sexta-feira, 9 de julho de 2010

Guiné 63/74 - P6705: O discurso de António Barreto no dia 10 de Junho de 2010 (5): Não há nada a fazer! (António Martins de Matos)





1. O nosso Camarada António Martins de Matos (ex-Ten Pilav, BA12, Bissalanca, 1972/74, hoje Ten Gen PilAv Res), enviou-nos, em 4 de Julho último, o seguimento da sua mensagem publicado no poste – P6618, a propósito do dia 10 de Junho:


Não há nada a fazer!

Camaradas,

Quando andava na Academia havia um cartaz pregado numa parede que dizia “o Exército é o Espelho da Nação”.
Passada a vaidade e imodéstia de quem inventou tal frase, acredito que as Forças Armadas sempre reflectem o que de bom e de mau se passa no país.
Para que não haja dúvidas em algumas cabeças mais contestárias ou daquelas que gostam de dividir para reinar, sou um militar do Quadro Permanente, o meu suor, a minha coragem e o meu medo sempre foram exactamente iguais ao suor, coragem e medo dos Milicianos de Guidage, Bajocunda, Xitole ou Fulacunda, quer fossem Capitães, Furriéis ou Soldados.

Antes do nosso almoço em Monte Real escrevi um pequeno texto (poste P6618) a tentar demonstrar o que somos e que podemos vir a ser em termos de antigos combatentes.
No entanto acabei de chegar à conclusão que a palavra “podemos” estava fora do contexto, mais apropriado teria sido escrever “poderíamos”.
E porquê?
Porque, aparte algumas palavras de estímulo e encorajamento, tanto em comentários no blogue, como de viva voz, nada mais aconteceu, no fundo estamos conformados com a situação.

Alguém mais distraído dirá numa voz comprometida, “precisamos é de nos organizar”.

Consultado o site do Ministério da Defesa constatei que, não contabilizando as associações clandestinas, existem oficialmente pelo menos 12 (doze) organizações que tratam dos Antigos Combatentes, a saber:
- Liga dos Combatentes (LC),
- Associação Nacional dos Prisioneiros de Guerra (ANPG),
- Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA),
- Associação de Apoio aos Ex-Combatentes Vitimas de Stress de Guerra (APOIAR),
- Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra (APVG),
- Associação Nacional dos Combatentes do Ultramar (ANCU),
- Associação dos Combatentes do Ultramar Português (ACUP),
- Associação Portuguesa de Ex-Combatentes Militares (APECM),
- Associação Sócio Cultural dos Vila-Condenses Ex-Combatentes do Ultramar (ASCVCU),
- Associação de Comandos,
- Associação de Fuzileiros,
- Associação Reformados e Ex-Militares Ex-Combatentes Portugueses França (ARMCPF),
- Comissão de Ex-Militares Portugueses (OGBL)

Se retirarmos deste conjunto a ADFA, entidade que merece todo o meu respeito, o que fazem as restantes, quem as controla, quem as subsidia, a quem prestam vassalagem?

Ainda tentei aprofundar o tema mas confesso ter logo desistido por frustração ao constatar que uma delas há mais de 35 anos que não consegue estabelecer uma simples lista dos que morreram no Ultramar, outra que diz ter 40.000 sócios e que se orgulha de facultar consultas pós-traumáticas, cobra aos seus associados uma quota anual de 20 euros. (com mais 4 euros já podiam ser sócios do meu Spotem!!!!), outras duas que recebem do Estado um subsidio de 125.000 euros/ano (palpita-me que recebem todas mas confesso já não ter tido vontade para investigar).

No seu comentário o amigo Magalhães Ribeiro referiu uma Federação dos Combatentes que, segundo o jornal Sol de 17Dez2007, terá reunido 5 destas Associações.
O pouco que acabei por encontrar da referida Federação foi através do Jornal de Tondela, “O Beirão”, onde é referido que o seu Presidente também o é da ANCU, que alteraram os Estatutos em 27Março2010, que têm um programa para 2010 baseado em 13 items (quaisquer que eles sejam) e que estão a preparar as comemorações dos 50 anos do inicio da Guerra do Ultramar (deve ser coisa fina).

