terça-feira, 10 de maio de 2016

Guiné 63/74 - P16073: Agenda cultural (480): lançado, no passado dia 23 de abril, em Aveiro, o livro do nosso camarada Francisco Gamelas, "Outro olhar - Guiné 1971-1973"... Era alf mil cav, cdmt do Pel Rec Daimler, em Canchungo (Teixeira Pinto), ao tempo do BCAÇ 3863, e do CAOP1, quando por lá passaram os nossos camaradas António Graça de Abreu e Mário Bravo





1. Mensagem do nosso leitor (e camarada) Francisco Gamelas

Data: 20 de abril de 2016 às 22:28

Assunto: lançamento do livro "Outro olhar - Guiné 1971-1973"


Boa noite companheiro e camarada Luís Graça.

Sou o "Alferes Gamelas" que aparece mencionado no livro "Diário da Guiné"[, do António Graça de Abreu,] por duas [ou três] ocasiões.

Só hoje tive conhecimento da existência do teu blogue onde concentras informação sobre o período colonial, que achei interessante. Ali encontrei o teu contacto, razão porque te estou a enviar este mail. 

Por coincidência, no próximo sábado, dia 23 [, de abril], vou lançar o livro mencionado em epígrafe, cujo convite envio em anexo, para o divulgares, se achares adequado. Trata-se de uma edição de autor, pelo que, se alguém se interessar, estará disponível através do meu e-mail.
Enviá-lo-ei pelo correio para o endereço que me indicarem.

Gostaria de ser informado de eventuais encontros que venham a organizar.

Um abraço.

Francisco Gamelas

2. Comentário do editor LG:

Meu caro Franciso, obrigado pelo teu contacto e pelo teu convite. Infelizmente, passou a data e  não tivemos  oportundidade  de anunciar, a tempo, com o destaque que tu mereces, enquanto camarada da Guiné,  a sessão do lançamento do teu livro, realizada na biblioteca municipal de Aveiro, no passado dia 23 de abril.

Mas não é tarde. Aqui fica a notícia e os teu contacto [email e página do Facebook]

Não encontrámos referências a este evento, a não ser numa página criada, para o efeito, pela Biblioteca Municipal de Aveiro, onde se diz:

(...) Este livro pretende ser um testemunho assente nas memórias do tempo da guerra colonial, revisitadas mais de quarenta anos depois de terem ocorrido os factos, episódios, emoções e sentimentos correspondentes. Aqui e acolá, algumas reflexões acompanham o seu reviver. O fio condutor da sua recuperação segue o acervo fotográfico do autor, que funciona como pretexto dominante.(...)

Quanto ao "Diário da Guiné"... tem, por subtítulo: "Lama, Sangue e Água Pura". Não é da minha autoria, mas  da autoria do António Graça de Abreu, escritor, poeta, sinólogo, professor universitário, nosso camarada, teu camarada em Canchungo (Teixeira Pinto) em 1972...



O Graça de Abreu foi alf mil, CAOP 1, tendo passado por Teixeira Pinto, Mansoa e Cufar, entre 1972 e 1974, é membro sénior da nossa Tabanca Grande, e ativo colaborador do nosso blogue com mais de 170 referências... Vou te pôr em contacto com ele.

No seu "Diário da Guiné", ele de facto tem pelo menos três referências à tua pessoa, o alferes Gamelas,  alf mil em Canchungo (Teixeira Pinto) em 1972,...  Pelo que  depreendo da leitura do diário do nosso camarda António Graça de Abreu, tu eras de cavalaria, comandante do Pel Rec Daimler, estavas adido à CCS/BCAÇ 3863 (1971/73) e tinhas lá contigo a tua esposa Helena... Verdade ?

O BCAÇ 3863 foi mobilizado pelo RI 1, partiu para o TO da Guiné em 16/9/1971 e regressou a 16/12/1973. O comando e a CCS estavam em Teixeira Pinto. Era comandado pelo pel ten cor  inf António Joaquim Correia. Companhias operacionais: CCAÇ 3459 (Bassarel); CCAÇ 3460 (Cacheu); e CCAÇ 3461 (Carenque e Teixeira Pinto). [Por lapso, no "Diário da Guiné" diz-se que tu pertencias à "companhia 3863", que não existe; o Graça de Abreu queria dizer "BCAÇ 3863"].

