nosso alfero, quero aqui deixar o desejo de que possamos ser banhados pela alegria solidária, com saúde, sorte, e alegria, como refere o António José. A mesma sorte que a minha psicóloga refere como elemento muito influente nas circunstâncias da vida, de que beneficiámos em grande dose há um mês.
Desejo-vos Boas-Festas, e muita inspiração ao sempre jovem soba que veio de Missirá.
Abraços fraternos
JD

Luís Graça disse...

... A estrelinha da sorte, Zé Dinis, existe, não sei em que céu, mas existe. Ainda bem que estamos cá para contar... Um alfabravo fraterno para . Um bejinho para a tua psi. Luis

Torcato Mendonca disse...

Só tu, caro Camarada, para enviares assim as Boas Festas. Agradeço, retribuo e, se me permites, uso este espaço para enviar as Boas Festas:

A todos os meus Camaradas,desta Tertúlia, Amigos e seus Familiares Votos de FELIZ NATAL e UM BOM ANO NOVO.

SAÚDE e PAZ.

Ab, T.

Anónimo disse...

Agradeço e retribuo.
Abraço,
José Câmara