segunda-feira, 11 de julho de 2016

Guiné 63/74 - P16292: (In)citações (97): O futebol contra o racismo: os heróis improváveis do 10 de julho de 2016!... (Francisco Baptista / Cherno Baldé / José Manuel Matos Dinis / Francisco Gamelas / Luís Graça)


1. Comentário do nosso editor LG com data de ontem, às 23h00 (*):

Acabou de me telefonar de Bissau o Cherno Baldé:
- Parabéns, Portugal!

Que lindo!

Está tudo em festa na Guiné-Bissau!...

Era um telefonema improvável!... Na atrapalhação, e não querendo que ele estivesse a gastar dinheiro numa chamada internacional, só lhe disse:
- Obrigado, Cherno, é uma vitória de todos nós, lusófonos, e um manifesto contra o racismo!...

Eu, que não vi o desafio pela TV, não sabia àquela hora que um dos heróis improváveis daquela noite, era um tal Éder, um "patinho feio", nascido em Bissau!...


2. Comentário do José Manuel Matos Dinis, com data de ontem às 23h02:

Camaradas, boa noite!
Como já devem saber, Portugal é campeão europeu. Tinham decorridos alguns poucos minutos e tocou o telefone. Ainda levei uns momentos a atender, por atrapalhação com um livro.

Do outro lado perguntaram por mim. Tinha reparado que o número não estava registado, portanto, não sabia a proveniência. Era uma voz emocionada. Confirmei que sim, que era eu quem atendia. Fala o CHERNO, o CHERNO BALDÉ, e de modo emocional acrescentou um e outro VIVAS a PORTUGAL.

Trocàmos abraços telefónicos, e desejàmos felicidades recíprocas, até que nos possamos encontrar. Valeu a pena, aqui e na Guiné-Bissau.

Abraços fraternos

JD


3. Francisco Baptista, um "rapaz" de Brunhoso, escreveu um texto com garra, e premonitório,  na véspera do jogo de futebol entre as seleções de Portugal e da França, texto esse que vai seguramente figurar  na antologia do nosso blogue (*)... 

E o nosso editor LG entendeu colocar na caixa de comentários o seguinte, às 17h01 de ontem:

Há dias recebi esta mensagem de um outro Francisco, Gamelas de apelido, beirão de Aveiro, que ficou na caixa do correio como muitas outras, não se tratando de um assunto "diretamente" relacionado com o "core business" do nosso blogue...

Depois do teu poste, aproveitando a "aberta" dos nossos editores, aqui vai... É uma manifesto contra o racismo, usando a força (inegável) que tem o futebol mediático nas nossas sociedades... Que a julguem os nossos leitores...

________________

Francisco Gamelas

29/06/2016

Aqui vai um achado bonito, que nem sempre corresponde à realidade. Mesmo assim, ... FG

_________________

(Autor desconhecido)

Aproveito esta oportunidade para explicar um bocadinho a diferença entre racismo e anti-multiculturalismo.

É assim: um português nascido no Brasil [Pepe] corta uma jogada perigosa da Croácia na sua grande área.
A bola é recolhida por um preto da Musgueira [Renato Sanches], que avança no terreno até ter a noção do melhor passe. Manda a bola para um mulato da Amadora [, Nani,], que a mete num menino pobre da Madeira [Ronaldo]. Este remata à baliza, mas o guarda-redes contrário só tem tempo de a defender para um espaço livre, onde surge um cigano [Quaresma] a fazer golo.

Todos portugueses. Nenhum vai meter uma bomba no Rossio. Agnósticos, ateus ou cristãos, não sei.Todos filhos da cultura lusitana.

Racismo? Não, obrigado!

_______________

Nota do editor:

3 comentários:

Tabanca Grande disse...

Vd. Na página (brasileira) Trivela > Éder, o menino imigrante que cresceu em um orfanato e virou o herói improvável da Eurocopa

Por: Leandro Stein
10 de julho de 2016 às 21:36


http://trivela.uol.com.br/eder-o-menino-imigrante-que-cresceu-em-um-orfanato-e-virou-heroi-improvavel-na-eurocopa/

(…) O futebol tem dessas: é uma máquina de mexer com as emoções, uma máquina de produzir o inesperado. Quem imaginaria que um garoto nascido em Guiné-Bissau e crescido em um orfanato, que costuma ser mais lembrado pelos gols perdidos do que pelos marcados, se eternizaria na Euro 2016? Para aquele que driblou tantas dificuldades ao longo da vida, dar uma finta seca na desconfiança foi até fácil. E, com o caminho livre para a oportunidade, Éder não titubeou. Fuzilou para as redes, tornou-se o herói improvável no Stade de France. O autor do gol mais importante da história do futebol português. (…)

Tabanca Grande disse...

A importância do "coaching", e dos homens e mulheres que "trabalham" o "cérebro" e o "coração" dos jogadores... Uma história de sucesso desconhecida... Não sabia dessa nova profissão, no desporto de alta compertição, onde há mulheres a dar cartas... LG
_____________

Quem é Susana Torres, a “mental coach” de Éder?
PÚBLICO 11/07/2016 - 08:17
https://www.publico.pt/desporto/noticia/quem-e-susana-torres-a-mental-coach-de-eder-1737913

(…) Deixou a carreira na banca para se tornar mentora desportiva de alta performance. A mudança deveu-se a Éder e ele dedicou-lhe o golo da vitória.

Com um percurso e carreira sólidos na área da banca, Susana Torres especializou-se na área desportiva “por acaso”, conta em entrevista ao site Miracle Coach.

“Tudo aconteceu por acaso e com um jogador de futebol. Este jogador, que na altura colocava em causa a sua carreira desportiva, comentou comigo o seu sonho de criança e acabámos por lançar um desafio um ao outro: ele transformava o seu sonho num objectivo a seis meses, e eu dar-lhe-ia todas as ferramentas que possuía para o ajudar a conquistar esse objectivo”, explica Susana Torres, referindo-se a Éder . “Foram seis meses de trabalho intensivo e no fim o jogador rumou a uma das ligas mais exigentes do mundo”, detalha Susana Torres, sobre a ida de Éder para o Swansea em 2015 – o jogador foi entretanto emprestado ao Lille.

Para a mental coach, que depois de apostar numa carreira ligada à banca investiu na formação na área de desenvolvimento pessoal, o sucesso está na estipulação de objectivos e sublinha a importância de saber gerir a adversidade, frustração, desmotivação e ausência de resultados como factores tão importantes quanto as qualidades técnicas ou tácticas.

Sem dizer nomes, Susana conta na mesma entrevista que trabalha “com um atleta” que um dia lhe disse: “As pessoas podem desistir de mim, mas há uma que eu sei que nunca vai desistir… Eu próprio”.

Para além de trabalhar com jogadores, a treinadora e motivadora de alta performance colabora também com treinadores e equipas.

Nas suas escassas publicações no Twitter (tem menos de duas dezenas), a mentora de Éder partilhou fotos, citações e a página de Facebook do jogador.

Tabanca Grande disse...

Cherno Baldé:

Temos um novo herói de Portugal e da Guiné-Bissau... Fiquei comovido com o teu telefonema... Obrigado. Estamos todos de parabéns. Tens aqui a história de um menino da tua terra que
se fez homem e herói em Portugal, superando a dura realidade... Terá
vindo para cá aos 3 anos.

Um abraço fraterno. Luís Graça

http://desporto.sapo.pt/futebol/euro_2016/artigo/2016/07/11/eder-o-menino-d-ouro-capaz-de-lutar-contra-tudo-e-contra-todos