sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Guiné 61/74 - P17979: Blogues da nossa blogosfera (79): Carlos Esteves Vinhal, editor de mais um blogue, o da Associação Universidade Sénior de Matosinhos (Luís Graça)


Folha de rosto do blogue da AUMS - Associação Universidade Sénior de Matosinhos, associação essa que "está inserida no Museu Quinta de Santiago em Leça da Palmeira, para ocupação cultural dos tempos livres de pessoas séniores, através de Cursos diversos, Conferências, Visitas a museus, Passeios Culturais, etc."...O blogue foi criado em outubro passado, tem já 16 postes e cerca de 800 visualizações. O editor (e administrador) é o nosso querido Carlos Esteves Vinhal,

1. Há dias recebi a seguinte  mensagem  do Carlos Vinhal,  meu querido amigo, camarada de armas e companheiro desta aventura bloguística, a edição e administração do Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné (que vai fazer 14 anos em 23/4/2018, tem 760 membros registados e está prestes a atingir a fantástica cifra dos 10 milhões de visualizações):

Carlos Esteves Vinhal
 15/11/2017
Assunto - Mais um blogue

Luís, acho que ainda não conheces o meu filho mais novo.
Vai aqui: http://ausmatosinhos.blogspot.pt

Abraço
Carlos

*************
Ex-Fur Mil da CART 2732
Mansabá/Guiné/1970-72

Co-Editor dos Blogues:
Luís Graça & Camaradas da Guiné
https://blogueforanadaevaotres.blogspot.pt

CART 2732
https://cart2732.blogspot.pt

Tabanca dos Melros
https://tabancadosmelros.blogspot.pt

Editor do Blogue
ASSOCIAÇÃO UNIVERSIDADE SÉNIOR DE MATOSINHOS
https://ausmatosinhos.blogspot.pt

************
1.º Secretário da Mesa da Assembleia Geral
do Núcleo de Matosinhos da Liga dos Combatentes

************

2. Comentário do editor LG:

Carlos, tiro-te o chapéu!...Tu não páras, e geres muito bem o teu "tempo livre"... de 24 horas por dia... És um exemplo estimulante, para todos nós, és mesmo um "caso sério" de um "sénior" (eu prefiro o termo, "jovem idoso"...) que sabe "envelhecer" de maneira "ativa, produtiva e saudável"...

Fazes o que gostas, que é editar blogues, e és útil à(s) comunidade(s) a que pertences, a começar pela tua terra ou terra onde onde vives (Leça da Palmeira) e concelho (Matosinhos)... Eu sei que Matosinhos é uma... Nação, e que Leça da Palmeira, hoje integrada na cidade de Matosinhos, tem mais pergaminhos, pedigree e património histórico... do que a antiga "Bouça"... (Espero que os matosinhenses não me batam!)

Dou-te os parabéns!... Vejo que a tua experiência como coeditor do nosso blogue te tem sido muito útil, e que estás agora em condições de  partilhá-la com outros... Lembro-me que, quando te convidei, para meu braço direito, mal sabias da "poda" (isto é, informática, internet, edição de blogues...). Mas tudo se aprende, e quem aprende chega a mestre (ou pode chegar a mestre), já que não há idade para aprender... como não há idade para amar, viver e ser feliz...

Enfim, és também coeditor de outros blogues (CART 2732; Tabanca dos Melros; Luís Graça & Camaradas da Guiné....).  Este, o da AUSM,  podes  mesmo chamar-lhe "filho", já que é uma "criatura" tua, de pleno direito... E não precisas de fazer o teste de paternidade: não é nenhum "filho do vento"...

Além disso, ainda arranjas tempo para pertencer aos corpos sociais do Núcleo de Matosinhos da Liga dos  Combatentes... E não é pelo penacho, pela boina, pelo crachá, pelo ronco, pela fotografia... É mesmo para trabalhar... Quem te conhece, sabe que não és do tipo de "capinar sentado", como a gente diz na Tabanca de Candoz... (A piada é para mim que, na quinta de Candoz, só sei fazer versos e tirar fotos...).

Desejo-te boa sorte, boa saúde, bom trabalho, à frente do blogue da Associação Universidade Sénior de Matosinhos. E continuo, continuamos,  a contar contigo, pelo menos até aos 100 anos, quando formos mesmo "velhinhos, velhinhos"...

