domingo, 29 de maio de 2016

Guiné 63/74 - P16144: Ser solidário (197): Ler faz crescer - uma alegria em Cumura: texto e fotos dos nossos amigos Ana Maria Gala e João Martel















Guiné-Bissau > Cumura >  Missão da Cumura > A nova biblioteca!


1. Mensagem dos nossos amigos Ana Maria e João Martel:


Foto da página do Facebook  Um Pé na Guiné

 Data: 16 de abril de 2016 às 22:16

Assunto: Ler faz crescer - uma alegria em Cumura


Não podíamos deixar de partilhar com os amigos deste projecto "um pé na Guiné" mais esta grande alegria!

Damos graças a Deus e desejamos que uma luz única e maravilhosa se abra em cada uma destas pequenas mentes.

Agradecemos profundamente a todos os amigos e benfeitores que vão tornando isto possível.

Um abraço da Guiné!

Ana Maria e João

2. Ser solidário > Um pé na Guiné > 13 de abril de 2016 > Ler Faz Crescer!


[Um pé na Guiné: projeto criado por dois jovens profissionais portugueses, um médico, João Martel,  e uma professora do 1º e 2º  nciclos,, Ana Maria Gala,  que se propuseram a colaborar, pelo período de um ano, com a Missão de Cumura - uma missão humanitária Franciscana, na Guiné-Bissau. Cumura é uma pequena aldeia que se situa a 12 km de Bissau e que há mais de 50 anos conta com a presença Franciscana. Estes jovens, e nossos amigos, nossos grã-tabanqueiros, estão aqui deste setembro de 2015... e vão ficar  até ao próximo mês de junho, portanto mais uns dias ou mais umas semanas. O seu objetivo é(era) trabalhar para a continuidade da missão e para a formação de recursos humanos, colaborando no hospital e na escola de Cumura.  Parabéns pela obra feita e sobretudo pelo exemplo generoso e solidário. Bom regresso a casa.  LG]


Texto e fotos por  Ana Maria Gala e João Martel

– "É amanhã que libertamos aquela sala!"..,
– "Já pedi para limparem a sala",..
– "Tem de ser aquela, tem mais luz"...

Muito andávamos a conspirar para começar os trabalhos da nova biblioteca dos mais pequenos. Hesitações sobre o espaço, a disposição das estantes, a catalogação das obras, os novos bibliotecários a contratar e ensinar… Como em todos os empreendimentos, havia que começar!

Num sábado de Fevereiro pela manhã, arregaçámos as mangas, caixotes para dentro do carro, panos na mão e entrámos em acção! Uma pequena equipa de trabalho de 5 maduros fez-se ao pó e às tralhas da velha sala de professores, para fazer nascer ali um novo espaço para o conhecimento. Fazer a triagem dos materiais ali esquecidos, dar o justo destino aos livros de ponto do século passado, tirar grandes teias de aranha, arrastar as pesadas estantes,  tudo se justificava para aproveitar a boa luz daquela sala! Os professores iriam ter um novo espaço também, mais funcional e arrumado.
Desencantaram-se algumas mesinhas que os amigos de Itália tinham doado, reaproveitaram-se estantes que não estavam em uso e, praticamente a custo zero, o novo espaço começou a ganhar forma.

Para dar as boas-vindas aos nossos alunos, prontificou-se o nosso amigo “Honório Leitor” – um pequeno peixe que tinha chegado aos mares da Guiné, pela amizade de quem o enviou de Portugal, e que encontrou o seu lugar de anfitrião.

Se o Honório já tinha lugar….. era hora de inaugurar! E assim foi: no dia 31 de Março, fez-se a abertura e apresentação do espaço aos professores e alunos. A curiosidade já era muita e, ao verem a sua nova biblioteca, os sorrisos mostraram-se, com ânsia de folhear aqueles mundos desconhecidos (e houve quem o fizesse logo, não conseguindo esperar).

