sexta-feira, 29 de junho de 2018

Guiné 61/74 - P18792: (De)Caras (109): O ex-fur ou 2º srgt de transmissões da CCAÇ 797 / BCAÇ 599 (Tite e Nhacra, 1965/67), hoje com 84 anos, 1º srgt trms ref (Sandra Mendes, filha)


Guiné > Região de Quínara > Tite > CCAÇ 797 (Tite e Nhacra, 1965/67) > Grupo de furriéis e sargentos > O infortunado limiano Júlio Lemos é o primeiro, da primeira fila, ao centro, "aninhado"...



Guiné > Região de Quínara > Tite > CCAÇ 797 (Tite e Nhacra, 1965/67) > Grupo de furriéis e sargentos > O nº  14 é o Henrique Alves Mendes (ou Henrique A. Mendes), na altura fur ou já 2º sargento de transmissões, segundo testemunho da filha, que publicamos a seguir.

Foto (e legenda: © Mário Leitão (2017). Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem complementar: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné]


1. Mensagem de Sandra Cristina Ferreira Alves Mendes 

Data: 27 de junho de 2018 às 14:55
Assunto: Identificação de foto: Guiné 61/74 - P18080 (Guiné >Região de Quínara> Tite>1965> CCAÇ797: (CCAÇ 797 / BCAÇ 599) 4ª foto: Nº 14

Olá, boa tarde,

Tenho vindo a seguir a vossa página há já uns anos: https://blogueforanadaevaotres.blogspot.com/

O meu pai reformado do exército, do ramo de Transmissões, passou pelo inicio de Macau, Índia e todo o Ultramar.

É uma pessoa que sempre fez segredo do tempo do Ultramar e sempre fez questão de "fugir" aos encontros. Trocando apenas cartas com alguns dos "colegas" dessa altura, grande parte são do Norte pelo que fui apercebendo-me enquanto crescia, e sendo uma ave rara em relação ao contacto com as novas tecnologias

Existe uma publicação vossa, de 13/12/2017, onde ele aparece. E no seguimento de uma conversa que ele estava a ter desse tempo (são raras as vezes), mostrei-lhe uma foto onde ele aparece e onde o vosso grupo questiona as pessoas da foto.

Dessa foto, até ao momento, apenas consigo identificar o meu pai. (Ele próprio indicou que podiam identificá-lo na foto...)

Guiné 61/74 - P18080 (Guiné >Região de Quínara> Tite>1965> CCAÇ 797: (CCAÇ 797 / BCAÇ 599): 4ª foto:  o  n.º  14 - Henrique Alves Mendes (aparece muitas vezes como Henrique A. Mendes).

Na altura ele diz que já era 1.º sargento 46182355- Henrique Alves Mendes (mas sei que ainda não o era, sendo furriel à data da foto).

Pertenceu, como 1.º sargento, ao a STM - Destacamento Moçambique. Esteve em vários locais, entre eles, Tete.

Quanto à vossa questão (Guiné 63/74 - P12016) sobre as mortes por afogamento dos furriéis em 12/8/1965 no rio Louvado, referiu que não se lembrava disso.

Da entrega do material à FRELIMO, ele indicou, que foi quem fez a lista/relação dos materiais a entregar à FRELIMO.

Como estou a tentar recuperar a história que ele sempre escondeu de todos (...),  para compreender algumas situações e "mazelas" de que padece, e que os médicos pensam ser resultado de acidentes no ultramar, tenho vindo a estudar um pouco a história do STM e,  em conversa com ele, tentando confirmar alguns dados.

Não sei se a identificação da foto será relevante, mas deixo aqui o nosso contributo.

Com os melhores cumprimentos,
Sandra Mendes
Filha de 1º Sargento Henrique Alves Mendes (n. 08-04-1934)


2. Resposta do editor LG:

Sandra, obrigado por nos contactar... O seu pai é um camarada nosso que nos merece todo o respeito, até por ser bastante mais velho que a generalidade daqueles que fazem e leem este blogue... Em geral, os capitães e sargentos do quadro era 12 a 14 anos mais velhos que nós, milicianos e praças... O seu pai está com 84.. Ao tempo da CCAÇ 797,  teria já 31/32 anos... Dê-lhe um alfabravo (ABraço) nosso com votos de saúde e longa vida.