Desse tempo, 1972, era também o alf mil médico Mário Bravo,  que vive no Porto: é igualmente nosso grã-tabanqueiro,  [, isto é, membro da nossa Tabanca Grande, para a qual ficas de imediato convidado; só preciso que nos mandes duas fotos tuas, uma atual e outra do tempo da Guiné]. Como sabes, depois de Teixeira Pinto, onde esteve com o Bagulho, foi para o sul, Bedanda e pro fim para o Hospital Militar. Tens aqui quase meia centena de referências sobre ele, no nosso blogue.

Já agora vê aqui uma foto de grupo, tirada em Teixeira Pinto, em  setembro de 1972... e em que apareces, com o António Graça de Abreu e o Mário Bravo, entre outros oficiais que, ao que parece, estavam á espera da chegada do gen Spínola. Vais gostar...Infelizmente estás de perfil, mas o Graça de Abreu identificou-te. Um alfabravo (ABraço) do editor LG.

PS - Precismos que nos mandes também um exemplar do teu livro (que é edição de autor), para se fazer a competente nota de leitura / recensão bibliográfica.



Guiné > Região do Cacheu > CAOP 1 > Teixeira Pinto > Setembro de 1972 > O alf  mil médico Mário Bravo - o quarto a contar da esquerda, de óculos - no meio de um grupo de oficiais, ao tempo do BCAÇ 3863 [4], comandado pelo ten cor inf  António Joaquim Correia

O António Graça de Abreu - alferes miliciano (CAOP1, Teixeira Pinto, Mansoa e Cufar, 1972/74) - é o primeiro da esquerda [1]. O Abreu veio depois completar a legenda: 

"O Mário Bravo lembrou-se de mim em Teixeira Pinto e mandou essa fotografia onde apareço jovem, quase menino, na ponta esquerda da foto. Na ponta direita está, de camuflado, o meu amigo capitão miliciano António Andrade [5], comandante da 35ª Companhia de Comandos, também amplamente referido no meu livro. Entre mim [1] e o Bravo [4] estão o alferes Gamelas [2], [do BCAÇ] 3863, e o alferes Cravinho (de calções) [3], do nosso CAOP 1 e meu companheiro de quarto". 

Foto: © Mário Bravo (2007). Todos os direitos reservados

_______________

Nota do editor:

4 comentários:

antonio graça de abreu disse...

Na foto éramos os oficiais à espera de cumprimentar o Spínola, creio que no Natal de 1972.
Bem vindo meu caro Gamelas, temos muita conversa a acertar.A semana passada passada estive aí em Aveiro, na Universidade, onde dou aulas. Lecciono o semestre de Setembro a Janeiro, no Mestrado de Estudos Chineses, Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território.Temos de nos encontrar.
Abração.

António Graça de Abreu

Anónimo disse...

Lamento que só agora tenha chegado ao meu conhecimento esta ocorrência e por vários motivos.
Primeiro porque somos vizinhos. Segundo por se tratar do lançamento de mais um livro de um camarada da Guiné, que desejo adquirir. Terceiro por termos sido contemporâneos no CAOP 1, uma vez que aí "assentei praça" cerca das 13H de 04MAI71 de lá me despedindo nos princípios de Fevereiro de 1972, tendo embarcado para a Metrópole em 09FEV72 e, muito possivelmente, este nosso camarada algumas vezes me ter feito protecção nas múltiplas deslocações por aquelas terras.
Abraços do
JPicado

Tabanca Grande disse...

Só um esclarecimento em relação ao Francisco Gamelas: não vive em Esgueira, mas em Santa Joana, Aveiro. O apelido Gamelas é comum, na região. Não tem página no Facebook, não gosta de expor a sua vida privada, só usa o mail para comunicações privadas, está reformado da PT Inovação, era engenheiro técnico, dedica-se hoje à escrita, quer à sociologia histórica de Aveiro quer à poesia... Tem três livros publicados,o último é de facto, um olhar "distanciado" sobre a Guiné (e em especial Teixeira Pinto) a partir do seu álbum de fotografias... No fundo, escreveu o livro a pedido das filhas...

Lembra-se bem do Graça de Abreu (de quem tem o livro, "Diário da Guiné") e dos médicos Tierno Bagulho e Mário Bravo. Não se voltaram a ver. E o Bagulho já morreu, disse-lhe eu. Falei com ele ao telefone, e mostrou-se recetivo à ideia de integrar o blogue. Haveremos de nos encontrar em Aveiro ou, quem sabe, em Monte Real, para o ano.

Um abraço para ele e para o ilhavense Jorge Picado!... LG

Carlos Ferreira disse...

Interessado em contactar o Frencisco Gamelas para adquirir o seu livro, mas falta o email dele que não veio indicado no post. carlos Pedreño