segunda-feira, 19 de abril de 2021

Guiné 61/74 - P22115: Manuscrito(s)(Luís Graça) (200): Soneto do paciente do IPO - Lisboa, dedicado à equipa da unidade 3 do serviço de radioterapia que cuida de ti com gentileza, humanidade, competência e empatia...


Lisboa > Palhavã > Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil... Em 2023 vai fazer cem anos... Foi em 1923, na I República,  sendo ministro da Instrução António Sérgio (1883-1969), que nasceu o futuro Instituto Português de Oncologia (IPO), designação dada em 1930. Graças à visão estratégica do seu fundador, o médico Francisco Gentil (Alcácer do Sal, 1878 - Lisboa, 1964) , o IPO ficou desde logo ligado à Faculdade de Medicina, mas com total autonomia financeira e administrativa. O primeiro pavilhão começou a receber doentes em 1927. Em 1948, foi inaugurado o bloco hospitalar central (foto acima), com projeto do arquiteto alemão Hermann Distel (1875-1945), o mesmo que projectou, em 1938, os Hospitais de Santa Maria (Lisboa) e São João (Porto).  Faz parte hoje do SNS - Serviço Nacional de Saúde. (LG)

Fonte: IPO de Lisboa > História (com a devida vénia)

Soneto do paciente do IPO

por Luís Graça

[Com a minha gratidão para com as técncas de radioterapia Dina, Maria João, Rosa e a estagiária Inês,  da jovem e fantástica equipa da unidade 3 do serviço de radioterapia do IPO de Lisboa... Há várias semanas que passo por lá, de manhã, em tratamento... E enquanto a máquina [, um "acelerador linear",] me "bombardeia" com radiações ionisantes, em estou deitado a olhar para uma "nesga de céu azul" donde se destaca um ramo de macieira, árvore sagrada na antiguidade clássica: conto e reconto mentalmente, todas as manhãs, de segunda a sexta, os 17 flores da macieira (três ainda em botão), cada flor com 5 pétalas e 20 estames... Ao todo são, 70 pétalas e 280 estames... E na semana passada, para me ajudar a passar o tempo e esquecer a dor provocada pelo controlo dos esfíncteres, fiz este soneto, que só posso dedicar a quem tão bem cuida de mim, com grande gentileza, humanidade, competência e empatia... Sempre que temos 1 minuto, enquanto elas imobilizam o meu corpo com precisão milimétrica, vamos comunicando verbalmente, o que é fundamental na relação terapêutica.] 


Hoje não quero ver as flores da macieira

Na nesga de céu desta sala de tortura,

É p'ra teu bem, mas é dia de amargura,

Diz o teu anjo da guarda, à cabeceira.


Aqui tens de aprender a ser paciente,

Vir de reto limpo e cheia a bexiga,

E confiar na radioterapia amiga,

Que te bombardeia algures no baixo ventre.


É a próstata, meu Deus, que te deu sinal,

Coisa que no céu nunca te aconteceria,

Belisca-te, estás vivo, mas não imortal.


Ao mal o mal, diz o hipocrático aforismo,

Faz da tua dor princípío de alegria,

E a quem cuida, sim, dá medalhas... de heroísmo!


Lisboa, IPO, Serviço de radioterapia, unidade 3

16 de abril de 2021

___________

Nota do editor:

Útimo poste da série > 6 de abril de 2021 > Guiné 61/74 - P22074: Manuscrito(s) (Luís Graça) (203): Para a Joana, que hoje faz anos: "E os adultos, esses, já morreram todos. Só ficaram as crianças, sozinhas, a envelhecer” (Louise Glück | Frederico Pedreira, "Uma Vida de Aldeia", Lisboa, Relógio de Água, 2021, p. 133)

Vd. também poste de 28 de março de 2021 > Guiné 61/74 - P22047: Manuscrito(s) (Luís Graça) (201): O pôr-do-sol no Atlântico, no tempo do não-tempo do confinamento (Luís Graça)

(...) Na unidade 3 da radioterapia do IPO, o teu "céu" (iluminado) é a foto de um ramo de macieira ["Malus domestica"], com 17 flores (3 ainda em botão)... Cada uma das 14 flores tem cinco pétalas. brancas, e 20 estames... "Be patient"!.... Afinal é apenas meia hora por dia em que tens de estar de barriga para o ar, absolutamente imóvel, as mãos pousadas no peito... O único escape a que te podes dar ao luxo é (re)contar mentalmente as flores, as pétalas e os estames das flores da macieira... projetadas no tecto.

