sábado, 23 de outubro de 2021

Guiné 61/74 - P22653: Bom dia, desde Bissau (Patrício Ribeiro) (19): ilha de Soga, arquipélago dos Bijagós, junho de 2021 (Parte I)


Foto nº 1 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós > Ilha de Soga, com as suas três tabancas: Eguebé, Etamburo e Ancaninho). Imagem: antiga carta militar do exe´exército português.

Infografia: Patrício Ribeiro / Bogue Luís Graça & Camaradas da Guiné (2021)



Foto nº 2 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós > Junho de 2021 > Em primeiro plano, o Patrício Ribeiro, no sue bote, a caminho da Ilha de Soga,



Foto nº 3 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós > Ilha de Soga >  Junho de 2021 > Hitel cinco estreas: tenda reforçada com oleado (em caso de chuva)



Foto nº 4 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Eguebé > Mulher



Foto nº 4.1 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Eguebé > Almoço



Foto nº 4.2 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Eguebé > Poilão


Foto nº 4.3  > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Eguebé > Homem Grande



Foto nº  5 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Etamburo > Safra do caju



Foto nº  6 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Etamburo > Fonte a céu aberto


Foto nº  6.1 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Etamburo > Painéis solares



Foto nº  6.2 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Eguebé > Bomba



Foto nº  6.3 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Etamburo > Bomba solar



Foto nº  7 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Etamburo > Abertura de poços e horta conunitária



Foto nº  8 > Guiné-Bissau > Arquipélago dos Bijagós >  Junho de 2021 > Ilha de Soga > Tabanca de Etamburo > Jardiim de infância


Fotos (e legendas): © Patrício Ribeiro (2021). Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem complementar: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné]


1. M
ensagem de Patrício Ribeiro (português, natural de Águeda, da colheita de 1947, criado e casado em Nova Lisboa, hoje Huambo, Angola, ex-fuzileiro em Angola durante a guerra colonial, a viver na Guiné-Bissau desde meados dos anos 80 do séc. XX, fundador, sócio-gerente e director técnico da firma Impar, Lda; membro da nossa Tabanca Grande, com cerca de 110 referências no blogue):



Data - 17 out 2021, 13:40

Assunto - Fosto da ilha de Soga

Junto mais umas fotos, da Ilha de Soga “quem vai, já não sai”. ( Foto nº 1, mapa de Soga, arqupélago dos Bijagós)

1ª Parte

Nos meus passeios nos finais de Junho de 2021, desta vez pelos Bijagós, resolvi ir acampar na ilha de Soga, (Foto nº 2,  bote) como a chuva andava perto reforcei o telhado com uma lona. (Foto nº 3, tenda)

Esta ilha, composta por 3 tabancas (Ancaninho, Etamburo e Eguebé, as mesmas da carta militar (ver foto) está bastante preservada culturalmente: muitas casas de palha, muitos animais domésticos a passear por toda a ilha, vacas, porcos, cabras etc. (Fotos nºs 4, 4.1, 4.2, 4.3)

Nesta época do ano o negócio, era a castanha de caju, as adegas do vinho de palma já estavam vazias tinha havido grande consumo nos meses anteriores (Foto nº 5)

Como por toda a Guiné nesta época, na ilha é muito difícil encontrar água, existem uns poços a céu aberto, sem proteções contra a caída dos animais ou pessoas, junto ao mar onde as mulheres e raparigas a vão apanhar muito longe, a 2 Km da tabanca. (oto nº 6)

Existe um projeto que a ONG AIDA Espanhola, com financiamento da União Europeia,  está a instalar água potável, com fontanários nas 3 tabancas da ilha, com furos aproximadamente a 40 mt de profundidade. Pediram-nos a nossa colaboração, para o sistema de bombagem solar. (Fotos nºs 6.1, 6.2, 6.3).

Nas mesmas tabancas, estão a ser criadas hortas comunitárias, vedadas com rede metálica, (há muitos animais soltos pelo mato), daí, uma equipa de poceiros da Tabanca de Cambaju, no  nordeste, estar a abrir em cada horta, diversos poços com mais de 20 mt de profundidade, para apanharem água manualmente e a população vai beneficiar muito de produtos cultivados na própria ilha (Foto nº 7).

Nesta ilha, como em outras ilhas, quando as crianças falam comigo, falam em português. Provavelmente é porque entre eles falam o Bijagó e não o Criolo. Depois nas escolas é-lhes ensinado o português, por professores dedicados.

Existem algumas escolas, nas diversas Tabancas. Na tabanca de Etamburo, há escolas. Com o apoio da “ONG SOGA” portuguesa, com fundos próprios de alguns amigos (Foto nº 8).

Vamos,  por estes dias, instalar iluminação solar, para aulas noturnas e projeções de conteúdos. Não há iluminação na ilha, nem para carregar o telemóvel.

Segue o restante em outro email

Abraço, 
Patricio Ribeiro

impar_bissau@hotmail.com

___________

Nota do editor:

Último poste da série > 9 de outubro de 2021 > Guiné 61/74 - P22614: Bom dia, desde Bissau (Patrício Ribeiro) (18): as meninas do rio Gambiel, no regulado do Cuor, à pesca...