Perdemos no futebol, ainda não foi desta que os futuros Heróis da Pátria se conseguiram afirmar, não por falta de uns tantos golpes de mão ou investidas contra o inimigo ou mortos no campo da honra, antes pelo facto de não terem marcado uns golitos.
Tivesse a coisa corrido bem e já estava a ver o 10 Junho com uma centena de condecorações, do Madail ao apanha bolas, que as medalhas até já deviam estar em banho-maria.
E pronto, vamos continuar a ler “A Bola”, comentar as transferências, o Moutinho que foi para o Porto, “ganda” malandro, ainda que tenha deixado 11 milhões nos cofres do meu amado Spotem.

Como eu gostava de ter nascido em Inglaterra, nem precisava de ser em Stratford-upon-Avon, qualquer cantinho da “Velha Albion” me servia.
Pelo menos tinha a certeza que as futuras gerações iriam respeitar a minha memória.
Assim, paciência, somos como somos, não há nada a fazer...

http://www.youtube.com/watch?v=lygVz1mjkrI&feature=PlayList&p=0D56ED9BA66D4986&playnext_from=PL&playnext=1&index=7

Um Abraço,
António Martins de Matos
Ten PilAv na BA12
____________
Nota de M.R.:

17 comentários:

Anónimo disse...

Tem razão, caro camarada. Depois de ter visto o vídeo, também fiquei convencido de que "não há nada a fazer" por cá.
Nem mesmo "à nossa medida".
Venha outro discurso.
Abraço,
Carlos Cordeiro

jteix disse...

Infelizmente
NÃO HÁ NADA A FAZER
Somos assim.
Somos capazes do melhor e do pior.
De HERÓIS, passamos a COBARDES.
Convidem-nos para os copos e toda a cambada aparece.
Ainda tinha uma leve esperança de que agora é que era.
Talvez ainda se consiga.
Meu Ten General António Martins de Matos, por favor, não desistas, precisamos de alguém a comandar, a tomar a iniciativa.
VAMOS EM FRENTE

Um abraço
cumprim/jteix

Anónimo disse...

Eu sempre digo que as pessoas de qualidade são quase todas do Sporting.
Claro que há excepções, até no blogue. O nosso Vasco da Gama, por exemplo, vermelho,vermelho, encarnado e branco.
E na tabanca de Matosinhos, existem de certeza uns tantos apaixonados por aquele bicho esquisito inventado pelos chineses, o dragão.

Agora, a sério, também acho que não há nada a fazer.O nosso futuro é curto, a guerra já lá vai e somos portugueses.

Abraço,

António Graça de Abreu

Que o nosso Sporting seja campeão!

antonio graça de abreu disse...

Eu sempre digo que as pessoas de qualidade são quase todas do Sporting.
Claro que há excepções, até no blogue. O nosso Vasco da Gama, por exemplo, vermelho,vermelho, encarnado e branco.
E na tabanca de Matosinhos, existem de certeza uns tantos apaixonados por aquele bicho esquisito inventado pelos chineses, o dragão.

Agora, a sério, também acho que não há nada a fazer.O nosso futuro é curto, a guerra já lá vai e somos portugueses.

Abraço,

António Graça de Abreu

jteix disse...

Ó António Graça Abreu,
na China inventaram o "dragon", mas ainda não sabem que não devem usar papel químico nos computadores senão sai com cópia?
Vá lá que o Sporting só é campeão no original, na cópia foi-se.
A propósito, aí para esses lados não são todos vermelhos?

E agora a sério, o que eles querem é precisamente isso, que o nosso futuro seja curto, mas nunca é tarde para os ex-combatentes os chatear e a nossa guerra já devia ter começado á muito.
VAMOS A ELES.

Um abraço
cumprim/jteix

Luís Dias disse...

Caros Camaradas

Parece não haver mesmo nada a fazer. Nos estudos sociológicos os portugueses são considerados os verdadeiros obreiros das denominadas "pontas finais", ou seja não somos muito organizados, como por exemplo os alemães, mas temos a capacidade de conseguir fazer as coisas quando os prazos estão no fim.

E será que eles contam que nós estamos mesmo no fim?

E essa do Graça Abreu dizer que todas as pessoas de qualidade são quase todas do Sporting....!!!! A começar pelos últimos exemplos de sportinguismo de jogadores e dirigentes...!Estamos conversados.

E não sei se foram os chineses a inventar o Dragão (as lendas dizem que surgiram ainda antes da escrita), dado que na velha Albion, também já havia histórias de dragões alados muito tempo antes da europa conhecer a existência da China e eram recorrentes em diversas lendas e mitos europeus (bandeira do País de Gales com um dragão alado, por acaso vermelho!).