É uma boa terapia para a ansiedade inicial e a claustrofobia: ajuda-te a passar o tempo deste não-tempo enquanto o robô anda à volta do teu corpo, "bombardeando-te" com radições ionisantes... Protésico e agora radioactivo... Não, emenda a radioterapeuta Dina. É um tratamento não invasivo, avançado, seguro... Confia nos teus anjos da guarda!.

A flor, branca, da macieira tem sobre os frágeis seres humanos (mesmo os mais durões que andaram na guerra) um efeito mágico, tranquilizante, securizante e promissor. A esperança é uma crença poderosa. Talvez o "truque" não passe de um placebo, mas tem uma eficácia terapêutica simbólica, não menos poderosa que as radiações. A flor da macieira não está lá por acaso, no meio daquele "bunker" das tecnologias da saúde de ponta... E ficaste frustrado quando, por lapso, um dia não acenderam a luz do teto... (Dizem-te que nas outras unidades os motivos que enfeitam o "céu do paciente", são diferentes: nuvens, ondas do mar, palmeiras, outras árvores de fruto...)

Hércules roubando as maças do Jardim das
Herpérides. Detalhe do mosaico romano dos Doze Trabalhos 
de Hércules (Llíria, Valência , Espanha ) (séc. III d.C.). Museu 
Arqueológico Nacaional de Espanha. Foto de Luis García ( Zaqarbal )
(2006). Fonte: Cortesia de Wikimedia Commons.

A macieira simboliza a vida, a saúde, o amor, a sabedoria, a felicidade no futuro mais que perfeito,.. Quiça a inortalidade. 
Está presente em muitas das mitologias da nossa antiguidade. Na mitologia grega, a Mãe-Terra, Gaia, deu uma macieira a Hera, como prenda de casamento com Zeus, o deus dos deuses... Na nossa cultura judaico-cristã, a macieira é a árvore do conhecimento e a maçã um fruto proibido... 

Afinal, os deuses têm alguns dos defeitos dos humanos: tãmbém são possessivos, ciumentos, vingativos e... cruéis: a macieira sagrada estava no Jardim das Hespérides, e era bem guardada por um dragão, Ladão. Ao herói Hércules (, o nosso Adão...) foi incumbida a tarefa ("hercúlea") de roubar uma maçã daquela árvore. Um dos doze trabalhos de Hércules era justamente "ir roubar" ao pomar de Hera, onde crescia a macieira que dava as maçãs douradas (ou "pomos de ouro" da imortalidade... Hera odiava Hércules, 
filho bastardo de Zeus... 
 Pobres de nós, que precisamos de deuses e de heróis!... 
Mas isso ajuda-nos a suportar a nossa condição mortal, 
pensando que somos heróis, mais do que homens, menos que deuses!)
 
Contas e recontas as 14 flores de macieira na tua nesga de céu, artificial, mais as 70 pétalas, brancas, e os 280 estames. Um pequeno suplício de Sísifo, aceitável, de segunda a sexta-feira. Só tens que aprender a controlar os esfíncteres. Vais de bexiga cheia (e o reto limpo...) com 0,666 litros de água da EPAL (que sempre é mais barata). "Dia de purga, dia de amargura", diz o aforismo hipocrático... Mas já lá vai o tempo do nosso senhor dom João V em que se escrevia nos muros do Hospital Real de Todos os Santos: "Em Lisboa nem sangria má, nem purga boa"... Espantoso, não há grafitos nos muros do IPO de Lisboa... Os grafiteiros têm medo do cancro que se pelam!... O IPO é, de certo modo, um campo sagrado...

