segunda-feira, 22 de junho de 2015

Guiné 63/74 - P14781: Memória dos lugares (295): Gadamael Porto, 1974 (Carlos Milheirão, alf mil, CCAÇ 4152/73, Gadamael e Cufar, 1974)


Guiné > Região de Tombali > Gadamael > 1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 1 > O Carlos Milheirão no obus 14, e por detrás, assinalados por seta e  legenda, o depósito de géneros e a enfermaria



Guiné > Região de Tombali > Gadamael > 1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 19 > Em primeiro plano, o autor das fotos, temdo atrás o depósito de géneros e a enfermaria




Guiné > Região de Tombali > Gadamael >  1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 15 > Legendas, da direita para a esquerda (i) portadas da messe; (ii) depósito de géneros e enfermaria; (iii) canhão sem recuo; e (iv) geradores elétricos (?).



Guiné > Região de Tombali > Gadamael >  1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 21 > O Carlos Milheirão no espalddão do obus 14. Legendas: da esquerda para a direita: (i) aqui provavelmente estava uma das metralhadoras; (ii) obus 14; (iii) algures por aqui havia um canhão sem recuo; e (iv) depósito de géneros e enfermaria.



Guiné > Região de Tombali > Gadamael >  1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 23 > Crianças... Legendas: (i) bolanha /cais; (ii) depósito de géneros e enfermaria; e (iii) enfermaria / abrigo.



Guiné > Região de Tombali > Gadamael > 1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 18 > Aspeto geral do aquartelamento... Legendas, da esquerda para a  direita: (i) abrigo; (ii) bandeira; (iii) padaria (?); (iv) cozinha e messe de sargentos; (v) messe e bar de oficiais; (vi) estas telhas certamente "voaram" com um disparo de obus para a mata do Cantanhez (Jemberém); e (v) espaldão de obus 14


Guiné > Região de Tombali > Gadamael >  1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 8 > Legendas: (i) abrigo; (ii) geradores elétricos (?); e (iii) bandeira (quando se içava ou arriava, os cães vinham para ali e uivavam ao toque do clarim)


Guiné > Região de Tombali > Gadamae >  1974 > CCAÇ 4152/73 > Foto nº 9 > Da esquerda para a direita: (i) bolanha; (ii)  algures por aqui havia um canhão sem recuo; (iii) obus 14; (iv) depósito de géneros e enfermaria; (v) bolanha/cais; e (vi) tabanca.



Fotos (e legendas): © Carlos Milheirão (2015). Todos os direitos reservados (Edição: LG).



1. Mensagem, de 17 do corrente, enviada por  de Carlos Milheirão (ex-alf mil, CCAÇ 4152/73, Gadamael e Cufar, 1974):

Assunto - Gadamael Porto 1974


Bom dia

Tomo a liberdade de enviar em "anexo" algumas imagens de Gadamael para que, se assim o entender, publicar no "Blog".

Cumprimentos

Carlos Milheirão
(Ex-Alferes Miliciano da CCAÇ 4152)

2. Comentário do editor:

Obrigado, camarada, são fotos preciosas, ainda para mais convenientemente legendadas. Manda mais, de Gadamel e de Cufar, terras do fim do mundo onde passaste e penaste, já no fim da guerra. Sabemos que estiveste lá, na mítica Gadamael, entre fevereiro e julho de 1974. Tens, por certo, ainda muitas histórias para nos contares. Um abraço dos editores.

_______________

7 comentários:

José Botelho Colaço disse...

Muito bem aqui está um bom trabalho de fotos falantes, com legendas muito elucidativas.

Hélder Valério disse...

Caro camarada Carlos Milheirão

Fizeste bem em nos facultar essas fotos.
Ainda por cima, legendadas.

Nós, que conhecemos os 'ambientes', podemos relembrar. Os outros podem ter uma visão mais abrangente.

Abraço
Hélder S.

Luís Graça disse...

Era bom que os nossos camaradas gadamaelistas comentassem as fotos e as legendas do Carlos Milheirão... Este camarada está a dar um bom exemplo a todos nós, ao fazer um esforço de memória para reconstituir ou identificar os principais sítios do aquartelamento...