No fim da apresentação a cada turma e respectivos professores, muitos agradeceram a generosidade dos amigos de Portugal. Os professores salientaram a importância desta doação para os alunos de Cumura, dado que as crianças e jovens na Guiné têm muito pouco acesso a livros, no geral, e particularmente a literatura adaptada à sua idade.

O funcionamento da biblioteca só é possível garantindo o apoio e vigilância do espaço nos períodos da manhã e da tarde. A escola comprometeu-se com a contratação de dois bibliotecários, dois jovens da comunidade de Cumura, um deles ainda aluno do Secundário. Têm recebido alguma formação e começaram já a desempenhar as suas tarefas de forma aplicada, recebendo uma pequena quantia mensal.

Desde a abertura da biblioteca, assim que toca a sineta, fazem-se corridas para chegar primeiro, já que a capacidade do espaço não é grande (cerca de 18 alunos sentados). Muitos decoram o lugar do seu livro na estante para conseguir apanhá-lo antes de outros.

E a nós é isto que nos faz correr. Os resultados são bonitos de se ver.

Nota: Esta biblioteca só se tornou possível com o contributo de muitos amigos e benfeitores de Portugal. Desde a doação, à reunião, triagem e encaixotamento, expedição e recepção dos livros, inúmeras pessoas trabalharam afanosamente para este resultado. Queremos lembrar aqui:

– Familiares e amigos – em especial a Inês Martel e a Maria e Isabel Gala, que foram pontos de contacto, embaladoras e verdadeiras promotoras e dinamizadoras deste projecto;

– Os alunos do Secundário do Liceu Pedro Nunes, que reuniram e continuam a reunir várias obras para os colegas de Cumura;

– A Fundação João XXII [, com sede em Ribamar, Lourinhã], que tornou possível o transporte da maioria destas obras para a Guiné, sem custo para nós;

– Os colaboradores da Fundação Calouste Gulbenkian, que se mobilizaram para reunir um conjunto importante de obras de literatura infanto-juvenil.

__________________

Nota do editoral:

Último poste da série > 5 de março de  2016 > Guiné 63/74 - P15822: Ser solidário (196): Vamos ajudar a ONGD "Ajuda Amiga", com a consignação de 0,5% do IRS... Notícias: A "Ajuda Amiga" (i) tem novo sítio na Net; (ii) tem novos corpos sociais para o biénio de 2016-17; e (iii) os seus dois cententores deste ano já chegaram a Bissau (Carlos Silva)

1 comentário:

Tabanca Grande disse...

São dois meninos de ouro, a Ana Maria e o João. Temos muito orgulho em vocês. O ano passou tão rápido, mas também já devem ter saudades de casa...

A Cumura vai ficar mais pobre sem a vossa presença física, mas fica lá a vossa energia positiva, contagiante, e o vosso "bom irã", num dos poilões da Cumura...

Li com agrado a vossa crónica, e dou-vos os parabéns pela biblioteca dos pequeninos!... É a melhor prenda que podemos dar às crianças da Guiné, uma biblioteca! Agora é preciso alimentá-la cpm boas obras da nossa literatura infanto-juvenil, de língua portuguesa, de várias proveniênicas, de Portugal a Angola, do Brasil a Cabo Verde, de Timor a Moçambique...

Conheço bem o padre Batalha, que está na Lourinhã há muitos anos, é amigo da minha família e que tem dirigido a Fundação João XXI - Casa do Oeste com ecumenismo e grande dedicação. Daqui vai também um grande abraço para ele.

Temos que pensar no que poderemos fazer juntos, vocês, "Um Pé na Guiné", a Casa do Oeste, a Missão da Cumura e a nossa Tabanca Grande. Os meios não são muitos mas a vontade é grande, e o nosso blogue é uma ponte, um elo de ligação, entre povos e gerações...

Façam boa viagem de regresso a Portugal. E tirem umas "chapas" para a gente mostrar aos antigos combatentes (e demais amigos) bque continuam a trazer a Guiné no coração, apesar de tudo, o que aconteceu no passado e continua a acontecer, adiando a concretização de muitos dos nossos sonhos comuns, portugueses e guineenses.

Um xicoração do Luís Graça