Um dia destes talvez saia um poema... à flor da macieira, e às meninas, delicadas e dedicadas, da equipa multidisciplinar da unidade 3 da radioterapia do IPO. Mal se comunica, cuidadores e pacientes, porque está tudo cronometrado ao minuto. Há 7 unidades destas, é um verdadeira linha de montagem. Segunda-feira, quando voltares ao tratamento, no fim podes riscar mais um "pauzinho" no teu "vademecum": das 28 sessões prescritas faltar-te-ão só 22... E na terça, 21, e na quarta, 20, na quinta, 19...

(...) Como no tempo do não-tempo da Guiné, em que não havia calendário, e o tempo do não-tempo da guerra era contado por riscos nas paredes sujas dos "bunkers"... ou das casernas. Não havia céu nem imagens de flores de macieira, apenas rachas de cibes, chapas de bidão e terra batida. Nem muito menos te estava prometida a imortalidade e o estatuto de semideus (ou herói) de Hércules...

Há quem se queixe de tudo e de nada. Podias queixar-te da Pátria que te roubou 36 meses de vida... Mas para quê ? Afinal, entraste no segundo ano da "comissão de serviço" imposta por esta maldita pandemia de Covid-19. E ainda ninguém  te viu apresentar queixa na competente repartição do Olimpo. Disseram-te que não valia a pena: afinal, há casos muito mais graves que ocupam o tempo do não-tempo do teu Criador...

Espera, ao menos, que Zeus e Hera continuem a estimar, e a cultivar, nos jardins do Olimpo, as macieiras... E que Higia, a deusa da saúde, te proteja...E lembrando-te sempre que a palavra terapeuta, que vem do grego "therapeuthes", é apenas um "medium, aquele que faz a ligação com o deus que cura... Cuidar e curar não é a mesma coisa. Cuida-te. Ámen.(...)

23 comentários:

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Camaradas, vigiem-me bem o safado do PSA...

Anónimo disse...

Bom dia Luís.
Cá estaremos para te vigiar do safado PSA. O meu, por enquanto é benigno. Lá o vou Martelando com o "Combodart"!
Ajudar-te-emos nesses momentos de "clausura": Juntos venceremos!
Hoje, agora, és tu. Amanhã serei eu. E outros se seguirão. Já passamos por "coisas-bem--mordazes e conseguimos levar "a-nossa-por-diante"!
Força Luís que ninguém nos "leva-perna". Nós não deixamos!
Vasconcelos

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Obrigado, Álvaro Vasconcelos, pela tua nota de incentivo e o teu comentário moderadamente otimista... Temos queue desmistificar algumas das doenças que nos atingem depois de "reformados da guerra" mas não da vida...

Há ainda um certo tabu, ou melhor, pudor masculino, em falar dos problemas de saúde do aparelho reprodutor masculino, em geral, e da próstata em particular. Esse tabu e esse pudor podem custar vidas e muito sofrimento. Na doença, nada como "pre-venire", ou seja, "chegar antes de"...

Não há razão para não falarmos aqui destas "coisas", incluindo o "toque retal" que é um meio de diagnóstico clínico se calhar mais certeiro e valioso do que muitas ecografias protásticas com que nos massacram no "privado"...

Valdemar Silva disse...

O safado PSA é uma grande chatice.
Parece que fomos programados para chegar até aos 50, vá lá, agora já estamos com um novo programador a aguentarmos até aos 70 e, quando setenta não se tem a certeza, acontece-nos disto.
Havia os propagandistas, também conhecidos por políticos e vendedores de banha da cobra (interessante analogia), que apareciam nas feiras ou em largos das localidades vendendo chás pra bexiga, mal sabia ele e os homens compradores que o seus problemas eram PSA.

Força Luís
Valdemar Queiroz

Valdemar Silva disse...

Queria dizer 'também conhecidos por politiqueiros...'