E que vivam os nossos amigos e camaradas séniores de Matosinhos bem como a AUSM!...
(LG)
______________

Nota do editor:

5 comentários:

Carlos Esteves disse...

Luís, vamos lá ver se nos entendemos. Quando vieres a Matosinhos não atravesses a ponte móvel para o lado de Leça porque podes ter algum dissabor. Leça integrada em Matosinhos? Quando muito existe a União das Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira, mas até o Presidente da União é o da antiga Junta de Freguesia de Leça da Palmeira. Desde sempre Matosinhos e Leça são duas freguesias irmãs, sendo que ambas compõem a cidade propriamente dita.
Há dias, uma senhora dizia que determinada ponte, que já não existe, separava Matosinhos de Leça. Não deve ter pensado muito bem antes de escrever já que, quando muito, era o Rio Leça que separava as duas freguesias, as pontes são sempre meios de união e diminuição de distâncias.

Muito obrigado pelos teus comentários elogiosos à minha pessoa. Sabes, como outros com quem colaboro, que gosto de trabalhar na sombra, sem dar muito nas vistas. Como sabes, sou tímido e gosto da solidão, daí o escape do trabalho.

Votos de um bom fim de semana.
Alfa Bravo
Carlos

Tabanca Grande disse...

Carlos, tens que me fazer uma visita guiada à tua segunda terra... Não se deve fazer humor com a terra de ninguém, e muito menos dos amigos, porque pode causar dissabores... Em Peniche, por exemplo, nunca fales dos "amigos de Peniche" e na Lourinhã muito menos perguntes se era a antiga "terra dos parvos"...

Marco de Canaveses, ou melhor o concelho, nascido de uma reforma administrativs de meados do séc. XIX, também tem um nascimento nada "nobre"... "Marco" ou "Bouça" apontam para uma origem anódina, insignificante... Canaveses, junto ao rio Tâmega, tinha "pedigree", mas as terras, com a usura do tempo, são como as famílias, degeneram, empobrecem, desaparecem, e outras surgem, ganham importância, fruto do "progresso" (os caminhos de ferro, os portos, a industrialização, a urbanização, etc.).

Mas o que importa é o teu trabalho, e hoje Matosinhos é uma bela terra, e zela pela qualidade de vida e a saúde dos seus munícipes. E isso é que conta... Boa noite, bom fim de semana... LG

António Murta disse...

Luís Graça, desculpa meter o bedelho, mas, já agora, se fores a Murça não perguntes ao locais se são "da terra da porca", nem tão pouco perguntes onde fica a porca, que foi o que eu fiz, e iam-me tratando mal, quando um dia lá passei e quis fotografar a porca. Só depois o amigo que me acompanhava disse, "ó pá, você não devia ter perguntado uma coisa dessas e eu esqueci-me de lhe dizer...". No entanto, a Porca de Murça é quase o ex-líbris da terra!

Dizes que na Lourinhã não se pode perguntar se era a antiga "terra dos parvos". Li, e o meu cérebro faiscou: finalmente entendo porque, quando tentava "enrolar" o meu pai, ele carregava o sobrolho e exclamava: "mas pensas que eu sou da Lourinhã, ou quê? Percebia que depreciava os da Lourinhã mas não sabia porquê.

Grande abraço para ti.
Grande abraço também para o Carlos com votos de sucessos editorias.

António Murta.

Carlos Vinhal disse...

Nós aqui por cima também usávamos a expressão: Julgas que sou da Lourinhã, ou quê?
Eu tenho um amigo de Peniche, neste caso mesmo amigo, o Joaquim Nogueira da Silva, meu camarada de armas da 2732.
Em tempos mais recuados, os matosinhenses consideravam uma ofensa quando lhes chamavam sardinheiros. Durante muitas décadas a economia de Matosinhos baseou-se, também, no comércio e indústria da sardinha.
Marco de Canaveses, conheci razoavelmente bem, pois em tempos idos ia para a Torre de Nevões passar férias. Não sei se conheces, Luís. Aquilo alterou-se para pior, no meu ponto de vista, e entretanto rumei a outros destinos.
Abraço para o António Murta e Luís Graça.
Carlos Vinhal

Anónimo disse...

Para o Carlos o meu abraço de reconhecimento pelo envolvimento e muito trabalho em tudo quer se mete.
BS