quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Guiné 63/74 - P15386: Álbum fotográfico de Alfredo Reis (ex-alf mil, CART 1690, Geba, 1967/69) (2): A visita, à sede da companhia, do Conjunto Académico João Paulo, em 24 de agosto de 1968



Foto nº 1 > Ao centro, um dos elementos do conjunto João Paulo, fardado, com o posto de alferes, dando autógrafos... Seria  o viocalista,  Sérgio Borges ?


Foto nº 2 > O João Paulo Agrela, ao centro, o fundador do grupo, Está fardado, e era furriel (. Morreu em 23/4/2007)



Foto nº 3 > Foto do grupo com militares da CART 1690 

Foto nº 4 > João Paulo (ou Sérgio Borges ?) ao centro, e à sua dois alferes da CART 1690  (um deles, à civil, o Alfredo Reis) e o 1º sargento



Foto nº 5 > Não sabemos quem é levado em ombros. Presume-se que seja um dos elementos do grupo, talvez o vocalista Sérgio Borges (1943-2011) ou então um dos alfgeres da CART 1690. Só o Alfredo Reis poderá esclarecer... De qualquer modo, foi um dia diferente, foi um dia de festa em Geba, o 24 de agosto de 1968...


Guiné > Zona leste > Geba > CART 1690 > 24 de agosto de 1968 > O conjunto musical João Paulo em digressão pela Guiné... Tal como no caso de  outros artistas populares na época, como a Florbela Queiroz, a digressão à  Guiné do Conjunto Académico João Paulo
era uma  iniciativa do Movimento Nacional Feminino (MNF). Este  conjunto fez digressões também por Angola e Moçambique,  durante a guerra colonial, além de países estrangeiros como os EUA. (Por exemplo, um ano depois, estavam em Moçambique a atuar para o BART 2838, 1968/70).

Foram fundadores do grupo, madeirense, pioneiro da música "rock" em Portugal (a par de Os Sheiks, Os Conchas, Chinchilas, Duo Ouro Negro, Quarteto 1111 e Demónios Negros, entre outros) os seguintes elementos:   João Paulo Agrela (1942-2007) (teclas), Carlos Alberto Gomes (guitarra), Rui Brazão (guitarra ritmo), Ângelo Moura (baixo), José Gualberto (bateria, falecido em 2004) e Sérgio Borges (1943-2011) (vocalista).  Não sabemos se todos estes participaram nesta digressão à Guiné, em 1968 ou se estavam na altura a cumprir o serviço militar na Guiné... Três ou quatro elementos do grupo passaram pelo EPI (Mafra), onde fizeram a recruta, no turno de setembro de 1966... Como se vê, dois anos depois  ainda estavam na tropa... Do tempo de Mafra, ficou a canção (pouco conhecida) O Salto (disponível no You Tube).

Fotos: © Alfredo Reis (2007). Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem complementar: LG] (*)



Fotograma do vídeo (2' 43''), disponível no You Tube, com a composição O Salto, de 1966, retrato algo cáustico da instrução que era dada na EPI, na famosa Máfrica, por onde passaram alguns dos elementos do Conjunto Académico João Paulo. A voz que se ouve, belíssima, era a do talentoso Sérgio Borges, já falecido. O vídeo utiliza, sem o citar, várias fotos do nosso blogue... Disponível aqui.





Comjunto Académico João Paulo > Os elementos do grupo fizeram, todos,  o serviço militar. Foto: Cortesia da página Sérgio Borges e o Conjunto Académio  João Paulo - Clube de Fâs


Não há indicação de data nem local... Mas a foto pode muito bem  ter sido tirada em 1968, em Bissau, junto ao palácio do governador geral. (Parece-nos descortinar ao fundo uma das paredes laterais do palácio)... Na foto veem-se os seis elementos do conjunto, de camuflado, prontos para partir para o mato (?), mais o alferes do QG que, muto provavelmente, fazia de relações públicas ou de elemento de contacto (?).