Valdemar Queiroz

Anónimo disse...

Luís, boa tarde e que o dia acabe bem!
Queremos mais assim, bem cumpridos. Ou, então, com sofrimentos moderados! Se assim for, será o que de mais razoável a vida nos reservará.
É claro que sou otimista, mas por vezes engano-me a mim mesmo.Certamente que tudo o que nos rodeia, são derrotas bastante sentidas! Mas...sem tabus, até já fui sujeito a duas sessões de "ferradelas", com extracção de amostra para análise!
Como escreve o Valdemar (cumprimentos...), programaram-nos até aos 50. Foi a partir dessa idade que eu comecei com os tratamentos da "dita". Em 2007, uma biopsia ecodirigida. Depois, sempre em crescendo, até que nos programaram até aos 70. Agora com 73, recentemente cumpridos, resta manter a vigilância, como recomendas.
Mesmo assim, a última "ida-à-balança" (2018/8/28) indicou 0,688ng/ml e 4.000!
Vamos indo e vamos vendo!
Um abraço.
Vasconcelos

Alberto Branquinho disse...

LUÍS

FORÇA!
Um abraço.
Alberto Branquinho

Hélder Valério disse...

Meu bom amigo Luís

Esta tua homenagem a quem, com zelo, competência e dedicação tem cuidado dos teus padecimentos é bem merecida. Mas deixa também transparecer o teu desconforto.
Espero, muito sinceramente, que tenhas também capacidade de reforçar a esperança de que "tudo vai ficar bem", após essas sessões de tratamento.

Como talvez te recordes, já que cheguei a dar conta disso, também fui intervencionado à próstata fez 3 anos no último dia de Fevereiro passado. Não me recordo exatamente quando (penso que foi quando decorreu um ano) mas sei que fiz um texto em que relatava a evolução que levou a essa intervenção no "Hospital dos Franceses" (Hospital de St. Louis), no Bairro Alto.

Houve quem me recriminasse por expor coisas ou questões do foro pessoal, íntimo, mas a minha intenção foi o de dar testemunho e servir de alerta para que não protelem as coisas.
Julgo ser também essa a tua intenção do teu comentário a este post, com o simples mas bastante forte, quase um grito de "Camaradas, vigiem-me bem o safado do PSA...".

É isso. O PSA não será nenhum "nariz de santo" mas é um indicador bem seguro. O seu limite é 4 mas sei de pessoas que o têm mais alto e não se trata obrigatoriamente de cancro.
Quando estava na SAPEC os médicos da Empresa (medicina geral e do trabalho, este o nosso camarada da Guiné, Valente Fernandes, embora nesses tempos nunca tivéssemos falado dessas "experiências africanas") falaram muitas vezes da necessidade e utilidade de fazer esse controlo. E sempre que requisitavam análises lá estava o PSA, que se revelava sempre bom.

E assim foi.... até que começou a subir. Lenta, paulatinamente, mas sempre em crescendo.
Havia que despistar se seria apenas uma "normal" HBP (hiperplasia benigna da próstata) coisa a que os seres do sexo masculino (curioso, aqui não haver lugar a "questões de igualdade de género") estão todos sujeitos ou se teria evoluído para "outra coisa".

Decorreram alguns meses (talvez até mais de um ano) e como a coisa não revertia ou estabilizava com os medicamentos entretanto tomados, foi necessário tomar outras iniciativas como um TAC, depois biópsia de fusão, que determinou o carcinoma.
Colocadas pelo médico as intervenções possíveis, cada qual com as suas vantagens e inconvenientes, o "conselho de família" fez-me optar pelo que chamam a "braquiterapia" consistindo na introdução na próstata, envolvendo todas as zonas identificadas, de isótopos radioativos de iodo 125 (que eles designam carinhosamente por "sementinhas").
Correu bem. Pelo menos até à data. Depois de amanhã vou a novo controlo.

Portanto Luís, a chave para o sucesso desse combate é a sua determinação tão precoce quanto possível. E depois é confiar nos tratamentos.