Manuel Reis disse...

Caro amigo Carlos Milheirão.

Não identifico essas fotos da minha estadia em Gadamael em Maio/Junho de 73. As fotos que reconheci referem-se ao posto das transmissões, já esventrado.Ainda retenho a imagem do posto de enfermagem. Lamento não possuir fotos, teria imenso gosto em as publicar.

Um abraço.

Manuel Reis.

Anónimo disse...

Basicamente as legendas estão correctas

O Milheirão aproveitou-se da artilharia para fazer fotos para a família.

Onde diz bolanha é o "rio".
por aqui estava um canhão s/r--era o célebre canhão "meus senhores isto carrega-se assim e dispara-se assim...e "BUMMM"..e posteriormente colocaram um cartaz "é proibido cagar em frente ao canhão"
A bandeira tem aspecto de nova..as fotos devem ter sido tiradas em maio de 74..porque foi nessa altura que se começou a arrear e içar a bandeira...antes dessa data ficava no pau em permanência.
O PELART tinha como mascote um cão que uivava com as "saídas" das flagelações IN e ia calmamente refugiar-se no abrigo das transmissões..não sei se uivava com o toque de clarim para arrear e içar a bandeira ..julgo que isso só começou a ser feito após os contactos com o paigc e até à retracção.
Quando se fez fogo para o perímetro de Jemberem e apesar de estar relativamente longe o telhado da messe a onda de "choque" levantou algumas telhas ..convém realçar que os tiros foram feitos com carga 4 (máxima)
Estas fotos apenas revelam uma parte de Gadamael o de "baixo"...onde estavam duas companhias de caçadores ..pelart..ferrugem..etc.. no de "cima"..paralela à pista estava uma CcaV..

Caro Manuel Reis..muita coisa se modificou entre a tua breve estadia e o fim.

Um alfa bravo para o Milheirão e restantes gadamaelistas.

C.Martins

Anónimo disse...

Camarada Milheirão:
As fotos publicadas fazem-me lembrar o Poste 11859, onde algumas foram publicadas, bem como o croquis do Aquartelamento para cuja elaboração foram fundamentais. Foi um trabalho de vários camaradas para fazer a reconstituião, entre os quais tu te incluis. Obrigado amigo!... Talvez ainda volte a recorrer a algumas fotografias, quando voltar a tratar o ataque a Gadamael.
Desculpa o meu comentário ir um pouco atrasado, mas o S. João aqui para o norte não perdoa... Um abraço.
Manuel Vaz

Anónimo disse...

Olá a todos:

Relativamente ao comentário do C. Martins "meus senhores isto carrega-se assim e dispara-se assim...e "BUMMM", quando fala no disparo acidental do canhão a que me refiro numa das fotos. Na altura do disparo, encontrava-me do lado esquerdo (ombro com ombro)do soldado que ficou mutilado. lembro-me que os calções dele desapareceram literalmente, assim como um dos testículos. O outro ficou à dependurado. Quanto a mim, além de ter sido projectado para trás, e apesar de também sofrido algumas queimaduras do lado direito, corri para a enfermaria a gritar por uma maca para o soldado ferido. O José Gonçalves, que se encontrava à direita do soldado ferido, também sofreu queimaduras e ouros ferimentos que o levaram à evacuação para o hospital de Bissau. Já pela noite dentro, quando de facto reflecti no que tinha acontecido, entrei em "paranóia" e andei a deambular pelo aquartelamento até que o furriel Alberto Moreira (já falecido) me foi buscar, levando-me para a enfermaria-abrigo. Fizeram-me uma lavagem ocular e vendaram-me os olhos. Nos 3 ou 4 dias seguintes foi necessário "descolar-me" as pálpebras com soro fisiológico para que pudesse abrir os olhos. Além dos olhos (conjuntivite provocada pela "ejecção" do canhão, fiquei com o bigode e toda a parte direita da face e da cabeça, bem como o braço direito, todos "chamuscados".

Abraço a todos

Carlos Milheirão