A sério, o que parece importante é que possa existir a esperança de alguém, de nós, ainda irmos a tempo e ter a iniciativa. Há ainda mais coisas que nos unem do que aquelas que nos separam. Acreditem!

Um abraço

Luís Dias

Rogerio Cardoso disse...

Caro camarada Antonio M.Matos
De facto a análise é perfeita, ao longo dos anos foram aparecendo Associações, umas atrás das outras, e a malta foi na onda. Inscrevia-se hoje numa, amanhã na outra, achando eu que fosse talvez pela ânsia de formar um grupo de ex-combatentes com uma certa força, o que desta forma divididos nunca poderia aconteçer.
Eu fui dos tais que procurava isso mesmo, sócio da ANCU -1984 e APVG-2002-. No ano que passou, pensando melhor perguntei a mim mesmo: Para que serve isto? Ainda não vi nada de positivo a nível nacional, só a nível regional, onde inauguraram uns monumentos.
Dito isto, sou mais um voluntário para alguma iniciativa que tenhas em mente, como diz o "jteix"
VAMOS A ELES.
E saudações SPORTINGUISTAS, pode ser que seja este ano.
Rogerio Cardoso
Ex-Fur.Mil.Cart.643-AGUIAS NEGRAS

Anónimo disse...

Admiro a sua boa vontade e optimismo -associo-me intimamente- mas se tiver em conta que, cá na terra, associativismo é uma palavra chinesa para usar na China sem que se saiba bem para quê, terá que aceitar que 'só faltam vinte anos para morrer o último'.
Já agora pode juntar mais uma vintena de associações de páraquedistas, do norte, centro, sul, leste e oeste e mais o que for, para compor o quadro.
Os portugueses só sabem mandar ou ser mandados - em geral mal, no primeiro caso...

SNogueira

MANUELMAIA disse...

CARO ANTÓNIO MARTINS DE MATOS,

DE FACTO,SOU OBRIGADO A CONCLUIR QUE JÁ NADA HÁ A FAZER...

BASTOU TERES FEITO UMA REFERÊNCIA A UMA COISA MENOR QUE É O PONTAPÉ NA BOLA,E DE IMEDITO,A AVALIAR PELA MAIORIA DOS COMENTÁRIOS,FOI AÍ QUE INCIDIU O INTERESSE PELO TEU TEXTO DE ALERTA
CONTRA O "PROXENETISMO" (É MINHA A RESPONSABILIDADE DESTA EXPRESSÃO)QUE REPRESENTA O SACAR DE VERBAS AO ESTADO POR PARTE DE ORGANIZAÇÕES QUE DEVERIAM PREOCUPAR-SE COM OS EX-COMBATENTES
(É ESSA AFINAL A RAZÃO PARA A SUA EXISTÊNCIA,E CONSEQUENTE ACESSO À MASSA...) E NADA FAZEM EM PROL DOS MESMOS,LIMITANDO-SE A UMAS TENTATIVAS PATÉTICAS DE APARECEREM NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL AQUANDO DO 10 DE JUNHO...
É MANIFESTAMENTE POUCO!

POR OUTRO LADO GOSTARIA DE SALIENTAR,UMA VEZ MAIS, A DIFERENÇA EXISTENTE ENTRE QUEM FEZ A CHAMADA GUERRA DO ULTRAMAR,COLONIAL,DE ÁFRICA( COMO QUISEREM) E OS MERCENÁRIOS QUE "VÃO BATER À PORTA DAS GUERRAS" DIZENDO: CÁ ESTOU EU PARA SACAR UMA PIPA DE MASSA...
POR MUITO BLÁ BLÁ QUE OS POLÍTICOS POSSAM EVIDENCIAR,POR MAIS ELABORADA QUE SEJA A SUA VERBORREIA,UM COMBATENTE DA GUINÉ,MOÇAMBIQUE OU ANGOLA,NADA TEM A VER COM UM MERCENÁRIO DA BÓSNIA,DO AFEGANISTÃO OU QUALQUER UM DOS COFRES FORTES PARA ONDE SE DIRIGEM OS DITOS COMBATENTES...

PROCURAR ENFIAR-NOS OS DEDOS PELOS OLHOS DENTRO,COMO POR VEZES,REFRACTÁRIOS AO NÍVEL DUM SANTOS SILVA INSISTEM,É UM ATENTADO À INTELIGÊNCIA.

