terça-feira, 17 de maio de 2016

Guiné 63/74 - P16100: Agenda cultural (483): Apresentação do livro "O Jornalismo Português e a Guerra Colonial", organização de Sílvia Torres, dia 24 de Maio de 2016, às 18h30, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Lisboa

 C O N V I T E


2. Mensagem do nosso camarada Carlos Matos Gomes, Coronel Cavalaria Reformado (ex-2.º CMDT Batalhão de Comandos da Guiné, 1972/74), escritor e historiógrafo da guerra colonial, com data de hoje, 17 de Maio de 2016:

Junto vos envio o convite para a apresentação do livro "O Jornalismo Português e a Guerra Colonial", no dia 24, às 18 horas, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

A autora, eu e a editora teremos o maior prazer na vossa presença
Carlos Matos Gomes


____________

Nota do editor

Último poste da série de 16 de maio de 2016 Guiné 63/74 - P16095: Agenda cultural (475): A Fundação Casa de Macau e o sinólogo, nosso amigo e camarada, António Graça de Abreu convidam-nos para a tertúlia, de amanhã, dia 13, às 18h30, na Praça do Príncipe Real, 25-1º , Lisboa: "Macau visto da China"

1 comentário:

Tabanca Grande disse...

Ontem, como hoje, havia muito jornalismo "sabujo"... Ontem, havia censura (política); hoje, há o controlo acionista, o poder económico, que coarta a liberdade de pensamento e de expressão dos jornalistas... E deixou de haver o grande jornalismo de reportagem e de investigação... Não tenho ideia de ter lido, durante a chamada guerra do ultramar, um trabalho jornalístico independente, o que se publicava não passava de mera "propaganda".. Dir-me-ão que é sempre assim, que foi sempre assim, que será sempre assim, quando um país está em guerra... O que não quer dizer que não se escreveram páginas "empolgantes", "patrióticas", por gente com "talento literário"... Amândio César, por exemplo... LG