terça-feira, 31 de maio de 2016

Guiné 63/74 - P16150: In Memoriam (259): José Manuel P. Quadrado (1947-2016): mais um bravo do 1º pelotão da CCAÇ 12 (Contuboel e Bambadinca, 1969/71) que nos deixa, 47 anos depois de desembarcarmos em Bissau; vivia na Moita, foi 1º cabo apontador de dilagrama, e comandante de secçcão: vai simbolicamente repousar sob o poilão da Tabanca Grande... Que a terra da tua Pátria te seja leve, camarada!


Guiné > Zona leste > Setor L1 > Bambadinca > CCAÇ 12 (1969/71) > Malta da CCAÇ 12: da esquerda para a direita:

(i) o 1º cabo José Manuel P Quadrado (que era apontador de armas pesadas de infantaria; pertencia à 1ª secção do 1º Gr Comb, comandado pelo alf mil op esp Francisco Magalhães Moreira; além de apontador de dilagrama, comandava a 1ª secção; fazia as vezes de furriel, pagavam-lhe como cabo); 

(ii)Abílio Soares, 1º cabo at inf, da 3ª secção do 1º Gr Comb (vivia em Lisboa, e terá falecido há muito. em circunstâncias misteriosas, segundo nos relata o Fernando Sousa);

(iii) João Rito Marques (1º Cabo Manutenção de Material, o nosso "cabo quarteleiro";  vive hoje em Sabugal); 

(iv) António {Braga Rodrigues] Mateus, 1º cabo,m 3º Gr Comb, comandado pelo alf mil at inf Abel Rodrigues) [, durante muito tempo emigrado em França, vive em Guifões, Matosinhos);

(iv) e o sold cond auto António C. Gomes. 

Foto: © António Mateus (2012). Todos os direitos reservados.



Óbidos > Restaurante A Lareira > 22 de maio de 2010 > 16º Convívio do Pessoal de Bambadinca 1968/71 > Quatro camaradas da CCAÇ 12 > Da esquerda para a direita: (i) João Gonçalves Ramos (ex-sold radiotelegrafista); (ii) José Manuel P. Quadrado (ex-1º cabo ap armas pesadas inf) (1947-2016); (iii)  Fernando Sousa (ex-1º cabo aux enf);  e (iv)  Adélio Monteiro (ex-sold cond auto, organizador do encontro de 2009, o 15º, em Castro Daire)

Foto (e legenda): © Luís Graça (2010). Todos os direitos reservados


Castro Daire > Freguesia de Monteiras > Zona Industrial da Ouvida > Restaurante P/P > 30 de maio de 2009 > 15º Convívio do pessoal de Bambadinca, 1968/71, CCS do BCAÇ 2852, CCAÇ 12 e outras subunidades adidas >

Mais dois camaradas da CCAÇ 12: o ex-1º cabo trms inf António Domingos Rodrigues, de Torres Novas (organizador do 14º Convívio, em 2008, e já falecido há dois ou três anos); e o ex-1º  cabo ap armas pesadas José Manuel P. Quadrado, que vivia na Moita (1947-2016).

Foto (e legenda): © Luís Graça (2009). Todos os direitos reservados


Foto à esquerda; 1º Cabo Apont de Armas Pesadas nº mec 8490968 José Manuel P. Quadrado (1947-2016)
.
1. A triste notícia chegou ontem pelo telefone: "O Quadrado morreu... Somos cada vez menos"... 

Do outro lado, o Fernando Sousa, que vive na Trofa, e para quem a CCAÇ 12 era (e é) uma família.  Foi uma irmã do Adélio Monteiro, vizinha do Quadrado, que nos deu a triste notícia, por via do irmão e do Fernando de Sousa. (*)

O Patronilho era quem vivia mais perto do Quadrado, e o trazia, de carro, aos convívios. O Francisco António Patronilho, ex-sold condutor auto, vive  em Brejos de Azeitão, onde tem um oficina de reparação automóvel (R de São Gonçalo, 255, Brejos de Azeitão, 2925-256  Azeitão, telf 21 2188 272). O Patronilho estava mais ou menos a par da evolução da doença que matou o Quadrado.

Como diz o Fernando, éramos todos bons amigos e camaradas, a malta metropolitana da CCAÇ 2590 (mais tarde, CCAÇ 12), pouco mais de meia centena, que mal enchia uma carruagem de comboio, quando na noite de 24 de maio de 1969 partiu, de Santa Margarida, para Lisboa, embarcando de manhã no T/T Niassa, no Cais da Rocha Conde de Óbidos.

Foi há 47 anos. Desembarcámos em Bissau a 30. Simbolicamente, o nosso camarada Quadrado quis morrer nesse dia. Há estranhas coincidências, era o seu dia de aniversário e o dia de desembarque em terras africanas. O Fernando também fez ontem anos, 70, era o mais velho dos cabos. O Quadrado devia ser de  1947.  Ele que sofria de uma doença crónica hepática, já não foi este ano ao convívio do pessoal de Bambadinca. (**)

Convivemos pouco ou quase nada depois do nosso regresso á metrópole. Pouco sei da sua vida. Sei que era casado, terá filhos e netos,  Era relativamente assíduo, com a esposa,  nos nossos convívios. Em Bambadinca, também lhe chamavam o "Alentejano". O José Fernando Almeida, ex-fur trms da CCAÇ 12, diz-nos que ele tinha sido condutor de automotora no Metro de Lisboa.