"TORTO OU CEGO",À LUZ DO DIREITO INTERNACIONAL,DURANTE O PERÍODO EM QUE A GUERRA EXISTIU,OS NOVEIS PAÍSES DE EXPRESSÃO PORTUGUESA ERAM PARTE INTEGRANTE DE PORTUGAL,
LOGO A GUERRA REPRESENTAVA UMA ATITUDE LEGAL DE DEFESA DE TERRITÓRIO.
NÃO ESTOU A DEFENDER A GUERRA,MAS TÃO SÓ A ESTABELECER PARALELISMOS...

PARADOXALMENTE,AQUELES QUE
CONDENARAM A GUERRA DE ÁFRICA NA SUA INTRÍNSECA EXISTÊNCIA( A MAIORIA DESTA CORJA QUE TEM SENTADO O SEU ANAFADO E MAL CHEIROSO FUNDILHO NAS CADEIRAS DO PODER DESDE O ÚLTIMO QUARTEL DO SÉCULO PASSADO...),NÃO CRITICA ACERBAMENTE ESTAS GUERRAS QUE TÊM PROLIFERADO PELA EUROPA,E OUTROS CONTINENTES,ANTES PELO CONTRÁRIO,TENTA ATÉ ARRANJAR ARGUMENTOS PARA JUSTIFICAR O ENVIO DE MILITARES PORTUGUESES PARA ESSES TEATROS DE OPERAÇÕES (PERDERAM O SENTIDO DA HONRA E SUBORDINARAM-SE COMPLETAMENTE AO JUGO TEUTÓNICO DA SENHORA MERCKEL,"MAI-LOS" TRADICIONAIS "CAMONES" QUE IMPÕEM
A ESSES SABUJOS,CAPATAZES POR CONTA DE OUTRÉM,AQUILO QUE DEVEM FAZER E DIZER,QUAIS VENTRÍLOQUOS
DE QUALIDADE DUVIDOSA QUE EVIDENCIAM DEMASIADO FÁCILMENTE QUE FALAM POR CONTA DE OUTROS...
PAPAGAIOS DE PORÃO DE NAVIO QUE QUASE SÓ DIZEM PALAVRÃO...


ESPEREMOS QUE UM DIA O POVO DESTE PAÍS ACORDE DESTA ANESTESIA QUE LHE IMPUSERAM,CONSUBSTANCIADA NA EXPLORAÇÃO DA POLÍTICA DOS TRÊS EFES QUE TANTO CRITICARAM AO SISTEMA POLÍTICO ANTERIOR,QUE CURIOSAMENTE ABRIU ESCOLAS QUE OS ILUMINADOS AGORA FECHAM (PARALELAMENTE ABREM EM CATADUPA ESCOLAS,ESCOLINHAS E QUEJANDOS,DE FUTEBOL...)E NESSA ALTURA SE FALTAREM VOLUNTÁRIOS PARA FAZER O QUE JÁ DEVERIA TER SIDO FEITO À MUITO COM ESTA CORJA,ESTOU CONVENCIDO QUE SURGIRÃO ALGUNS PARA O FAZER...
MANUEL MAIA

MANUELMAIA disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
MANUELMAIA disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Caro Camarada Manuel Maia
Estou totalmente de acordo com o teu documentário.
Desistir é próprio dos fracos e os ex-combatentes não são fracos mas tenases.
Chus a eles!
À CARGA
Luís Borrega

Anónimo disse...

Caro Manuel Maia
Onde se lê documentário na minha intervenção anterior deve ler-se comentário.
Abraço
Luís Borrega

Anónimo disse...

Falemos a sério. Assim, sim. Esta è a realidade. Mas no òptimo caminho está o "Luis Graça e &........." pois que é mais mas muito mais qe qualquer dessas associações, fundações e quejandas.Não sendo ainda "associado" do blogue, visito-o, revisito-o diàriamente e apenas ainda não colaboro porque só agora estou a aprender a trabalhar com esta coisa do computador. Mas caro António Martins de Matos, um abraço e VAMOS A ELES. Verissimo Ferreira, Fur.mil da 1422 K3.

J.Belo disse...

