segunda-feira, 31 de julho de 2017

Guiné 61/74 - P17635: Os nossos passatempos de verão (16): Cantigas de escárnio e mal-dizer, à desgarrada... Parte III: Maria, minha cachopa (Luís Henriques, 1920-2012)

1. Estas são do meu pai, meu velho, meu camarada: 
Luís Henriques (1920-2012), ex-1º Cabo nº 188/41 da 3ª Companhia do 1º Batalhão Expedicionário do Regimento de Infantaria nº 5, Caldas da Rainha.

Esteve 26 meses "desterrado" em Cabo Verde, Ilha de São Vicente, Mindelo, Lazareto, de julho de 1941 a setembro de 1943.

Escrevia vinte e tal cartas por semana, em nome dos muitos camaradas do seu pelotão e da sua companhia que não sabiam ler nem escrever. Eram todos oriundos da Estremadura, Oeste.

Maria, minha cachopa

por Luís Henriques



Desterrado nesta terra,
A saudade me consome,
Que Deus nos livre da guerra,
Já nos basta a sede e a fome.

Estou farto de engolir pó,
Nesta ilha abandonada,
Mas sinto-me menos só,
Quando penso em ti, minha amada.

Maria, minha cachopa,
Não me sais do pensamento,
Logo que eu saia da tropa,
Vou pedir-te em casamento.

Luís Henriques (c. 1942)

__________


Sem comentários: