segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Guiné 63/74 - P15811: Ser solidário (195): A ONG portuguesa "Afectos com Letras" acaba de lançar o guia turístico "À descoberta da Guiné-Bissau", em português, espanhol, francês e inglês



Elementos da capa do guia turístico "À descoberta da Guiné-Bissau", em quatro línguas., Trata-se de um trabalho elaborado por Joana Benzinho e Marta Rosa em nome da ONG Afectos com Letras, financiado pela União Europeia e com o apoio do Ministério do Turismo e do Artesanato da Guiné-Bissau.



1. Mensagem da ONG Afectos com Letras

Sent: Wednesday, February 17, 2016 8:53 AM
 Subject: Lançamento do Guia Turístico "À Descoberta da Guiné-Bissau"

No passado dia 12 de Fevereiro, decorreu em Bissau o lançamento do Guia Turistico "À descoberta da Guiné-Bissau", um trabalho elaborado por Joana Benzinho e Marta Rosa em nome da ONG Afectos com Letras, financiado pela União Europeia e com o apoio do Ministério do Turismo e do Artesanato da Guiné-Bissau.

Presidiu a este evento o Primeiro Ministro da Guiné-Bissau, Engº Carlos Correia, que teve como oradores a Presidente da ONG Afectos com Letras, Joana Benzinho, o Embaixador da União Europeia na Guiné-Bissau, Victor Madeira dos Santos, o Ministro do Turismo e do Artesanato da Guiné-Bissau, Dr. Malan Djaura, e contou com a presença do Ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Engº Artur Silva, do Embaixador de Portugal, Dr António Leão Rocha, do Embaixador de Angola, Dr Daniel António Rosa e de diversos operadores turísticos e distintos convidados.



Guiné-Bissau > Bissau > 12 de fevereiro de 2016 > Sessão de lançamento do livro "À descoberta da Guiné-Bissau" > Da esquerda para a direita: (i) Artur Silva, Ministro dos Negócios Estrangeiros; (ii) Malan Djaura, Ministro do Turismo e do Artesanato; (iii)  Carlos Correia, Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau; (iv) Victor Madeira dos Santos, Embaixador da UE na Guiné-Bissau; e (v) Joana Benzinho, Presidente da ONG Afectos com Letras

Fonte: Cortesia do blogue Afectos com Letras



Na cerimónia foi assinado um memorando de entendimento entre a ONG Afectos com Letras e o Ministério do Turismo e do Artesanato da Guiné-Bissau em que ficou estabelecido que receitas da venda do livro, efetuada pelo mesmo Ministério, serão revertidas para a promoção de um turismo sustentável e solidário no país.

O Guia Turístico com um preço de capa de 6560 XOF / 10 Euros pode ser adquirido através do contacto com o Ministério do Turismo e do Artesanato da Guiné-Bissau (Aude Pereira, Directora Administrativa e Financeira, Ministério do Turismo e Artesanato, Tel: +245 95 522 26 34) e está agora disponível na versão electrónica em português, francês, inglês e espanhol na página da Delegação da União Europeia na Guiné-Bissau e, num futuro próximo, na página da ONG Afectos com Letras.

[Versão em formato digital, em pdf, em português, 17 MB, clicar aqui]

Da nossa parte ficam os votos de bons passeios!

Associação Afectos com Letras, ONGD
Rua Engº Guilherme Santos, 2
Escoural
3100-336 Pombal
NIF 509301878
tel - 91 87 86 792



"A Afectos com Letras, Associação para o Desenvolvimento pela formação, saúde e educação, é uma Instituição de Utilidade Pública, reconhecida e registada como Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros Português, que foi fundada em Setembro de 2009 e que possui uma delegação na Guiné-Bissau desde Agosto de 2012. Tem como missão e objetivos a conceção, promoção, execução e apoio a programas, projetos e ações de cariz social, cultural, ambiental, cívico, educacional e económico."

____________________


Nota do editor:

Último poste da série > 21 de fevereiro de 2016 > Guiné 63/74 - P15772: Ser solidário (194): Obrigado, Portugal, da Guiné, Cumura (João Martel e Ana Maria Gala)

4 comentários:

António José Pereira da Costa disse...

