segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Guiné 63/74 - P16607: Ser solidário (200): Associação "Fidju di Tuga", com sede em Bissau, vai realizar um recenseamento dos lusodescendentes, filhos de antigos militares portuguieses (Cherno Baldé)


Guiné-Bissau > Bissau > 2014 > Membros fundadores da Associação Fidju di Tuga, com sede em Bissau. Cortesia da sua página na Net (que não tem sido atualizada).

1. Mensagem do nosso amigo Cherno Baldé, Bissau;


Data: 26 de setembro de 2016 às 12:25
Assunto: Pedido da associação "Filhos de Tugas"


Caros Luis e Carlos:

Os dirigentes da recém criada Associação dos Filhos de Tugas da Guiné-Bissau pretendem levar a cabo um trabalho de recenseamento dos seus irmãos e futuros membros (filhos de tugas) a fim de saberem com objectividade o número dos luso-descendentes ainda vivos e residentes no territorio da Guiné-Bissau.

Para o efeito,  e como não dispõem de meios materiais e financeiros para o fazer, solicitam vosso apoio no sentido de publicarem / anunciarem esse projecto no Blogue para captação  de todos os tipos de apoios possiveis e que possam facilitar a realização do recenseamento em data a anunciar.

O Diamantino (Presidente) e o Zé Maria (Secretário) estiveram em minha casa para um convite formal de integração na referida Associação na qualidade de membro honorário e Conselheiro e pediram-me ainda que vos apresentasse seus agradecimentos pelos apoios e a visibilidade feita
através do Blogue e que vos falasse sobre este assunto para juntos estudarmos a melhor forma de organizar um recenseamento credível e que não permitisse aproveitamentos de terceiros.

Cordialmente,

Cherno Baldé

2. Comentário do editor:

Cherno, obrigado por abraçares também esta causa, com a generosidade, a abertura de espírito e a frontalidade. que te caracterizam e que tão bem conhecemos. Estamos agora dar o devido relevo à tua mensagem. E, já que passas a ser uma espécie de "advogado e consultor", além de membro honorário,  da Associação Fidju di Tuga, peço-te que transmitas aos nossos amigos e irmãos o nosso convite para eles (individual ou coletivamente) integrarem a nossa Tabanca Grande.

Sabemos todos, no entanto, que há obstáculos a transpor progressivamente tais como a falta de recursos (técnicos, humanos, logísticos e financeiros), incluindo as dificuldades de acesso aos meios informáticos e à Internet.  Tão ou mais importantes que as pontes (, que não se constroem de um dia para o outro), são os construtores de pontes, como tu.

Em relação do projeto de recenseamento de lusodescendentes, filhos de antigos militares portugueses na Guiné-Bissau, digam-nos, em concreto, o que pretendem fazer, quando, onde, como... Divulgaremos a vossa iniciativa e vamos tentando sensibilizar ONG e associações de antigos combatentes para os vossos problemas e necessidades... Seria bom que alguma da ajuda humanitária que todos os anos é enviada para a Guiné-Bissau, a partir de Portugal, pudesse ser canalizada para a vossa associação.

Também podemos lançar um apelo a algum dos filhos dos nossos camaradas, que trabalham no setor da informática e "web design" (desenho de páginas na Net),  para vos ajudar a completar e atualizar a vossa página ou a criar uma página no Facebook.

Por outro lado, era importante que  a vossa voz pudesse chegar aos partidos com assento na Assembleia da República Portuguesa.  Há deputados que foram antigos combatentes, e outros que, não o tendo sido,  têm uma especial ligação à na Guiné-Bissau, à CPLP, à lusofonia, etc. Precisamos de gente ativa e solidária! (**)...

Um abraço fraterno. Mantenhas. LG

3. Missão da associação que agrupa os filhos dos ex-combatentes portugueses na Guiné-Bissau

A Associação Fidju di Tuga / Filho de Tuga foi criada em Bissau, em 2014, com os objectivos de: reagrupar e fortalecer os laços entre os filhos dos ex-combatentes portugueses deixados na Guiné-Bissau, de reencontrar os pais e familiares portugueses, de pedir às autoridades de Portugal o direito à nacionalidade portuguesa a que temos direito por sermos filhos de portugueses, pedindo a ajuda dos ex-combatentes portugueses nesta nossa missão. Este blogue pretende deixar registadas as experiências do tempo colonial e o drama social dos filhos que na Guiné foram chamados de "Filhos de Tuga" após a colonização e que sofrem até hoje por terem sido deixados para trás.

___________________


1 comentário:

Anónimo disse...

Faz sentido, é justo e é possível ajudar os luso-guineenses que querem encontrar ou conhecer um dos seus progenitores e querem ter acesso à cidadania portuguesa. Para tal precisam de apoios em equipamentos e em dinheiro. Nós que, através das nossas tabancas organizadas em Portugal, temos apoiado muitas iniciativas da Guiné, devemos redirecionar esses apoios de forma a que eles cheguem a esta novel associação.

Um abraço

António Carvalho