1. Foi assim que a agência Lusa deu a notícia da morte do João Paulo:

Morreu João Paulo Agrela, do Conjunto Académico João Paulo
Agência LUSA24 Abr, 2007, 18:33 

(Fonte: RTP, com a devida vénia)

O corpo do artista está em câmara ardente na igreja de Nossa Senhora de Fátima, da Cova da Piedade, e o funeral realiza-se quarta- feira, às 14:00, no cemitério do Feijó.


Capa de um LP com compilações do grupo. Foto:
Cortesia de Sérgio Borges e o Conjunto Académio
João Paulo - Clube de 
Fãs. O João Paulo é o primeiro da
da esquerda, de camisola vermelha,.
O Conjunto Académico João Paulo, um dos mais populares grupos musicais portugueses dos anos 60, era constituído por João Paulo Agrela, Sérgio Borges (o vocalista), Carlos Alberto, Rui Moura e Gualberto, todos eles estudantes.

Antes da explosão do "rock" em Portugal, o Conjunto gravou versões de cantores de sucesso da altura como Adamo, Gilbert Bécaud e Charles Aznavour, mas são da sua autoria duas das canções que os tornaram mais conhecidos: "Hully Gully do Montanhês" e "Milena (a da Praia)".

O êxito do conjunto "impôs" a sua vinda da Madeira para Lisboa, onde o empresário Vasco Morgado o contratou para espectáculos no Teatro Monumental e a rádio emitia os seus trabalhos com regularidade.

A projecção do vocalista do grupo [, Sérgio Borges,], que iniciou uma carreira a solo, acabaria por determinar o fim da carreira do conjunto, que tinha tido uma participação no Festival RTP da Canção, em 1966, com «Nunca Direi Adeus».


A Valentim de Carvalho editou em 1993 alguns dos êxitos do grupo num CD intitulado "Os grandes  êxitos do Conjunto Académico João Paulo".  (**)


2. Sobre a história do Conjunto  Académico João Paulo, que era muito popular entre a nossa tropa, no nosso tempo,  ver ainda:



(ii) Sérgio Borges e o Conjunto Académico João Paulo - Clube de fãs

Um facto, desconhecido para muitos, é a revelação da Cecília Supico Pinto na sua biografia, escrita por Sílvia Espírito Santo ("Cecília Espírito Santo,o rosto do Movimento Nacional Feminino, Lisboa, A Esfera dos Livros, 2008, pp. 144): foi ela que "conseguiu que os músicos do 'Conjunto João Paulo' cumprissem o serviço militar actuando no mato em digressões pelas 'províncias' ".

Ela sabia, de resto, da experiência norte-americana na II Guerra Mundial, da importância que tinham, sobre o moral das tropas em África,  as atividades de natureza lúdica, como os espetáculos musicais ao vivo, feitos por artistas em voga, vindos da metrópole.

Enfim, uma forma barata, para o MNF, de entreter a malta... Como é sabido, esta mulher podia tudo, tendo acesso direto e privilegiado a Salazar...

Dois antigos alferes da CART 1690: Alfredo Reis (à esquerda)
e Domingos Maçariço (à direita). 24 de julho de 2010:
recordando, 42 anos depois, o ataque ao destacamento de
 Banjara. Foto: Alfredo Reis (2010)
3. As fotos (acima. numeradadas de 1 a 4) são do álbum do ex-alf mil Alfredo Reis que, tal como o A. Marques Lopes, pertenceu à CART 1690. juntamente com o António Moreira e o Domingos Maçarico  (. Os quatro dão-nos a honra da sua presença à sombra do poilão da Tabanca Grande).

O Alfredo Reis é veterinário, reformado, vivendo em Santarém. Sabemos que não é muito fã da Net...

As fotos chegaram-nos por intermédio do A. Marques Lopes.  A seleção, a legendagem e a organização temática são dele, A. Marques Lopes. (*)

Nesta data, 24/8/1968, o A. Marques Lopes já não estava na CART 1690: depois de regressar da metróple, onde esteve em tratamento e convalescença de um ferimento em combate, foi colocado em Barro, na região do Cacheu, na CCAÇ 3.

Além da sede (Geba), o Alfredo Reis esteve nos destacamentos, alguns dos quais, como Banjara e Cantacunda, eram os piores "buracos" do CTIG na época. (LG)

_______________

Notas do editor:

(*) Último poste da série > 15 de novembro de 2015 > Guiné 63/74 - P15371: Álbum fotográfico de Alfredo Reis (ex-alf mil, CART 1690, Geba, 1967/69) (1): Eu e o meu pelotão em Cantacunda (Parte I)

(**)  "Os Grandes Êxitos do Conjunto Académico João Paulo", compilação, Vadeca / EMI 7-243-8-27483-2-8, 1993: Track listing:

1 Eu tão só (Et pourtant) | 2 Capri C'est Fini | 3 Ma Vie | 4 Se Mi Vuoi Lasciare

5 Hully Gully do Montanhês | 6 Se Piangi, Se Ridi | 7 Non Son Degno di Te

8 Milena, A da Praia | 9 Ciao | 10 Nunca Direi Adeus | 11 Stasera pago Io 12 | L'amour Est Bleu

13 Cosa Vuoi da Me | 14 Kilimandjaro | 15 Onde Vais Rio que Eu Canto | 16 Canção de madrugar

17 Corre Niña

8 comentários:

Jose Vargues disse...

O Conjunto Académico João Paulo, conheço bem e eu era um fã deles.
Nos 65 , 66,67 etc, também me interessei pelas canções, morava na altura,
no Barreiro e gostei muito duma canção deles, " E eu tão só, tão só, sem ninguém para Amar".Fui convidado por uma festa, promovida pela Câmara do Entroncamento e foi umas das canções que eu cantei.
É sempre bom recordar estas coisas, pois recordar é viver, como é sabido.
Um abraço para todos

Luís Graça disse...

"E eu tão só"... Uma das canções mais conhecidas dos rapazes da Macdeira... Letra e música... Disponíveis aqui...

http://www.vagalume.com.br/conjunto-academico-joao-paulo/eu-tao-so.html

Luís Graça disse...


E esta, quem não se lembra ?!... Hully Gully do Montanhês

http://amusicaportuguesa.blogs.sapo.pt/443149.html



Sou da montanha
Vim à cidade
Só p'ra ver dançar
Hully Gully
Hully Gully

Eu lá no alto
não sabia
que era assim
que dançavam
Hully Gully
Hully Gully

Quando voltar
P'rá montanha
E p'ró meu amor
Hei-de contar
que há um mundo melhor
Para lá

Anónimo disse...

Comentário de 18 de abril de 2010 às 21:15
ao poste de

18 DE ABRIL DE 2010

Guiné 63/74 - P6182: Em busca de... (125): Camaradas do ex-Fur Mil Inf João José Viana Dias de Azevedo da CCAÇ 2658/BCAÇ 2905 (João Azevedo)

http://blogueforanadaevaotres.blogspot.pt/2010/04/guine-6374-p6182-em-busca-de-125.html


Anónimo disse...
Apenas uma achega inconsequente relativamente ao objectivo do post. O João Azevedo pode não estar totalmente enganado, na recruta de Setembro de 1966 houve uma companhia de instruendos milicianos em Mafra, dela fez parte, alem de mim, três ou quatro elementos do conjunto João Paulo enquanto os restantes elementos pertenceram a uma outra companhia do COM, meia dúzia de passos ao lado. Sem grandes certezas, penso que houve outras recrutas do CSM em Mafra, antes e depois de 66.
Um abraço,
A. Brandão

Luís Graça disse...