Todos nós, de um maneira ou de outra, estamos a sofrer as sequelas, físicas e/ou psicológicas,  daquela guerra... O seu pai decidiu seguir a vida militar, e seguramente com grande sacrifício da família... Não conheci o seu pai, muito menos a malta da companhia dele, a CCAÇ 797 (Tite e Nhacra, 1965/67)... Ele esteve lá num tempo e lugar bem duros... Tiveram um grande capitão, o Carlos Fabião (que fez três comissões na Guiné)... Eu estive lá, Guiné, relativamente perto de Tite, em Bambadinca, na zona leste, contígua à região de Quínara, mas já em 1969/71. E lembro-me de ter ajudado o meu 1.º sargento, Fragata, com explicações de português, para poder frequentar a Escola Central de Sargentos, em Águeda...

Na foto em questão, e que reenvio, com mais resolução, o seu pai
está num grupo de furriéis (milicianos) e sargentos (do quadro). Em geral nas companhias havia dois segundos sargentos e um 1.º sargento, do QP (Quadro Permanente)... As divisas do furriel são 3 V apontados para baixo. A do 2.º sargento são 3 V apontados para cima. A do 1.º sargento, são 4 V apontados para cima.... Pela foto que lhe envio, a maior parte dos camaradas são furriéis, milicianos, o seu pai parece ter divisas de 2º sargento... O 1.º sargento da companhia, a CCAÇ 797, parece ser o camarada que está na segunda fila, de pé, de óculos, a contar da esquerda para a direita... O seu pai, de perfil, está em em 7.º lugar e tem debaixo do braço dois grossos volumes... Podem ser livros de estudo...

Foi muito importante identificar o seu pai. E pode ser que, com a sua sábia ajuda, ele nos forneça mais alguns elementos sobre o Júlio Lemos, o fur mil, que ele devia conhecer muito bem, que morreu afogado, juntamente com o 1º cabo Ferreira, no rio Louvado... Estes elementos são importantes para todos nós porque não queremos que nenhuma camarada nosso fique na "vala comum do esquecimento"... O Mário Leitão, nosso camarada, acaba de publicar um livro com as histórias de todos os limianos, os naturais de Ponte de Lima, que morreram na guerra colonial. O Júlio Lemos é um deles... Vou pôr a Sandra em contacto com o Mário Leitão... Ele inclusive já falou com dois elementos desta lista de contactos da companhia:

Abílio Abrantes, telef 238 691 390;
José Bayó, tm 917 291 778;
Jorge Duarte, tm 962 397 036;
Santos Costa, tm 917 415 288.

Infelizmente, nenhum deles faz parte da nossa Tabanca Grande.

Quanto ao resto, e à história que me conta (e que não publicamos aqui).. Bom, somos um blogue de amigos e camaradas da Guiné, não somos juízes de ninguém, não julgamos nem condenamos ninguém... Pelo contrário, procuramos ajudar quem precisa...

Já que o seu pai (e nosso camarada) nos autoriza, vamos identificá-lo, neste poste e neste blogue (**). Se a Sandra tiver histórias ou fotos dele, e se quiser publicá-las no nosso blogue, ficar-lhe-íamos gratos. Espero que esta minha mensagem também ajude a Sandra (e nós) a aproximar-se mais do seu pai, e nosso camarada.

Um beijo, os filhos dos nossos camaradas nossos filhos são...
Luís Graça
____________

Notas do editor:

(*) Vd. poste de  13 de dezembro de  2017 > Guiné 61/74 - P18080: Em busca de... (284): Veteranos da CCAÇ 797, "Os Camelos" (Tite e Nhacra, 1965/67), comandada pelo cap inf Carlos Fabião, e em especial os 8 elementos da secção do fur mil Júlio Lemos Pereira Martins, do 1º Gr Comb, comandado pelo alf mil inf Américo de Melo Pinto Lopes (Mário Leitão, autor do livro em 
elaboração "Heróis limianos da guerra do ultramar")

(**) Último poste da série > 26 de maio de 2018 > Guiné 61/74 - P18679: (De) Caras (108): A história da Kalash apanhada pelos Kimbas a um "Don Juan" do PAIGC, contada pelo António Ramalho, o "pira" da CCAV 2639 (Binar, Bula e Capunga, 1969/71), que andou sempre com "gente aprumada e de alto gabarito"...

1 comentário:

Valdemar Silva disse...

É isso mesmo, excelente texto Luís Graça.

Valdemar Queiroz