sábado, 26 de maio de 2018

Guiné 61/74 - P18681: Em busca de... (288): Helga dos Reis, nascida há 46 anos, em 6 de janeiro de 1971, em Ponta Consolação (Nhinte), que fica entre Bula e Binar, e a cujo parto assisti eu e o 1.º cabo enf Afonso Henriques, já falecido... Faço um apelo à Rádio Viva de Bula... (António Ramalho, ex-fur mil at cav, CCAV 2639, Bula)





Guiné > Região Cacheu > Bula >  Ponta Consolação (Nhinte) > CCAV 2639 (1969/71) > Helga Reis, nascida em 6 de janeiro de 1970, e a sua mãe. Se for viva, terá hoje 46 anos.

Fotos (e legendas): © António Ramalho (2018) . Todos os direitos reservados (Edição e legendagem omplementar: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné)


1. Mensagem de António Ramalho (ex-fur mil at cav, CCAV 2639, Bula, Binar e Capunga, 1969/71), para a Rádio Viva de Bula, região do Cacheu, Guiné-Bissau:

Data: 26 mai 2018 10:48

Assunto: Será possível saber da Helga?

Exmos. Senhores, bom dia.

Apresento os meus melhores cumprimentos.
Solicito-vos que dentro das vossas possibilidades e empenho o seguinte.

Uma data memorável.

No dia 6 de Janeiro de 1971 preparava-me para ir almoçar quando surge repentinamente um cidadão nativo de Ponta Consolação (Nhinte), na região entre Bula e Binar, informando-nos (e pedindo-nos auxílio) que a sua mulher estava a parir. (*)

Eu e o 1.º Cabo Enf Afonso Henriques [, já falecido...], apressámo-nos a ir à morança  onde nos deparámos já com a criança no mundo, demos-lhe o nome de Helga dos Reis, já que era dia de Reis, assistimos mãe e filha enquanto sua avó aquecia água para lhe dar banho, a mesma que lhe cortou o cordão umbilical com uma navalha entre dois cacos!

Enquanto lá estivemos [, em Ponta Consolação], éramos visitas habituais ao acampamento com sua mãe. Não tive oportunidade de me despedir dela, ironias do destino!

O Homem Grande da Tabanca chamava-se Eusébio.
Que será feito desta menina hoje com 46 anos? (**)
Aguardo o favor das vossas notícias.

Melhores cumprimentos
António Fernando Rouqueiro Ramalho
[, Vila Franca de Xira, Portugal]


2. Solicitada a colaboração do Carlos Fortunato, presidente da direção da ONGD Ajuda Amiga, nosso grã-tabanqueiroex-fur mil trms, CCAÇ 13, Os Leões Negros (Bissorã, 1969/71), respondeu-nos o seguinte em 24 do corrente:

Camaradas amigos

Infelizmente a Helga não é pessoa que eu conheça e o local onde nasceu (Ponta Consolação - Nhinte) está longe de Bissorã, pois é mais para a zona de Bula e fora dos meus contactos.

De qualquer modo, aqui fica uma sugestão para o camarada António Ramalho: contactar a Rádio Viva de Bula e pedir para transmitirem uma mensagem na rádio, perguntando pela Helga. E se ele deixar o seu contacto telefónico, ela ou um familiar poderão contactá-lo.

O contacto da rádio é:
radioviva radiovivabula <radiovivadebula@yahoo.com.br>

Um alfa bravo para todos.

Carlos Fortunato
_______________

3 comentários:

Tabanca Grande disse...

António, assaltou-me uma dúvida: vocês deram à criança um nome português, cristão: Helga dos Reis...

Mas será que os pais, a avó, a família... aceitaram esse nome ? Havia registo civil nessa altura ?

Será que a Helga, a ter sobrevivido para lá do limite fatídico dos 5 anos, continua a chamar-se Helga ?

Os pais eram balantas, manjacos... ou de outra etnia ? Se fossem cristãos, talvez aceitassem o nome que vocês, tu e o cabo Afonso Henriques, lhe puseram...

Enfim, se calhar estou a levantar uma falsa questão... Oxalá tenhamos sorte nesta busca... Vou pedir também ajuda á Eádio Voz do Quelelé... onde o nome do Pepito continua a ser sagrado.

Tabanca Grande disse...

Através da página do Facebook da Rádio Comunitária Voz do Quelelé (Bissau), soube da morte (ainda recente) do antigo diretor da rádio Viva de Bula, o jornalista Luís Pinto Iandá... Para todos os radialistas e demais profissionias de rádio, da Guiné-Bissau, vai a nossa solidarieddae na dor pela perda deste guineense, ao que parece uma voz muita estiamda e valiosa na rede de rádios comunitários. LG

_____________

https://www.facebook.com/R%C3%A1dio-Voz-de-Quelel%C3%A9-230425354362210/

8/5 às 14:52 ·
NOTA DE CONDOLÊNCIA

É com penetrante dor e consternação que recebemos hoje 08/05/018 a triste notícia sobre o desaparecimento físico do nosso amigo, irmão e colega de profissão LUIS PINTO IANDÁ jornalista e diretor da radio comunitária “VIVA” de Bula, membro ativo e de pleno direito da RENARC, alguém que deixará sem duvidas algum,mais uma fenda insuprível na comunicação social comunitária Guineense.

Neste ápice de muita pesar e de angústia, em nome das 34 rádios e 4 televisões comunitárias membros desta organização, endereçamos as nossas mais ressentidas condolências à família enlutada e rogámos ao DEUS todo-poderoso, que recebe-o na sua glória, e que a sua alma descanse em paz eterna.

Aos colegas da profissão, os nossos votos de muita coragem, empenho e dedicação como fator imprescindível para concretizar os sonhos do malogrado.
Gloria eterna, LUIS PINTO IANDÁ e até sempre!

Bissau, 08 de Maio de 2018

António Ramalho disse...

Caro Luís
Ideia lógica e pertinente.
Não sei se haveria registo, presumo que sim.
O tal Eusébio era o Homem Grande da Tabanca, já não deve fazer parte dos vivos, estava sempre muito atento a tudo. Era o maior produtor de arroz da Tabanca, por exemplo.
Eram Balantas.
Obrigado pela tua última diligência.
Um forte abraço