Lê-se aqui,

Sérgio Borges e o Conjunto Académico João Paulo
Clube de fãs, onde se reúne fotos, música, vídeos, notícias e os vossos comentários

http://bloguedosergio.blogs.sapo.pt/3697.html


(...) Década de 1970

"Após o cumprimento do Serviço Militar, o Conjunto João Paulo voltou em 1970 às gravações.
Rui Brazão saiu para continuar os estudos e José Gualberto regressou ao Funchal para tomar conta de negócios. Entraram para os substituir, Zé Manuel e Adrien, ex-elementos do Quinteto Académico. Entraria também a cantora Vickie." (...)

Carlos Esteves Vinhal disse...

Os elementos do Conjunto Académico João Paulo frequentavam o Café Apolo, do Funchal, no início dos anos 70. Algumas vezes fiquei em mesa contígua. Na altura eles actuavam com a cantora sul-africana Vickie que os acompanhava na mesa do café.
Carlos Vinhal

Hélder Valério disse...

Caros camaradas
Em meados dos anos 60, conformo calculo que se lembrem, decorreu o Concurso "Yé-yé" em que diversas Bandas de "rock" actuavam em eliminatórias no Cinema Monumental, em Lisboa.
Tratou-se do primeiro grande impulso da música 'rock'.
Influenciados pelo modelo dos 'The Shadows', com 3 violas e 1 bateria, como base, e depois com vocalista dedicado ou também músico, havendo por vezes teclas, lá se foram proliferando Conjuntos por esse País fora e isso ajudou a aglutinar muita juventude.
As eliminatórias foram-se sucedendo e houve a final.
Entre os conjuntos finalistas estavam "Os Tubarões", de Viseu.
Não ganharam, eram da província.....

Dois dos seus elementos, o Luís Dutra, infelizmente falecido há 2 anos, vítima de 'doença incurável' por acção do tabaco nos pulmões e o Eduardo Pinto, foram meus colegas de curso nas Transmissões, fazendo parte do grupo que eu costumo chamar de "Ilustres TSF". Foram os dois para a Guiné, mobilizados em rendição individual, tal como eu, e ao mesmo tempo que eu.
O Dutra foi inicialmente para Farim. Por motivos de saúde, se bem me lembro um problema qualquer de coração, veio para Portugal e voltou mais tarde para lá. O Eduardo esteve todo o tempo na Escuta, sendo um dos seus iniciadores.
Além deles também um outro elemento, o Barros, esteve nas Transmissões e também na Guiné.

Do meu curso, além desses dois, alguns mais eram músicos. Tenho para mim que essa ligação à música acabava por induzir o encaminhamento para o morse, para as Transmissões/TSF.
O Carlos Lã era de um conjunto do Algarve e ainda hoje está no activo nas animações dos Hotéis, mesmo depois de deixar de ser 'residente' do Montechoro. O Fernando Cruz, do Porto tinha também a sua Banda de garagem. O mesmo com o Fernando Marques, de Alhandra, o António Camilo, de Castelo Branco, o Miguel Pacheco de Barcelos, o José Fanha (primo do animador da televisão) da Meia Via, Tomar, o Nélson Batalha que tocava acordeon e órgão num restaurante com música ao vivo em Setúbal. O curso tinha mais 6 elementos: o José Canudo, de Elvas de que não tenho a certeza se tinha alguma relação com a música, o mesmo digo do António Calmeiro, de Tinalhas e do José Alves de S. Miguel, sendo que o José Reis do Porto era funcionário da Emissora, o Manuel Martinho tinha abandonado o Seminário de Fátima e eu costumo dizer que era especialista em 'campainhas de missa' e eu que apenas tinha dado a informação de ter construído um telégrafo.

Mas muitos mais elementos ligados à música estiveram nas Transmissões, conforme já tem aparecido notícias por aqui.
Um deles, por exemplo, foi o Vítor Raposeira, aqui de Setúbal, que ainda recentemente tem andado a reanimar os "Sixties".

Hélder Sousa

António Tavares disse...

Camarigos,

Em 1983 o Sérgio Borges actuava a solo num Hotel do Funchal.

Viu-o actuar com o mesmo brilho que nos tinha habituado no conjunto.

Abraço.