terça-feira, 1 de agosto de 2017

Guiné 61/74 - P17639: Os nossos passatempos de verão (17): Cantigas de escárnio e mal-dizer, à desgarrada... Parte IV: Loas à Tabanca de Porto Dinheiro, ao peixe seco "gourmet" da ACR da Ventosa do Mar, e à sua futura confraria... (Assim Deus queira e o povo ajude!)


Foto nº 1 > Eduardo Jorge Ferreira e Jaime Bonifácio Marques da Silva


Foto nº 2 > Joaquim Pinto de Carvalho e Belmiro Sardinha


Foto nº 3 > A Dijna e o Picão (cunhado)


Foto nº 4 > Maria do Céu e Alice Carneiro


Foto nº 5 > "Sevilhanas" à sobremesa


Foto nº 6 > O famoso "peixe seco" da Ventosa do Mar


Lourinhã > Ventosa (do Mar) > ACR (Associação Cultural e Recreativa da Ventosa) > 31 de julho de 2017 > 35º aniversário > Tradicional batatada de peixe

Foto (e legenda): © Luís Graça (2017). Todos os direitos reservados [Edição: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné]


1. Loas à Tabanca de Porto Dinheiro que se reuniu em 31/7/2017 na ACR da Ventosa do Mar, Lourinhã, convocada pelo régulo Eduardo Jorge Ferreira:


Começa logo à segunda feira
Nossa semana cultural,
C’o Eduardo Jorge Ferreira,
Convocando o tabancal.

Senhor do Porto Dinheiro,
És régulo, e muito amigo,
Da Ventosa ao Vimeiro,
Todos querem... estar contigo!

Hoje há festa na Ventosa,
Viemos cá à batatada,
P’ra comer esta maltosa
Nunca se mostra rogada.

Peixe seco é “gourmet”,
Dizem os duques do Cadaval (*)
Mais os amigos da Guiné,
E os primos do Seixal.(**)

João Duarte (***) se faz eco
Na sua terra natal:
Confraria do peix’ seco
É promessa eleitoral.

É terra maravilhosa,
Com vista de serra e mar,
Quem não conhece a Ventosa,
Nada mais tem p'ra contar.

As tabancas geminadas.
Ventosa e Porto Dinheiro,
Passam a ser celebradas
No nosso cancioneiro.

Muita saúde, longa vida,
Para os nossos tabanqueiros,
Foi uma noite divertida,
Camaradas, companheiros.

O João e a Vilma faltaram,
Com pena de todos nós,
Mas de Dubrovnik mandaram
Beijinhos para todos vós. (****).


Associação Cultural e Recreativa da Ventosa, Lourinhã,
31 de julho de 2017.

Luís Graça, secretário da Tabanca de Porto Dinheiro


(*) Embaixada do Cadaval presidida pelo Joaquim Pinto Carvalho,
ilustre jurista da comarca de Lisboa, coadjuvado pelo eborense e ex-combatente na Guiné, Belarmino Sardinha que, do peixe seco, só conhecia o bacalhau (da Noruega) e o carapau (da Nazaré). E ficaram fãs, ele e a esposa, do nosso peixe seco da Lourinhã...

(**) Referência ao grã-tabanqueiro Jaime Bonifácio Marques da Silva, um bravo oficial paraquedista do BCP 21, Angola, 1970/72, mais a sua comitiva do Seixal da Lourinhã.

(***) Presidente do município da Lourinhã, natural da Ventosa, e candidato ao próximo mandato. Teve três irmãos a combater em África.

(****) O casal mais famoso da Tabanca de Porto Dinheiro: ele, luso-americano, conhecido ativista de causas sociais (Gravuras de Foz Coa,  autodeterminação de Timor, reabilitação de memória de Aristides Sousa Mendes...) e ela a "princesa" eslovena mais portuguesa e mais querida  da América...
______________

2 comentários:

Juvenal Amado disse...

Pitéu como esse não cheirei
Só de o ver sinto água na boca
De o degustar esperarei
Que o tempo seja coisa pouca

Tabanca Grande disse...

Juvenal, acredito que te faça água na boca... São os nossos sabores de infância, daqui da malta do oeste....Claro que o peixe seco não ia à mesa do rei, nem dos ricos... Raia (Ou "arraia"), sapata (que só se alimenta de camaraão, e que os pescadores há 50 anosatrás deitavam fora...), abrótea, cação, safio, etc., e a bela batata e a cebola aqui da Lourinhã... O chicharro e o carapau aqui já não se usa na "batatada de peixe", só "peixes" finos... Agira o peixe seco é mesmo "produto gourmet"... Mas vende-se por aqui, e nomeadamente em Ribaramar, terra forte em pesca do alto... Na Ventosa do Mara também gente que anda no mar e sabe secar salgar e secar o peixe... Uma arte!

Tiro o chapéu à cozinheira ou cozinheiro da ACR da Ventosa do Mar.. Só na nossa mesa éramos 15, parece que vínhamos todos esfomeadps da Guiné... Muito azeitinho, vinho tinto q.b. e depois o digestivo da ordem: a "aguardente vínica DOC da Lourinhã"... Não sobrou mesmo nada, desta vez...

O próximo petisco, prometido pelo régulo da Tabanca de Porto Dinheiro, vai ser cação grelhjado na brasa. Ainda melhor que bacalhau!... Mas isso vai no plaácio dos Duques do Cadaval, lá mais para setembro... Entretanto, há a celdeirada, etc. O nosso querido mês de agosto é terrível porque não chega a agenda para tantas festas, tasquinhas, convívios, etc.

Temos que aproveitar... porque no céu não há disto!

O Belarmino Sardinha mais a esposa ficaram fãs do peixe seco!.. Fizeram o seu batismo gastronómico nesta iguaria... A ACR da Ventosa do Mar estava a arrebentar pelas costuras... É sempre quando aqui há "batatada"...