Hélder Sousa


Manuel Luís Lomba disse...

Olá, Luís:

O teu poste comove, é um hino à vida, um tratado de sinceridade e é gratificante ver que tu, na tua circunstância, não perdeste a vontade de ajudar, recomendando-nos o cuidados com o "safado do PSA".

Antes de ter sido operado à dita, julgava que PSA era um fábrica de automóveis...

Ânimo e força, Luís. Vencerás!

Manuel Luís Lomba



Antes de

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Obrigado, manos (, quando me dá para o sentimento, trato-vos por manos..., só tenho manas)!

Afinal somos camaradas para o bem e para o mal... A doença (e a experiência de doença) tal como a guerra são duas situações-limite que aproximam os seres humanos e desenvolvem a nossa capacidade de empatia...

Eu nas minhas aulas ensinava estas coisas, a importância da relação médico / prestador / cuidador - doente / paciente... Mas era um teórico do caraças!... Mas faltava-me o "pôr-me na pele do outro"... Faltva-me dormir na cama de um hospital...

Fui um sortudo do caraças, até aos 70 anos, grosso modo, não soube o que era um bloco operatório: minto, fiz há uns aninhos uma operação a um joanete e depois (há coisa de 7 anos) uma artroscopia...

Mas fui sempre um gajo "saudável", ou achava que era... Depois da reforma, comneçaram a aparecer as mazelas: (i) perda de acuidade auditiva; (ii) agravamento dos problemas do aparelho locomotor; e, depois (iii) a prostatazinha (que começou a disparatar, 4, 5, 7, 9...).

Nunca consumi tanta "imagiologia" como nestes últimos quatro anos... Felizmente encontrei o dr. Rodrigo Ramos, um grande senhor urologista do IPO - Lisboa... com idade para ser meu filho. Encontrado o Norte, eu só preciso... "to be patient"... Agora entendo porque que é que os médicos hospitalares embirram com a palavra "utente"...

Goosto de brincar com estas "coisas sérias" que nos provocam "cagaços", e costumo dizer que sou "protésico e radioativo"...

E nestas coisas a poesia, a escrita, o blogue, a blogoterapia.. também ajudam com'ó caraças!... Depois da família, dos amigos, dos camaradas... e, claro, os nossos profissionais de saúde (que eu também ajudei a formar...) e de quem tenho muito orgulho, seja no público ou no privado!...

A todos/as estou muito grato!...

PS - E amanhã, pelas 11h, ao sair do serviço de radioterapia do IPO - Lisboa, espero poder dizer à Alice que me vai buscar: querida, só já faltam 7 sessões das 28 programadas!...

Anónimo disse...

Luis, depois do que li, nada me resta para acrescentar, primeiro porque a minha ignorância é brutal sobre doenças, e segundo porque tenho, não medo, mas um horror incontrolável, apesar de caminhar nos meus 78 anos, sem felizmente passar por estas coisas, ditas normais para o sexo masculino. Deus nos livre!
Resta-me desejar que amanhã a tua Alice te vá buscar ao fim de mais uma sessão, e que o mesmo aconteça nas restantes sessões, com resultados positivos.
Não sei onde vais buscar alento e força para continuar a seguir com esta garra a comentar no blogue, talvez porque isso ajude, e faça 'esquecer' por momentos essa tremenda aflição.
Vamos pedir aos nossos Deuses, que ultrapasses tudo, como o conseguiste nas picadas da Guiné.

São os desejos do 'mano' Virgilio.

Virgilio Teixeira

antonio graca de abreu disse...

Um abraço, Luís, não te sabia empanado. Foste à luta e vais vencer.

António Graça de Abreu

Anónimo disse...

Ao escrever este comentário, ao mesmo tempo recebi o teu email, Bcc, que não o tinha lido ainda.
Foi só uma coincidência.
Virgilio Teixeira

Anónimo disse...

