quarta-feira, 14 de março de 2018

Guiné 61/74 - P18416: O nosso livro de estilo (13): afinal para que serve e a quem serve o nosso blogue (Luís Graça / Virgílio Teixeira / Hélder Sousa)


Cabeçalho do nosso blogue, que tem como editores: Luís Graça, Carlos Vinhal, Virgínio Briote e Jorge Araújo. e que se publica, diariamente... A sua origem remonta a 23/4/2004.


1. Não podendo comunicar com toda a malta ao mesmo tempo, por email, por precaução (, não vai o nosso servidor Google, onde temos conta, pensar que andamos a mandar carradas de SPAM e correio indesejável, violando assim as regras do contrato...), o nosso editor Luís Graça enviou há dias, em 8 do corrente, uma mensagem para umas dezenas de grã-tabanqueiros, com destaque para os bedandenses, que dizia o mais ou menos o seguinte, com um link para o poste P18391 (*)

Assunto - Bedanda, a ferro e fogo...

Camaradas: ainda vai havendo, na nossa Tabanca Grande, gente com curiosidade intelectual e espírito crítico, que ainda não arrumou as botas, que acompanha com regularidade o nosso blogue, lê, comenta, faz prova de vida... Mas sinto que a malta, ao fim destes anos todos, está a perder o fôlego... E não é caso para menos: 14 anos a blogar, é mais do que a guerra toda, de 1961 a 1974...

Ainda é possível o blogue trazer material capaz de despertar a curiosidade e interesse da malta? Acho que sim, vejam os trabalhos do nosso novo editor, Jorge Araújo, um "periquito" ao pé da maior parte de nós... Ou o livro, em pré-publicação, com as surpreendentes memórias do Dino, o José Claudino da Silva... Ou o "Abre-te, Sésamo" do Virgílio Teixeira... mais outros dois "periquitos" que vieram enriquecer a nossa Tabanca Grande...

Enfim, faço apelo aos bedandenses, cujo endereço de email tenho aqui à mão... bem como outros amigos e camaradas que têm mostrado interesse por esta nova série, "(D)o outro lado do combate"... Peço-vos para verem, comentarem, divulgarem, darem a cara, aparecerem, fazerem, enfim, prova de vida...

Com um abraço do camarada Luís Graça, também ele " cansado da guerra", como vocês todos...

PS - Não se esqueçam, dia 22, há almoço-convívio da Tabanca da Linha... E a 5 de maio, o XIII Encontro Nacional da Tabanca Grande, em Monte Real, o Carlos Vinhal irá divulgar detalhes do evento, dentro em breve...



2. Dos vários comentários que recebemos, na caixa do correio, destacamos o do "periquito" Virgílio Teixeira, e o do "colaborador permanente", de longa data, o Hélder Sousa, que, apesar dos seus probleminhas de saúde, lá arranjou tempo e disposição (, dois recursos  preciosos para "jovens idosos" como nós...) para "consolar" o editor que, como todo o mundo, também tem os seus altos e baixos, os seus momentos de euforia e depressão...  

Estes dois comentários, já partilhados em grupo, merecem ser aqui reproduzidos, se não no todo, pelo menos em grande parte, nesta série "O Nosso Livro de Estilo", não para fazer "doutrina", mas para suscitar outros comentários, e sobretudo ajudar a reflectir sobre o passado, o presente e o futuro do nosso blogue, que é património de todos nós, ajudar enfim os nossos editores a "pilotar o barco" (**):


(i) Comentário do Virgílio Teixeira, com data de 8 do corrente:

Virgílio Teixeira, Bissau, 1969

Bom dia, Luís. Fiquei com a sensação que estavas desiludido e a pensar fechar o blogue, espero bem que não, ainda tenho muito material para divulgar.

Não são cenas como esta de Bedanda, que são uma coisa do outro mundo, isto sim é a guerra viva!
Nunca tinha visto um 'turra' além daquele morto, estas fotos do PAIGC são inéditas. Como é que os gajos carregavam aquilo tudo, um canhão às peças, e manga de 'ameixas' pesadas.

A discussão que deu já esta publicação, está para além dos meus conhecimentos, vou lendo e comentar pouco, eu estava do outro lado da guerra. Mas aprecio quem sabe, ou julga saber, de tantos pormenores que escaparam à maioria dos mortais!... Bem hajam os seus contributos.

