terça-feira, 21 de julho de 2015

Guiné 63/74 - P14906: (De)caras (23): Chefes de posto administrativo, no Cacheu, lembro-me de dois, com quem convivi, naturais de Cabo Verde, como eu: (i) Vicente Andrade; e (ii) Jorge Miranda Lima, casado com uma sobrinha do Amílcar Cabral; ambos tiiveram problemas com a PIDE/DGS, e o segundo conheceu a Ilha das Galinhas (António Medina, ex-fur mil, CART 527, 1963/65)


Foto nº 1 


Foto nº 2


Foto nº 3


Foto nº 4

Guiné-Bissau > Região de Cacheu > Cacheu > 14 de Fevereiro de 2005 > Imagens da cidade de Cacheu (fotos nº 1 e 2) e do forte quinhentista (fotos nº 3 e 4),  depois de restaurado e reabilitado. O forte,  na margem sul do rio Cacheu, no século XVI, dava protecção a uma das mais importantes feitorias no Noroeste da Guiné.

Álbum fotográfico do José Couto (ex-furriel milicano de transmissões, CCS/BCAÇ 2893, Nova Lamego). As fotos chegaram-nos através do Constantino (ou Tino) Neves, camarada do José Couto, e nosso grã-tabanqueiro de longa data.

Fotos: © José Couto / Tino Neves (2006). Todos os direitos reservados.  [Edição e legendagem: LG]

1. Mensagem do nosso camarada, que vive nos EUA, António C. Medina

[, foto à direita,  o camarada Antonio C[ândido da Silva]. Medina, ex-fur mil inf, CART 527, Teixeira Pinto, Bachile, Calequisse, Cacheu,Pelundo, Jolmete e Caió, 1963/65; natural de Santo Antão, Cabo Verde, foi funcionário do BNU, Bissau, de 1967 a 1974; vive hoje nos EUA desde 1980; é nosso grã-tabanqueiro desde 1/2/2014]


Data: 17 de julho de 2015 às 03:43
Assunto: Memória dos lugares.


Para Luís Graça e António Bastos:

Até que enfim,  acabo de sair desse meu ostracismo, esperando poder ser útil em esclarecer o assunto levantado pelo nosso camarada Bastos. (*)

Claro que sim, o Bastos afirma,  e com razão,  que, para se deslocar a Coboiana [, ou Caboiana], se passaria por Churro onde se seguia a picada para se deslocar àquele local, depois de muita caminhada passando por outras tabancas que de memória já não me lembro dos nomes.

Quanto a Chefes de Posto Administrativo,  apenas me lembro apenas de dois naturais de Cabo Verde:

(i) Vicente Andrade,  colocado em Cacheu, no ano de 1964,  que depois passou para o quadro das Alfândegas em Bissau, preso por algum tempo pela PIDE/DGS; e outro

(ii) Jorge Miranda Lima, casado com uma sobrinha de Amílcar Cabral, preso por boa temporada na Ilha das Galinhas,  no Arquipélago de Bijagóss  pela PIDE, onde foi torturado,  para depois ser nomeado Chefe de Posto em Cacheu. 

Crachá da CART 527 (1963/65)
Com esses dois mantive sempre bom relacionamento,  sem política pelo meio, até que regressei em 1965 para Lisboa.

Concordo plenamente que prestemos uma devida vénia às nossas mulheres que, com o seu trabalho no Movimento Nacional Feminino, contribuiram para minimizar ao soldado as dificuldades com que vivia numa guerra indesejada.

No que diz respeito às "más línguas",  não me recordo de nenhum Chefe de Posto em  Cacheu casado com portuguesa de Lisboa, com quem andasse eu em petiscos e copos quase que diariamente, até porque fui sempre respeitador e respeitado, seguidor dos deveres militares.

Para os camaradas Luis Graça e António Bastos um grande abraço do Medina.

_________________

Notas do editor:

(*) Vd. poste de 13 de julho de 2015 > Guiné 63/74 - P14871: Memória dos lugares (304): Sobre a tabanca de Caboiana, e sobre o chefe de posto de Cacheu, que era caboverdiano, o nosso camarada António Medina (,ex-fur mil CART 527, 1963/65, a viver nos EUA,) pode dar esclarecimentos adicionais (António Bastos, ex-1º cabo, Pel Caç Ind 953, 1964/66)

2 comentários:

Anónimo disse...

Caro António Medina
Gostava que me informasses se entraste em Mafra em 2 de Julho/1961 e fizeste a recruta até
Agosto e depois foste para Tavira. Eu estive lá e no meu pelotão 3º(Alferes Dante Marques e Furriel Magalhães Coelho) da terceira Companhia, comandada pelo Capitão Themudo Barata. No nosso pelotão havia muitos Caboverdianos, tais como o Humberto(Musico), o Medina (penso que eras tu), o Dani e outros mais.
Mas em Chaves apareceu O Autlio Andrade Gonçalves, creio que natural da Ilha de S.Antão ou Boavista, que esteve em Aveiro e que fomos para a Guiné a 3 de Abril de
1963 até 9 de Maio de 1965, prestamos serviço na zona Leste como companhia operacional
(CC.412) dos Batalhões 238 e 506, que penso devias conhecer(Falecido)
Sou
Alcidio Marinho
Ex-2ºSargento Miliciano(Há época Furriel)
Porto

Anónimo disse...

Olah Camarada e Gra-Tabanqueiro Alcidio:
Estou sempre disposto em prestar uma resposta aqueles que me batem ah porta ah procura de informacoes, desde que eu possa contribuir com resposta certa. Deste modo eh com grande alegria que te informo que sou o Medina que contigo andou nas mesmas fileiras. Lembro-me do Dante Marques, do Capitao Barata, dos Furrieis e do Capitao Pires quem eu encontrei em Bissau aquando fui empregado do BNU.Olhando bem para a tua foto consegui ver a tua imagem daquela epoca de quando eras muito mais novo. Estive na Guine e a minha Companhia de Artilharia 527 pertencia ao Batalhao de Bula sob o comando do Tenente Coronel Helio Felgas, jah falecido.
Com o Autilio, natural da Cidade da Praia, Ilha se Santiago andei em Aveiro no Regimento de Infantaria 10 para depois eu seguir para Cabo Verde e ser mais tarde mobilizado, levado para Lamego para o Centro de Operacoes Especiais onde se formou a nossa Companhia. O Autilio vive em Lisboa.
Quanto ao Humberto tem andado muito adoentado, com diabetes. E alguns outros que
ateh jah nao pertencen a este mundo.

Um grande abraco do
Antonio Medina