Nao esteve,está,ou estará,no interesse dos Partidos Políticos a existencia de uma organizacao forte,e representativa,com estatutos e objectivos supra partidários,sejam eles quais forem.(Dos mais patrióticos aos mais beneméritos.)O Estado Novo teve o cuidado de dar o exemplo ao retirar todo o"conteúdo" inicial à entao já existente Associacao dos Combatentes da Grande Guerra,quando verificou ter "dificuldades" de controlo da mesma. Em comentário a comentário anterior gostaria de lembrar que,independentemente do enorme coracao patriótico de alguns,à luz do Direito Internacional as antigas Provincias Ultramarinas Portuguesas nao reuniam as condicoes necessárias que permitiriam considerá-las parte integrante do Estado Portugues,sendo antes consideradas como "territórios sob responsabilidade administrativa por parte de Portugal".Quanto ao Direito Internacional,esta é uma importante diferenca.Mesmo em termos Nacionais de Direito, dificilmente reuniam as condicoes necessárias para sê-lo, nos sectores económico e administrativo,à luz das leis vigentes.É óbvio serem as Leis passíveis de diferentes "leituras políticas",e as ditaduras serem um exemplo extremo de tal facto.Mas,e sempre,nao passam de...leituras políticas. Um grande abraco amigo.

MANUELMAIA disse...

CARO J.BELO,

NÃO TENDO FORMAÇÃO NA ÁREA DO DIREITO,SEMPRE ME PARECEU QUE PORTUGAL( ATÉ AO MOMENTO DA ALTÍSSIMA PRESSÃO NA ONU)SEMPRE SUSTENTOU A AFIRMAÇÃO DAS "PROVÍNCIAS ULTRAMARINAS" QUANDO SE REPORTAVA A ANGOLA,MOÇAMBIQUE,GUINÉ,S.TOMÉ,CABOVERDE,MACAU E TIMOR...
NÃO ERA OUTRO PAÍS QUE NÃO O NOSSO(NA ALTURA DO "ORGULHOSAMENTE SÓS"...) QUEM DECIDIA POR PORTUGAL,COMO AGORA ACONTECE,QUANDO COLOCAM OS PAPAGAIOS DE SERVIÇO,ROTULADOS DE ENGENHEIROS DOMINGUEIROS,A COMUNICAR AQUILO QUE A SRA MERCKEL OU OS NOVOS BUSH ( APARENTEMENTE DIFERENTE-SÓ NA COR- OBAMA...) DITATORIALMENTE PROCLAMAM...

DOS TERRITÓRIOS SOB ADMINISTRAÇÃO PORTUGUESA, COMO CORRIGISTE, ALGUNS HAVIA QUE TINHAM UM ESTATUTO DIFERENTE,UMA VEZ QUE ERAM DESABITADOS AQUANDO DA "DESCOBERTA" O QUE ,CREIO,À PRIORI, PODERIAM CONSUBSTANCIAR,UMA DIFERENTE ANÁLISE À LUZ DA JUSTIÇA...

VOLTANDO A FRIZAR QUE NÃO É ESTA A MINHA ÁREA DE FORMAÇÃO,HÁ SITUAÇÕES QUE SERÃO DO SENSO COMUM,DAÍ A MINHA ALUSÃO DE QUE NÃO SENDO INDEPENDENTES E HAVENDO ALI UMA LEGALIZADA (DE CENTENAS DE ANOS) POSIÇÃO ADMINISTRATIVA PORTUGUESA,TAL COMO ACONTECIA COM AÇORES E MADEIRA(NESTE CASO HÁ UM NOVO ESTATUTO...)ME PARECEU SER DA ÁREA DO SENSO COMUM...

UM GRANDE ABRAÇO PARA TI AÍ NESSA LONJURA.
MANUELMAIA

Paulo disse...

O António Martins de Matos escreveu
um texto(óptimo)que merecia e pedia
alguma,para não dizer bastante,
reflexão.Lendo os comentários,esta
é a minha opinião pessoal,chegueí
à conclusão, que a maior parte dos
camaradas,leu o texto na diagonal,
e não ligou este ao filme em anexo.
Uma opinião séria dá origem a
picardias "futo-clubistícas",
depois passa ao insulto a militares
actuais"mercenários"chamam-lhes,
querendo dizer"no meu tempo é que era".Parece que não lêem jornais,
parece que não se morre no
Afeganistão...e já morreram Portugueses.
António,está visto,querem discursos
e muitas "capelinhas"/associações.

P.Santiago