E força, não vamos agora desistir, quando eu acabo de entrar. De qualquer modo, isto terá sempre um fim, penso eu, não vai haver gente com garra e disponibilidade para dar andamento num futuro a médio prazo, isto é, pessoal com os teus conhecimentos e cultura para responder a tudo e a todos, e o peso da idade vai carregando nas costas. Pelo menos a mim (...)



Luís Graça, Bambadinca, 1969
(ii) Resposta do editor Luís Graça, com data de 9 do corrente:

Obrigado, Virgílio, pelo teu apreço, alento, incentivo, verdadeira prova de camaradagem (,mesmo ainda não nos conhecendo pessoalmente)...

Não fiques em cuidado, é apenas um desabafo da minha parte... De resto, o blogue já não é meu, embora seja eu a pagar o alojamento no Google / Blogger... Estamos de pedra e cal, para dar e durar... Ainda não morremos todos, e os que infelizmente vão morrendo, não ficam na "vala comum do esquecimento"... É esta a nossa missão...

Temos um novo elemento na equipa editorial, o Jorge Araújo, que também é prof como eu, mas ainda no ativo... Temos muita gente que nos lê: só ontem foram 3100 visitas, durante o mês (últimos 30 dias) foram c.89 mil...

Temos766 membros na Tabanca Grande... Temos gente entusiástica como tu, com um fabuloso álbum fotográfico e uma memória de elefante!... Temos milhares de camaradas que já passaram por aqui, uns ficam, outros não voltam...

Claro que não podemos fechar a porta, fazer greve, encerrar para férias... É nosso timbre, de resto, publicar todos os dias do ano, nem que seja um único poste...
 (...) Para rematar a conversa, a nossa Tabanca Grande (, e em especial o nosso blogue) precisa de uma solução "institucional" que garanta que o nosso trabalho fica disponível, para os nossos filhos, netos e bisnetos, para os investigadores, para os portugueses e guineenses que queiram saber, em primeira mão, o que foi aquela guerra e aquela terra, "verde e vermelha", onde passámos os nossos 21, 22, 23, 24 anos, na maior parte dos casos...

Haveremos de encontrar essa solução, que essa sim é a minha preocupação no futuro próximo (...)


Hélder Sousa, Piche, 1970
(iii) Mensagem do Hélder Sousa, com data de 9 do corrente:

 (...) Vamos por partes... A primeira é que já estou habituado, de quando em vez, que o "nosso" Luís tenha estas palpitações sobre a utilidade do Blogue, sobre o interesse da sua continuidade, sobre se ainda consegue ser atractivo, sobre se ainda haverá quem se disponha a revelar mais e/ou novas fotos, histórias, relatos, lembranças, etc. daqueles tempos.

E, ao estar habituado, sei que isso será motivado por alguma indisposição momentânea e que depois passa. Eu também, em várias circunstâncias, e por diversos motivos e sobre vários temas ou situações, também passo por essas crises existenciais, daí que nestas alturas não dê muito relevo a isso, sei que pode "dar forte mas passa depressa"...

Também acho que todos nós, aqueles que de mais perto, há mais tempo ou que mais se interessam por este fenómeno, que é o Blogue, a sua temática e duração, sabe que o Blogue, mais do que do Luís, é "nosso" e por isso compete-nos, a todos, acarinhá-lo e desenvolvê-lo.

Um dos focos das angústias do Luís é facilmente anulado. Se nos seguem? Claro, basta ver as estatísticas com as visitas ou visualizações diárias! E até a composição, por país, dos visitantes nos mostra esse fenómeno, para mim inesperado, do número de visitas a partir de França, revelando claramente que os emigrantes, e/ou seus descendentes procuram (re)encontrar as suas raízes e acham o Blogue útil para esse fim.

As regras de conduta pelas quais o Blogue se rege são, de facto, muito justas e correctas. Foram elas que, em princípio, me cativaram. Achei que, com elas, se podia estar aqui em convívio com pessoas que não têm necessariamente de pensar como eu, ter os mesmos pontos de vista sobre a guerra que vivemos, as suas origens, os seus porquês, a sua justeza, ou não, as suas consequências e sobre a inevitabilidade de coisas que entretanto aconteceram. Aqui, com aquelas regras, considerei ser possível trocar opiniões, comentários, etc., com pessoas, camaradas da Guiné, em respeito mútuo, sem necessidade de "convencer" ninguém, apenas dar a opinião e que cada qual aproveite, ou não, o que quiser. E assim tem sido, de um modo geral.