Olá Camaradas

Sugeria que fizessem uma análise detalhada ao que se diz, às fotos (algumas são fotos de ruínas) e tentem comparar com as fotos do "nosso tempo" e ler nas entrelinhas o que nos é dito especialmente sob a designação "onde ficar" e "onde comer". Claro que as paisagens continuam a ser soberbas e que o turismo é uma frente de trabalho importantíssima para o governo da Guiné.
Só posso desejar boa sorte.

Sei que fico mal visto com estas afirmações, mas recordo a todos que a Guiné é um país completamente independente e, portanto, podemos pensar e escrever o que quisermos sobre as actuações do seu governo, como as podemos fazer em relação a outro qualquer país.

Um Ab.
António J. P. Costa

Luís Graça disse...

Não ponho em causa a boa vontade das meninas dos "Afectos com Letras"... mas aquela foto do "carocha" (o Wolkswagen) do fundador da Pátria, em completa ruína, abandonado, na sua casa em Bafatá, é a imagem mais pungente da triste herança cabraliana... Foi neste carro que ele encontrou a morte, quando regressava a casa, em Conacri, com a sua companheira Ana Cabral...

Acho que elas, as autoras do guia, deviam poupar-nos a esse espectáculo indecoroso... Os símbolos de uma Nação são coisas sagradas... Estamos de acordo, Tó Zé, elas podiam ter "branqueado" o passado... Mas, se calhar, quiseram mesmo não fazer batota... porque "carocha" faz parte de um passado que tem de ser integrado no presente...

Ou então são puras e ingénuas raparigas, ou muito mais generosas e solidárias e autênticas do que todos nós juntos, metidos numa LDG, rio Geba acima, a caminho do leste...

Mas quem sou eu para assumir uma atitude que pode ser interpretada como paternalista e etnocêntrica ? O guineense de hoje passa, em Bissau, em Bafatá, em Catió, a lutar pela sobrevivência diária... Quem é, quem foi o "pai da Pátria" ? Amílcar Cabral morreu, fisicamente, uma vez, simbolicamente, já muitas vezes ... Quando se luta pela sobrevivência, na Guiné-Bissau, na Síria, no Iraque, em tantos lugares do mundo, não podemos dar-nos ao luxo de ter pensamentos nobres...

E nós, o que temos feito, nós, aos nossos símbolos nacionais ?...

Ainda não li o livro, só o folheei... Ou melhor, dei uma vista de olhos ao pdf que descarreguei... Mas tenho que felicitar as autoras pela iniciativa (solidária): afinal, por que é que a Guiné-Bissau, país maravilhoso, de gente maravilhosa, não há de ter também um guia turístico, em português,espanhol, francês, inglês ? É pena não haver em crioulo, que é a língua oficial da pátria de Cabral...

Prometo fazer uma nota de leitura, quando tiver tempo e vagar... E gostava de ir a Orango ver os hipopótamos de água salgada... Dois anos na Guiné e nunca fui aos Bijagós. Estúpido!

António José Pereira da Costa disse...

Olá Camarada
Assino em baixo sem dificuldades.
Creio que o carro do Amílcar devia estar num museu como o landeau onde morreu o D. Carlos.
Mas, como já disse muitas vezes: No tempo da guerra fui um colonialista, salazarista e lacaio do imperialismo. Hoje sou um estrangeiro que não sente ligado efectivamente à Guiné mais do que a tantos outros países.
A independência é isto mesmo: fazer o que se quer e se julga melhor.
Não vejo bem para que serviria uma edição em crioulo. Talvez para divulgar a Guiné junto dos guineenses...
Um Ab.
António J. P. Costa

Anónimo disse...

Luís

A língua oficial da Guiné-Bissau é o português, quer antes que após a independência.
O crioulo 2º a informação contida no guia apenas é falado por 60% dos guineenses e mesmo assim não sei....
Quanto ao carro de Amilcar Cabral, em minha opinião, por enquanto está no lugar próprio, Fortaleza de S José da Amura onde estão os restos mortais do Amílcar em mausoléu assim como de outros heróis combatentes da liberdade da pátria, entre os quais os do Domingos Ramos, pois na Guiné ainda não existe um museu, no entanto, podiam mantê-lo em melhores condições de preservação.
Mas enfim... falta o dinheirinho... até o guia foi financiado pela União Europeia, assim como, n projectos.
O PDF já circula há algum tempo, pois os Santos Oliveira enviou-me e eu reenviei para dezenas de camaradas incluindo para o blogue.
Um abraço
Carlos Silva