terça-feira, 2 de junho de 2015

Guiné 63/74 - P14690: Cartas de amor e guerra (Renato Monteiro, ex-fur mil, CART 2479 / CART 11, Contuboel, Nova Lamego e Piche, 1969/70; e CART 2520, Xime, 1970) (Parte II): anti-herói





Guiné, 28 de agosto de 1970, teu [Re]Nato... [Nesta altura, já em Quinhamel, na CART 220, ou no Hospital Muiluitar, em Bissau, o HM  241]




"Para Guidita, Piche, 6 de agosto de 1969. Renato José"





"Para Guidita, Piche, 6 de agosto de 1969. Renato José"





"Para Guidita, Piche, 6 de agosto de 1969. Renato José"





Local ilegível [Piche, ] 6 [?] de agosto de 1969...[Folha 2]


Fotos: © Renato Monteiro (2015). Todos os direitos reservados (Edição: LG]


1. Segundo (e última parte) do p+equeno lopte de cartas (*) que recebi, para publicação, do nosso grã-tavbanqueiro, o Renato Monteiro. o "homem da piroga", ex-fur mil, CART 2479 / CART 11 (Contuboel, Nova Lamego e Piche, 1969/70); e CART 2520 (Xime e Quinhamel, 1970) (**); natural do Porto (n. 1946), vive em Lisboa; é professor do ensino secundário, reformado... Publicou, juntamente com Luís Farinha, uma pioneira Fotobiografia da Guerra Colonial (Lisboa: D. Quixote, 1998). 

E um homem do(s) olhar(es) e da(s) palavra(s). A sua grande paixão, hoje, é a fotografia (a preto e branco). É um talentoso, compulsivo e apaixonado fotógrafo da vida, do quotidiano, do trabalho, dos lugares, de Lisboa e do Tejo, do seu país, das suas gentes... Tem vários blogues de fotografia que merecem uma visita: (i)  Fotografares; (ii) Quero Lisboa; e (iii) Fotografares do Tejo... Tem publciado livros e feito exposições de fotografia.


Como ele me explicou, são "cartas destinadas à namorada [Margarida, hoje esposa], pouco convencionais, a dispensarem o aparo da Pelikan, compostas na sua maior parte por colagens de palavras e frases curtas de jornais e revistas encontrados casualmente nos aquartelamentos de Contuboel (...) e de Pitche. (...) Mensagens que, recorrendo ao nonsense através de expressões fragmentadas e sentidos descontínuos, nem por isso deixavam de traduzir uma certa amargura, ironia, desespero; momentos de medo e de calados desejos; surdas revoltas causadas pela forçada expatriação que nos obrigara à separação do outro amado." (*)




Espinho > c. 1968 > CART 2479 (futura CART 11 e depois CCAÇ 11)  > ainda em Espinho, na IAO - Instrução de Aperfeiçoamento Operacional > 

Na 4ª fila, fila. de pé o Valdemar Queiroz (1) e á sua direita o Bento (4).

O Cândido Cunha está no centro da foto (3) [, "na segunda fila, de pé, facilmente identificado por ser o que se está a rir, se calhar por todos os outros estarem tão sérios". 

Na 3ª fila.  à esquerda do Cunha, o Renato Monteiro (2). O segundo, a contar da direita, na 1ª fila é Abílio Duarte (5). O Renato, o Valdemar e o Abílio são membros da nossa Tabanca Grande.  (***)

Foto (e legenda): © Valdemar Queiroz (2014). Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem complementar. L.G.]




Guiné > Zona Leste > Setor L1 > Xime > CART 2520 (1969/70) > c. 1970 >  "No regresso de uma operação no subsetor do Xime" (RM) (**)... 

Uma máscaraa de sofrimento... Esta foto também vem reproduzida na pág. 215 do livro de que é coautor (Renato Monteiro e Luís Farinha: Guerra colonial: fotobiografia. Lisboa: Círculo de Leitores / Publicações D. Quixote. 1990. 307 pp). (LG).


Foto (e legenda): © Renato Monteiro (2014). Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem complementar: L.G.]

(**) Vd. poste de 6 de fevereiro de  2014 > Guiné 63/74 - P12684: Memória dos lugares (263): O Xime, ao tempo da CART 2520 (1969/71), comandada pelo cap mil António dos Santos Maltez, natural de Aveiro (Renato Monteiro)

4 comentários:

José Nascimento disse...

Ainda faltam os seus poemas...

Luís Graça disse...

Nascimento, ainda te lembravas do Monteiro ? Só quarenta anos depois soube que ele esteve na tua companmhia, a CART 2520, com quem fui operações... Mas nunca o encontrei no Xime!... Ele disse-me ontem que depois voc~es foram para Quinhamel... Tens alguma foto dele, contigo no Xime ?

Anónimo disse...

José Nascimento
3 jun 2015 | 15h42

Caro amigo Luís

Surpreende-me vocês nunca se terem cruzado, tanto no Xime, como em Bambadinda ou até mesmo na ponte do rio Udunduma, porque ele também chegou a estar lá.

Quanto a fotos com ele no Xime, vou ver se tenho algumas.

Entretanto recebe um grande abraço.

José Nascimento

Abílio Duarte disse...

Nesta histórica foto da Cart.2479/Cart.11, em Silvalde/Espinho, durante o IAO, FEV1969,antes de embarcar para a Guiné, estão os operacionais Cabos Milicianos;
Da esqª. para a direita:
1ª. Fila - Macias, Pechincha, eu (Abílio Duarte) e o Aurélio Duarte.
2ª. Fila - Canatário (Armas Pesadas), Vera Cruz (este rapaz era um tratado a jogar á lepra, bons momentos, muito stressado, mas com saída com as miúdas na Guiné),Cunha, Renato Monteiro e o Abílio Pinto.
3ª. Fila - Artista que não pertencia á n/compª,mas do batalhão, que quando foi desfeito, deve ter ido parar a Angola. o Sousa (Segundo dizem já faleceu) e o indomável Valdemar Queiroz da Silva, grande contador de histórias.
Para sempre recordar.