Ainda sobre as "audiências" tive oportunidade de dizer ao Luís que o Blogue é seguido e não apenas de modo mitigado, por guineenses, na Guiné-Bissau e provavelmente não só. Em "conversa" com o nosso Cherno, em determinada altura percebi que ele próprio também estava a ter "angústias" sobre se devia ou não continuar a comentar no nosso Blogue. Não queria ser intrometido e tinha dúvidas se os seus comentários poderiam ser mal recebidos, como de alguém que estivesse a entrar em casa alheia... Disse-lhe que nem sequer pensasse isso, pois todas as suas contribuições têm sido valiosas no sentido de esclarecer melhor o que se vai mostrando ou dizendo sobre os povos, costumes e até de 'ambientes' da Guiné.

No seguimento disso ele, em certa altura revelou que, presumo que lá na Guiné, já lhe perguntaram "Mas, porque é que gostas tanto de perder tempo com esses...", referindo-se às suas intervenções no nosso Blogue. Ora bem, postas as coisas assim revela-se imediatamente que há lá quem nos siga, indiscutivelmente, pois se assim não fosse não lhe poderiam fazer a pergunta, embora, por um lado não se manifestem e por outro, aparentemente, discordem dessa 'colaboração'.

Após a observação acima transcrita ele, Cherno Baldé,  acrescentou: "Mas, eles não podem entender que aquilo vem de longe, desde quando era ainda criança (aqui deduzo que seja o facto de interagir connosco) e, habituei-me à sua forma de ser e de pensar (presumo que se refira a nós,  portugueses de cá) quando, muitas vezes, não concordo."

Portanto, e definitivamente, o Blogue tem audiência. E muita! Até de pessoas que não se manifestam, ou raramente o fazem, e quando o fazem é para dar conta das suas discordâncias... "que isto é só para intelectuais"... "que o Blogue está 'bandeado' com o IN" (revelando a sua enorme incapacidade para viver e conviver)... "que é um roteiro de viagens"... "que está sempre a falar de livros e a promovê-los"... "que servia para dar protagonismo ao Graça" (esta é miserável, mas houve quem argumentasse assim...) e outras palermices do género.

Em suma, enquanto pudermos, isto é das melhores coisas que há sobre o nosso tempo e temos o dever de manter o Blogue vivo. Com ele dar testemunho dos tempos e dos modos que vivemos. Se os vindouros pegam nele ou se o desprezam isso já não será da nossa responsabilidade. Não podem é dizer que "não sabiam" (...)
_______________

Notas do editor:

(*) Vd. poste de 8 de março de 2018 > Guiné 61/74 - P18391: (D)o outro lado do combate (21): "Plano de operações na Frente Sul" (Out - dez 1969) > Ataque a Bedanda em 25 de outubro de 1969 (ao tempo da CCAÇ 6, 1967-1974) - II (e última) Parte (Jorge Araújo)

6 comentários:

Tabanca Grande disse...

Confesso que gostaria de:

(i) ter mais malta a comentar os postes (são editados 4 a 5 por dia);

(ii) ver entrar mais "periquitos" na Tabanca Grande, pelo menos 2 por mês, no mínimo (este ano só enytrou 1...):

(iii) conseguir esgotar a lotação (200 lugares) no XIII Encontro Nacional da Tabanca Grande, em Monte Real, em 5 de maio próximo;

(iv) ter acesso a mais "slices" digitalizados, do nosso tempo de Guiné;

(v) ter mais colaboração dos nossos amigos guineenses...

(vi) ter mais histórias de malta operacional;

(vii) ter mais malta da Marinha e da FAP...

Ab,LG

Hélder Valério disse...

Olá Luís

Esta tua lista de "desejos" pode parecer ambiciosa mas é razoável.
Vamos ver o que se consegue....
Hélder Sousa

Anónimo disse...

Mário Vitorino Gaspar
15 mar 2018 01:12

Assunto - Sinal de vida

Camarada Luís

A discussão não leva a lado nenhum, quando tiver um pouco de disponibilidade destes problemas de saúde, estarei aí.

Desistir nunca, tenho andado desiludido com o Blogue, principalmente pela nula participação dos camaradas.

Estive no dia 14 a apoiar o nosso General Médico João Bargão dos Santos. Tem muito a ver comigo – e com todos nós combatentes – difícil melhorar de alguns problemas de saúde se não tivermos apoios médicos capazes.

