quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Guiné 63/74 - P16860: O nosso querido mês de Natal de 2016 e Ano Novo de 2017 (11): Joseph Josephsson, aliás J. Belo, o régulo (e único tabanqueiro) da Tabanca da Lapónia...





Votos de Feliz Natal e Bom Novo Ano para os Camaradas


Um abraço do J.Belo





1. Recebemos, com natural curiosidade,  notícias de um tal Joseph Josephsson. com perfil no Blogger desde novembro de 2016, administador do blogue Merely... Lapland, o que em português quer dizer, Simplesmente... Lapónia.


O misterioso senhor Joseph Josephsson vive em Kiruna, acima do círculo polar ártico... Espantosamente, a temperatuta local às 23h00 de ontem  era de -3º, com céu limpo, . A previsão  para a véspera de Natal,  sábado, 24, era de queda de neve, com temperatura ambiente de -8º.

Eureca!, descascadas as várias camadas de neve que envolvem o tal blogue. descobrimos  que o senhor Joseph Josephsson era, nem mais nem menos, do que o desaparecido lusolapão José Belo, nosso grã-tabanqueiro, capitão de infantria reformado, ex- alf mil, CCAÇ 2381 (Guiné, 1968/70)...

Era ele mesmo, sob disfarce, o nosso José Belo que, tal como Deus, tem o dom da ubiquidade... Para nós, ele estava simplesmente desaparecido desde o seu dia de aniversário, 4 de fevereiro de 2016. Depois disso, imaginávamos que tivesse  "hibernado" como o urso pardo que costima rondar a sua "lappland  trähus", a sua casa de madeira lapã e onde, dizem, fabrica-se e bebe-se o melhor vodka da Lapónia...

Aliás, temos dúvidas que ele tenha chegado a ler as quadras populares que lhe mandámos na altura, na ciaxinha de comentários, e que rezavam asssim:

Não importa onde estejas,
Em dia de aniversário:
Zé Belo… Feliz ? Pois que o sejas,
Muitos anos, até ao cent'nário.

Estocolmo ou Kiruna,
Key West ou Empada ?
Tens no blogue uma tribuna,
E um abraço de camarada.

Tu, José, lusolapão,
Dos vikings, conquistador,
Toma lá xicoração
Do Luís, teu editor.



Vemos agora, com alegria redobrada, que o nosso Zé Belo continua por lá, na sua adorada Lapónia, e na sua tabanca, sempre, sempre em busca, senão da suprema, pelmenos da relativa  felicidade que os deuses consentem aos homens na terra... Agora com o Trump  na Casa Branca, ficamos para ver se ele na próxima primavera sempre voltará a levar as suas renas até Key West...

Para ele, e família, filhos e amigos mais próximos, vão daqui,  de Lisboa (que no sábado, 24, terá  céu limpo, e 17º de temperatura) um xicoração fraterno e festivo, em nome da nossa Tabanca Grande onde se reunem, sob o poilão sagrado e com a benção de todos os  irãs bons, os amigos e camaradas da Guiné. (LG)

________________________

Nota do editor:

Último poste de série > 20 de dezembro de 2016 > Guiné 63/74 - P16858: O nosso querido mês de Natal de 2016 e Ano Novo de 2017 (10): Joaquim Nunes Sequeira, o "Sintra", ex-1º cabo carpinteiro, BENG 447, Bissau, 1965/67; vogal da direção e porta-estandarte do Núcleo de Sintra da Liga dos Combatentes

4 comentários:

José Teixeira disse...

Meu caro amigo Maioral dos Colhões Negros de Mampatá, como o correio electrónico não consegue chegar até ti, aproveito este meio para te desejar um Natal Feliz, cheio de tudo aquilo que gostavas de receber.
Dá notícias.
Abraço fraterno do Zé Teixeira - o "dotor". (como tu me chamavas)

Anónimo disse...

Por favor acudam o José Belo. Aquelas temperaturas são uma autêntica vaga de calor e podem-no levar a pensar que está naas Key West da Florida.
Haja saúde e Festas Felizes.
Abraço,
José Câmara

Tabanca Grande disse...

Zé, um ano passa depressa, mas 40 anos éuma vida... E eu recordo, não sem algumn aperto no coração, o teu "desabafo" de há um ano atrás:

(...) "O meu afastamento bloguista mais näo é que o resultado de sentimento que desde há muito se tem vindo a instalar.

Cada vez me reconheço menos nos acontecimentos que vão surgindo no nosso querido Portugal, e na maneira como a nossa gente reage aos mesmos.

Continuando a sentir-me como parte da tal "nossa gente", confunde-me este meu estado de espírito.

Os portugueses que vivem longe, para mais desde há muito, não serão de modo algum melhores, mais patriotas, ou mesmo mais "videntes" que os locais.

Mas atrevo-me a dizer que o amor que sentem por Portugal talvez seja mais profundo por não dependente de influências circunstanciais, não menos na área política e económica. (...)


Zé, na altura, e sobretudo á volta do debate sobre a ajuda da Suécia ao PAIGC, terás sido vítima de picardias que também me desgostaram... Conunuo a pensar que terás sempre um lugar (cativo) aqui, na Tabanca Grande... E tens sobre o apreço e a admiração de muitos camaradas!... Reforço os meus votos de boas festas, mesmo que a tua ca possa "parecer" mais fria sem a tua companheira de uma vida e a mãe dos teus filhos... LG

Anónimo disse...

Subscrevo tudo que já foi aqui escrito e acrescento um abraço.
BS