6 comentários:

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Patrício, poucos militares metropolitanos terão conhecido Soga no "nosso tempo"... Mas afinal não era só em Bolama e ilha das Galinhas que havia gente... Vejo que Soga fica a norte de Bubaque, a sudoeste da ilha das Galinhas...

Quem é que lá terá estado ? Havia um quartel, dizes tu... Dão-se "alvíssaras" ao primeiro camarada que nos mandar uma foto desse tempo do "antigamente"...

Obrigado, Patrício. Há mais surpresas, nas fotos da tua segunda remessa... Mantenhas.

PS - Pode-se viver sem os "confortos da civilização", sem electricidade, sem frigorífíco, sem telemóvel, sem internet ?... Como é que viviam os nossos avós ? Tu pelo meno levaste uma bote, a máquina fotográfica, o GPS, e alguns livros...Mas diz-me o porquê da expressão, "quem vai, já não sai"...

Soga deve ter seguramente os seus encantos secretos. E ainda não foi, felizmente, descoberta pelo turistame...

Cherno Baldé disse...

Caros amigos,

De lembrar que a Ilha de Soga foi utilizada como base de concentraçao e preparaçao dos guineenses de Conacri e outros para a operaçao Mar-Verde, certamente deverao restar alguns vestigios desta presença militar dos anos 70.

Cherno Baldé

Anónimo disse...

Patricio Ribeiro
23 out 2021 12:23

Meus caros:


Tive curiosidade de ler tudo, que foi possível sobre a Operação "Mar Verde", quando praticamente no mesmo dia, eu já ouvia a Rádio Moscovo e a rádio Brazzaville do MPLA , a falar no ataque.

E depois de um camarada, da Escola de Fuzileiros de Vale do Zebro, me aparecer em Luanda (, uns dias depois da operação), a contar que tinha saído de Bissau para Luanda, pois o Spínola mandara sair de Bissau todos os que tinham estado em Conacri. E que ele lá não morreu, porque a bala entrou no carregador!!!!

Mais tarde, tive a possibilidade de ler o que o Comandante Alpoim escreveu sobre a operação, depois a 1ª edição da Operação Mar Verde, assim como a 2ª edição do livro do António Luís Marinho.

Não li tanto como o historiador José Matos, que há 2 dias me assinou o livro "Ataque a Conacri", na sessão de lançamento do livro.

Tive oportunidade de assistir ao debate do lançamento do livro, em que a plateia estava dividida ...

Conforme se pode ler nos diversos livros, "quem entrava na Ilha de Soga, já não saía", para manter a operação secreta.

Convivi e conversei muito, com o Comandante Alpoim em Lisboa, Bissau e em Bolama, nos últimos anos da vida dele. Ele era o comandante da Escola de Fuzileiros em 1968, quando eu para lá fui aprender a caminhar no lodo diariamente, atividade que ainda hoje pratico profissionalmente. Vi muitos colegas meus a fazer pistas de lodo de madrugada à chuva, de "castigos que ele atribuía" e de combates de boxe, no gabinete dele, em que a outra parte tinha direito a defender-se, quando o assunto era mais grave.

Abraço

Patricio Ribeiro


IMPAR Lda
Av. Domingos Ramos 43D - C.P. 489 - Bissau , Guiné-Bissau
Tel,00245 966623168 / 955290250
www.imparbissau.com
impar_bissau@hotmail.com

Eduardo Estrela disse...

Boa tarde camaradas!
Acabei de falar com um companheiro do meu grupo de combate da CCaç 14 que foi submetido a cirurgia da próstata. Correu tudo bem felizmente.
Foi á Guiné há cerca de 4 meses, visitar a família e tentar dar-lhes uma melhor forma de vida.
A seguir vou ao blogue e sou presenteado com as fotografias do Patrício Ribeiro.
É uma alegria muito grande verificar o esforço do que é feito para dar aos nossos irmãos da Guiné aquilo que eles merecem.
Abraço fraterno
Eduardo Estrela

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Sim, Eduardo, os painéis solares ajudarão a fazer milagres... Os miúdos da escola não serão mais os mesmos.

Diz-me se o António Carvalho,da tua CCÇ 14, é do teu tempo. Quer integrar a Tabanca Grande, ou pelo menos partilhar alguns fotos da Guiné. Vê o mail que mandei, a ele, com conhecimento a ti. Um alfabravo, Luis

Antº Rosinha disse...

Bem tentaram substituir os portugueses na Guiné, desde os Suecos aos Italianos e até os espanhóis, para ajudar este povo, "coitado".

Agora já deve haver menos gente a fazer safari fotográfico para a national geografic.

Perguntavam os italianos: vero, portuguesi 500 ani qui?

Agora se perguntarem ao Patricio ele terá que fazer as contas e terá que dizer, já vai em 547 ani.

Mas claro que o Patrício não deixará muita "pegada" a acampar desta maneira provisória, se fossem suecos primeiro construíam uma sua residência em condições e depois começavam a trabalhar, e se fossem italianos aquela ilha já tinha bungalows para turistas italianos ou outros.

Só falo do que já vi...na Guiné.