A extinção dos Hospitais do Exército e da Marinha obriga que Combatentes e Família se tenham virado para o Hospital Privado. Um Hospital das Forças Armadas reunindo os Ramos das Forças Armadas e mal administrado retira a saúde aos seus utentes.

Um Hospital tem de funcionar 24 horas, este não.

Tenho uma consulta e terei de interromper a minha escrita sobre o tema. Talvez seja de interesse do Blogue.

Abraço para toda a Tabanca

Tabanca Grande disse...

Obrigado, Hélder, por emprestares a tua voz ao povo... è sempre bom haver quem, num grupo, comunidade ou organização, faça o papel da "vox populi", a voz do povo, até para se poder ouvir dizer (e se ssaber) que o rei vai nú...

Nunca gostei, na minha vida profissional, de trabalhar com pessoas parecidas comigo ou que pensavam como eu, ou tinham os mesmos tiques, gostos, valores, interessees, defeitos e virtudes que eu...

De qualquer modo, é bom lembrar que há muitas Marias e Manéis na terra... Eu, Luís Graça, fundador, administrador e editor deste blogue (que aliás já existe, em outubro de 2003, antes da passar seis meses depois a chamar-se Luís Graça & Camaradas da Guiné...), não tenho nada ver com outros senhores com o mesmo nome, que aparecem ou podem aparecer nas redes sociais... Por exemplo:

(i) Luís Graça, deputado do PS, autarca, algarvio, nascido em 1972;

https://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/Biografia.aspx?BID=5677

(ii) Luís Graça, médico, professor, diretor do Departamento de Obstetrícia, Ginecologia e Medicina da Reprodução do Hospital de Santa Maria (CHLN), que também acaba de se jubilar;

https://www.justnews.pt/noticias/45-anos-dedicados-a-obstetricia-ginecologia-e-medicina-da-reproducao#.WqqBgejFLIU

(iii) Luís Graça, advogado

https://www.linkedin.com/in/luis-gra%C3%A7a-b4669aa/

(iv) Luís Graça, imunologista, jovem presidente da Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa

https://ionline.sapo.pt/587078

(v) Luís Graça, especialista em ensino à distância, docente do CRIAP


https://www.institutocriap.com/corpo-docente/luis-graca/

(vi) Luís Graça, Director at Axians AOAxians. Universidade Católica Portuguesa

https://www.linkedin.com/in/luis-gra%C3%A7a-360220/


(vii) Luís Graça, agente imobiliário, Century 21 Premium

https://www.mysitec21.com/c21pt/lgraca/


... Na realidade, nunca imaginei que tivesse tantos homónimos!

Tabanca Grande disse...

Mas há mais portugueses com o meu nome "Luís Graça"...É bom, não me posso queixar de me sentir sozinho no mundo... Mas também não estou em má companhia... Há nomes piores...


(viii) Luís Graça, jogador de futsal

http://www.zerozero.pt/player.php?id=206669

(ix) Luís Graça, vice-presidente da associação CONFIAR, cuja missão é ajuda a reclyso

http://rr.sapo.pt/artigo/53714/porta_aberta_para_luis_graca

(x) Luís Graça, jornalista e escritor, alfacinha, nascido em 1962


Muito menos tenho a ver com a empresa Luís ga Graça - Mecânica de Precisão Lda, com sede em Terrugem, Sintra

http://www.luisdagraca.com/pt_PT/index.php

... Ou a Luís Graça Unip Lda

http://www.gestspace.com/luis-graca-unip

Tabanca Grande disse...

... Ter nomes iguais a pessoas importantes como o Prof Dr Luís Graça, médico, obstetra, do Hospital de Santa Maria e da Faculdade de Medicina de Lisboa, também vantagens e inconvenientes... Duranjte anos, recebi convites convites para congressos internacionais... de obstetrícia...

E Uma vez a secretária do professor ou alguém dos serviços académicos da Faculdade de Medicina de Lisboa, telefonou-me (para o meu gabinte, na Escola Nacional de Saúde Pública), aflita, a meio da manhã (deviam ser umas 11 horas) porque estava toda a gente à minha para um prova pública de mestrado: o resto do júri,o mestrando, a família, os amigos...

É óbvio: tinha havido uma lamentável troca de nomes e telefones...Não cheguei a saber se o prof doutor Luís Graaça, médico, obstreta, membro do júri (arguente, orientador ou presidente) ainda foi a tempo, nesse dia...de fazer mais um mestre, a bem da medicina e da ciência em Portugal...