Caro LUÍS
És protésico mas não radioativo

Esclarecimentos à comunidade ex-combatente;
o toque rectal apenas dá uma informação ao médico e depende da própria sensibilidade tátil do dito.
A P.S.A. é uma análise de controle e fornece a informação do grau de inflamação da próstata.
O diagnóstico faz-se através de ecografia e é confirmado pela anatomia patológica se for feita biopsia.
Todos devem fazer um rastreio de dois em dois anos.
Sinais de alarme são: dificuldade em urinar com jato fraco e eventualmente sangue na urina.

Nos tempos atuais sendo diagnosticado precocemente é curável assim como quase todos os tumores.

Todos temos aumento da próstata que ao comprimir a bexiga esta não consegue reter mais do que em média 200cc de urina, daí a frequência em fazer o dito cujo "xixi".

CARO LUÍS, RENOVO O MEU ABRAÇO SOLIDÁRIO COM A CERTEZA QUE VAIS VENCER.

C.Martins

Fernando Ribeiro disse...

Caríssimo Luis,

Fiquei muito sensibilizado pelo teu soneto. Não te deixes ir abaixo e continua a dedicar-te ao teu blog. Pode não parecer, mas ajuda a vencer a ansiedade. Estou aqui neste lado a torcer para que o resultado final seja o que mais desejas. Rezaria por ti se fosse crente; como não sou, faço figas.

Fernando de Sousa Ribeiro

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Obrigado,Fernando, aceito as tuas figas...Tu és um grande exemplo de como um homem pode e deve sorrir à adversidade com meia cara...Uma boa madrugada para ti...LG

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Meu caro C. Martins, como médico não podias ser mais preciso é pedagógico! Dizes tudo o que é essencial. Obrigado pelo "ombro amigo"!...LG

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Obrigado, Virgílio, obrigado,António... Desta vez dormi cinco horas seguidas e li os vossos comentários que são um legítimo e um excelente incitamento para vencer mais um dia de amargura...Há coisas bem piores,não quero ser piegas nem sentir-me coitadinho... Admiro,sim, a coragem daqueles e daquelas (80 % são mulheres) que nos tratam no IPO.E lá estão no seu posto, quer faça chuva ou sol.E penso nos doentes que vêm todos os dias, de longe, de ambulância, alguns bem longe, do Sul.

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Queria dizer: "lenitivo" e não "legítimo"...

Tabanca Grande Luís Graça disse...

Afinal,quem disse que até aos 100 é sempre em frente, era um brincalhão. É preciso não esqué certamente, camaradas, as minas e armadilhas da picada... O PSA é uma delas...

Anónimo disse...

Antonio Levezinho (by email)
segunda, 19/04, 23:04


Caminhar em boa companhia é sempre desejável, sobretudo quando a via que nos conduz ao outro dia é dolorosa.

Este teu velho amigo, embora a correr por fora, está a torcer para que chegue
em breve o momento de transpores a fita da meta.
Lá estarei para te abraçar.

Tony

Anónimo disse...

eduardo francisco
terça, 20 abril 2021, 04:38

Meu caro Luís, comandante chefe deste exército de memórias e solidariedade!!!

O texto que escreveste, acompanhado pelo belo poema de homenagem e reconhecimento á equipa que te acompanha, demonstra a força interior que te norteia e os princípios pelos quais reges a tua vida. Um homem com a tua envergadura moral e mental, vai de certeza ganhar esta batalha. Tudo vai correr bem!!!
Um grande abraço fraterno.
Eduardo Estrela

Anónimo disse...

Em primeiro lugar agradecer ao Luis Graça o aviso à "navegação" sobre o PSA.
Desejar-lhe restabelecimento rápido, pois o blogue não pode e não deve ficar sem comandante.
Luis Graça usa aquela frase bem conhecida dos páras:"Que nunca por vencido te conheças"-
Por último talvez o C.Martins que é médico (se não estou errado)te possa dizer a ti ou a nós, se é verdade que o exercício físico é benéfico para prevenir ou retardar esta história da prótata.
Um abraço de solidariedade do
Carlos Gaspar