segunda-feira, 25 de junho de 2018

Guiné 61/74 - P18779: O segredo de... (31): António Ramalho, ex-fur mil at cav, CCAV 2639 (Binar, Bula e Capunga, 1969/71)... O senhor alferes que estava mesmo a pedir... uns abatises, à hora do almoço, no cruzamento da estrada Bula / Binar / Pete


Guiné > Região Cacheu > Bula > CCAV 2639 (1969/71) >  A AM [autometralhadora] Panhard, insubstituível companheira das nossas colunas.

Foto (e legenda): © António Ramalho (2018) . Todos os direitos reservados (Edição e legendagem complementar: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné)


1. Mensagem de António Ramalho, com data de 20 do corrente

Caro Luís Graça boa noite.

Não me recordo dessa aventura do Victor Garcia (*),  talvez estivesse em Bissum, mas há uma que ele e todos os elementos do nosso Pelotão se recordarão ao consultar o nosso Blogue,  que envio em anexo.

Se achares interessante,  publica-a.

Um forte abraço para todos.


2.  Abatises à hora de almoço no cruzamento 
da estrada Bula/Binar/Pete

por António Ramalho

[ ex-fur mil at cav, CCAV 2639 (Binar, Bula e Capunga, 1969/71), membro da Tabanca Grande, nº 757, natural de Vila Fernando, Elvas]

Numa vinda matinal a Bula, uma coluna de Pete, comandado pelo senhor alferes Queirós, este ao chegar ao cruzamento decidiu afinar a pontaria na placa de madeira indicativa de Capunga com a sua Walther!

Era um militar destemidíssimo! Assistimos à prova bélica impávidos e serenos sem lhe darmos a devida importância, como ele certamente esperaria! 

Perplexos com tão inusitada atitude e atentado à nossa propriedade, não hesitámos [, o Grupo de Combate destacado em Capunga,] em presenteá-lo com uma merecida surpresa de regresso a Pete com a devida autorização e cumplicidade do nosso alferes, outro militar destemidíssimo!

Dado haver algumas árvores caídas por velhice, arrastámo-las para a estrada,  formando uma enorme mancha arbórea que provocou um enorme susto à rapaziada! O senhor alferes e restante comitiva, que regressava de Bula, a caminho de Pete, colocaram-se em posição ofensiva /defensiva com um enorme “fogachal” que foi ouvido em Bula!

Comunicações para cá e para lá, não me recordo se houve apoio do Pelotão de Panhards,  sedeado em Bula!

Desmascarada a brincadeira, foi abafada, o IN ficou com as culpas, desobstruiram a picada e lá seguiram para Pete onde um lauto almoço os esperava!

Em pleno teatro de guerra,  estas brincadeiras poderiam ter dado mau resultado, estávamos a pouquíssimos quilómetros do Choquemone, importante base do IN, mas, pronto, já fazem parte da história!... Aqui fica o meu "pequeno segredo"...

20/6/2018


Guiné > Região do Cacheu > Carta de Bula (1953) > Escala 1/50 mil > Posição relativa de Bula,  Capunga, Binar e Pepe.

Infografia: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné (2017)
____________

Nota do editor:

1 comentário:

Tabanca Grande disse...

Quanta "gentinha", parva, arrogante, prepotente, inconsciente, ridícula, fanfarrona... como esse teu camarada da CCAV 263, não conhecemos nós, na tropa e na guerra!... Há homens a quem não se pode dar uma farda, uns galões e uma arma!...

Em todas as companhias e batalhões havia gajos desses, das praças aos furriéis, dos alferes aos capitães, sem esquecer os nossos oficiais superiores... Foram exceção ? Admito que sim, mas havia sempre um gajo desses para "borrar a pintura"... Verdadeiros cromos!...

Eu também tive um Queirós na CCAÇ 2590/CCAÇ 12... Não vou dizer o nome, para não envergonhar os seus filhos e netos... e para honrar os que souberam ser bons militares, portugueses, homens e camaradas...