domingo, 27 de dezembro de 2015

Guiné 63/74 - P15546: Blogpoesia (428): "Era Dezembro, Mãe" (Felismina Costa)

1. Mensagem da nossa amiga tertuliana Felismina Costa, aniversariante no passado dia 23, juntamente com os camaradas Albano Costa e Carlos Pinheiro, com data de hoje 27 de Dezembro:

Boa noite amigo Carlos Vinhal 
Quebrando um longo silêncio, por aqui, decidi voltar à Tabanca, donde nunca saí! 
Obrigada por mais um ano ter editado o poste alusivo ao meu aniversário e por ter permitido os comentários dos amigos. 

Envio um poema que ofereço a todos os Tertulianos da Tabanca, muito especialmente aos aniversariantes que comigo festejaram a data. 

Grata pela vossa amizade: 
Felismina Mealha

************



"Era Dezembro mãe"

Era Dezembro mãe!
Tão Dezembro!
Tão perto do Natal…
E eu quis vir à festa,
Trazendo como prenda
o meu eu, que me ofereceste…
e que ficou tão meu, tão unicamente meu
que, sem ele… não sou eu…
Às vezes, querem que eu, não seja eu,
mas eu, não sei ser outro, senão eu!
E talvez, porque recordo os teus afagos,
os teus beijos, sublimados,
os teus braços e abraços
a tua voz cristalina,
eu… sou ainda uma menina!

Lembro Março, florindo sem cansaço
inundando o largo espaço de poesia,
enquanto no teu regaço, eu sorria e crescia.

Lembro Abril, de luz dançante
quando as nuvens com o vento se fragmentam
e desenham alegria esvoaçante.

Lembro o Maio das novas aves
dos chilreios coloridos, exultantes…

Lembro, os Agostos escaldantes e longuíssimos
que queimavam apenas os dias que passavam…
E à noite, o luar, trazia mensagens de outras galáxias,
Contava-me histórias que ouvia encantada,
ao som de orquestras, que não divisava.

Lembro os Outonos que amavas e me ensinaste a amar
nas cores dos poentes que namorávamos
em êxtase total,
absorvendo aromas que retenho ainda, como se o tempo
tivesse parado, ali à esquina…

E eis que regresso ao Dezembro de então,
Trazendo na mão o presente teu…
que era somente… a luz do que é meu.
Sorrindo me olhaste, sabendo que eu era
a pequena magia desse teu Natal,
Que juntas vivemos, e fomos cantar
A essa Belém, onde, de outra Maria,
um outro Menino…
Nascia também!

Felismina mealha
Agualva, 24 de Outubro de 2012
____________

Nota do editor

Último poste da série de 13 de dezembro de 2015 Guiné 63/74 - P15482: Blogpoesia (427): No meio da Ponte (Joaquim Luís Mendes Gomes, ex-Alf Mil da CCAÇ 728)

4 comentários:

Anónimo disse...




Não podia deixar de comentar. É um poema tão lindo que eu estou tentado a enviá-lo a todas as mulheres, e são quatro, da minha família que nasceram em Dezembro, como prenda do Natal delas. Parabéns à poetisa Felismina Costa. Se me é permitido, envio-lhe um beijo de apreço e agradecimento.
Francisco Baptista

António José Pereira da Costa disse...

Olá Vizinha

Como o outro comentário não entrou, certamente "por invejas", aqui venho, de novo, para lhe agradecer o poema e desejar que o Ano Novo seja repleto de saúde, sorte e muita alegria.
Um Abração do
António J. P. Costa

Anónimo disse...

Amigos António Baptista, muito obrigada pelas suas gentis palavras!

Desejo ao Sr. e todos os seus familiares, um Feliz 2016

Um beijo.

Felismina mealha

Anónimo disse...

Amigo e vizinho, António J. P. Costa. Muito obrigada pelas suas palavras!

Desejo ao Sr. e a todos os seus familiares, um FELIZ 2016

Abraço fraterno.

Felismina mealha