Dada a minha presença irregular nos convívios do pessoal de Bambadinca (1968/71), encontrei-o três ou quatro vezes (em Lisboa,em Castro Daire, em Óbidos). Continuava a ser  o homem simples e bom que aprendi a estimar desde Santa Margarida até Bambadinca. Tínhamos em comum o facto de sermos, os dois,  de armas pesadas de infantaria, nós e o 1º cabo Virgílio da Encarnação (4º Gr Comb). Como a nossa companhia era de intervenção, deram-nos, aos três,  uma G3 e converteram-nos em atiradores de infantaria. O Quadrado sempre no 1º Gr Comb do alf mil op esp Francisco Moreira, eu saltitando de pelotão em pelotão, conforme o serviço e as conveniências. "Pião das nicas", às ordens do capitão...

Fizemos juntos diversas operações em que apanhámos porrada da grossa. Confiaram-lhe o temível dilagrama porque  era um tipo aparentemente calmo, ponderado e reservado.  Era um arma letal. De qualquer modo, o 1º Gr Comb era um grupo armado até aos dentes: havia pelo menos 4 apontadores de dilagrama (2 na 1ª secção!), além da metralhadadora ligeira de fitas HK21, o morteiro 60, o LGFog 3,7 e o LGFog 8,9.

Além disso, o Quadrado era comandante de secção, o 1º Gr Comb só tinha dois furrieis, o António [Manuel Martins] Branquinho (1947-2013), e o Joaquim [João dos Santos] Pina (que vive em Silves).

2. Recordo aqui uma das operações em que os bravos do 1º Gr de Comb podiam ter sido todos massacrados, a Op Borboleta Destemida (região do Xime, 14 de janeiro de 1970, em que participou também a CART 2520, unidade de quadrícula do Xime). Portaram-se como heróis os homens que iam à frente, com um guia prisioneiro. 

Foram feridos com gravidade,  e evacuados para o HM 241 (Bissau), o furriel Joaquim Pina, o 1º cabo at inf Manuel Monteiro Valente (, apontador de dilagrama), o sold trms José Leites Pereira e o sold at inf Mamadu Au (Ap Metr Lig Hk 21), todos da 2ª secção (que o Pina comandava).

Hoje despede-se da "terra da alegria" mais um dos bravos da CCAÇ 12, o  1º cabo José Manuel P. Quadrado, meu camarada. Regressou são e salvo a casa, em março de 1971, mas trazia já com ele o vírus mortal do triângulo maldito Xime-Bambadinca-Xitole.

Deixem-me que ele repouse simbolicamente à sombra do poilão da nossa Tabanca Grande. Não  quero que ele vá para a vala comum do esquecimento.  

A relação dele com o nosso blogue era ténue, tem apenas três ou quatro referências esparsas. Tanto quanto sei, não tinha email nem página no Facebook. Para a família e amigos fica aqui também a nossa manifestação de pesar e de solidariedade.

Que a terra da tua pátria te seja leve, meu camarada! (LG)
___________

Notas do editor:

(*) Último poste da série > 28 de maio de 2016 > Guiné 63/74 - P16141: In Memoriam (258): Soldado Ilídio Fidalgo Rodrigues, o "Esgota Pipas" da CCAÇ 2382, morto por um estilhaço de um projéctil IN (Manuel Traquina, ex-Fur Mil)

(**) Sobre a história da CCAÇ 12, há mais de 3 dezenas de postes publicados:

21 de Maio de 2010 > Guiné 63/74 - P6447: A minha CCAÇ 12 (Contuboel e Bambadinca, Maio de 1969/Março de 1971) (1): Composição orgânica (Luís Graça)


16 de maio de 2014 > Guiné 63/74 - P13148: A minha CCAÇ 12 (30): fevereiro de 1971: batismo dos "piras" que nos vieram render... Adeus, Bissau, em 17 de março de 1971, no T/T Uíge... A CCAÇ 12 será extinta em 18 de agosto de.. 1974 ! (Luís Graça)

6 comentários:

Tabanca Grande disse...

Que a terra da tua Pátria, camarada Quadrado, te seja leve!... E, para que não fiques na vala comum do esquecimento, passas a repousar doravante, simbolicamente, sob o nosso poilão... Não é o Panteão Nacional, é melhor, é a "nossa" Tabanca Grande!... LG

PS - Infelizmente não temos nenhum contacto direto com a família. É muito provável que o funeral tenha sido esta manhã.

Tabanca Grande disse...

Confundi o João Gonçalves Ramos (ex-sold radiotelegrafista, felizmente vivo) com o Abílio Soares, ex-1º cabo at inf, do 1º Gr Comb da CCAÇ 12, infelizmente falecido há muito, e que era de Lisboa.

As minhas desculpas pessoais ao Ramos. Um abraço para ele e para o Fernando Sousa, que me alertou para o lapso.

Também não sabia que o Abílio Soares, com quem fiz muitas operações, tinha morrido de morte violenta, há largos anos, segundo informação do Fernando. Foi mais um a vítima ao retardador daquela estúpida guerra, mais um camarada que veio morrer nas "praias do Tejo", tal como o Luciano Severo... Inclino-me à memória de ambos e dos demais camaradas da CCAÇ 12 que "da lei da morte já se foram libertando". LG

jose almeida disse...

O Quadrado era condutor de Automotora no Metro de Lisboa. A Última Função era Ensaiar Automotoras que vinham de Manutenção. Um abraço Fernando Almeida.

Anónimo disse...



Camarada José Manuel Quadrado que a terra te seja leve e que a morte, nas crenças que existem para além desta vida, te possa trazer o que de melhor desejas-te.
Os meus sinceros pêsames à família e aos amigos que com ele conviveram.
Francisco Baptista

Anónimo disse...




Peço desculpa a todos a palavra desejas-te, mal escrita, deve ser substituída por desejaste.
Francisco Baptista

Anónimo disse...

Com os devidos sentimentos à família, que descanse em paz.
BS