segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Guiné 63/74 - P16663: In Memoriam (268): Vasco Pires, ex-alf mil art, cmdt do 23º Pel Art (Gadamael, 1970/72), acaba de morrer, em Porto Seguro, Brasil (Pedro Araújo, seu afilhado)


Vasco Pires, natural de Águeda, ex-cmdt do 23.º Pel Art (Gadamael, 1970/72), emigrante no Brasil desde 1972. Morreu hoje em Porto Seguro.


1. Mensagem de Pedro Araújo. com data de hoje, às 19h24:

Caro Sr. Luis Graça.

Faleceu em Porto Seguro esta noite (31/10/2016),  de enfarte, seu camarada Vasco Pires. Como sei que era participante em seu blog,  sinto-me no dever de o informar do sucedido.

Seu afilhado.
Pedro Araújo.


2. Comentário do editor LG:

Meu caro Carlos Vinhal, editor do Vasco Pires:

Acabo de ser surpreendido com a notícia da morte, súbita, do nosso camarada e amigo Vasco Pires, "teu afilhado" (como ele gostava de dizer, com delicadeza, ternura e bom humor, considerando que tu eras o"padrinho" dele no blogue, porque o acolheste e o apresentaste à Tabanca Grande e lhe editas a sua série "Fantasmas... e Realidades do Fundo do Baú")...

Vamos fazer de imediato um poste, "in memoriam"... Se quiseres e puderes acrescenta qualquer coisa mais da tua lavra... Recordo que ele era um apaixonado pelas suas raízes bairradinas  e que fora para o Brasil em 1972, depois do regresso da Guiné... Mas não temos grandes dados biográficos sobre ele: família, amigos, negócios... Me, ao certo ao certo em que concelho da região da Bairrada nasceu: Anadoa ? Águeda ?...Sei que estudara em Coimbra, mas desconheço a vida dele no Brasil, que terá começado em São Paulo. Não sabemos o ano exato em que nasceu,  talvez entre 1945 e 1948... Sabemos o nome da sua companheira, Maria Helena, psicóloga clínica...

A trágica notícia é dada pelo afilhado, Pedro Araújo, a quem agradeço, comovido, o seu gesto (que é também de gratidão e apreço pelo seu padrinho e pelos seus camaradas de armas)...

Sabemos que morreu de morte súbita, em Porto Seguro, mais perto das suas raízes...Foi aqui que em 1500 os portugueses aportaram, quando chegaram às terras do Novo Mundo. Porto Seguro, a 4000 km da sua Gadamael, na região de Tombali, Guiné-Bissau, onde foi um brioso artilheiro, coamndante do 23º Pel Art, enter 1970 e 1972; e a 7000 mil da sia Bairrada querido, e do seu Portugal sofrido...

Estou desolado, estamos desolados, tu e eu. Ambos testemunhamos que o Vasco era uma presença, discreta mas constante, no nosso blogue. Tem 60 referências, afora muitas dezenas de comentários (que é preciso revisitar).

À família mais próxima, à sua companheira Maria Helena, e aos seus amigos, a todos eles na pessoa do afilhado Pedro Araújo (que agora o nosso contacto com Porto SEguro), a Tabanca Grande, o blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné, quer transmitir toda a sua solidariedade na dor.

O Vasco, que era a gentileza em pessoa, apesar da distância (física) que nos separava, era um ser humano de grande estatura e um extraordinário camarada, de quem começamos já a ter saudades.

Até sempre, camarada!...
Gadamael, presente!
23.º Pel Art, presente!
Tabanca Grande, presente!,
Brasil e Portugal, presentes!...

O editor
Luís Graça



Guiné > s/l > 1970 > Um "selfie" ("avant la lettre"...) do Vasco Pires, ex-alf mil art, cmdt do 23.º Pel Art, Gadamael, 1970/72; bairradino, vive no Brasil desde que acabou a comissão de serviço no CTIG... Sempre longe tão perto de nós, como ele gostava de nos dizer...




Vasco Pires, ex-alf mil art, cmdt do 23.º Pel Art, Gadamael, 1970/72, o primeiro à esquerda, de óculos escuros, no final da comissão, em Ingoré, região do Cacheu, 1972.


Fotos: © Vasco Pires (2014). Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné]


 3. Um camarada grato à Tabanca Grande



Caro Luis,

As palavras são de justiça, e agradecer não há que; não estou mitificando ninguém, a mim parece óbvio que a equipa que você lidera, presta relevante Serviço à nossa tão injustiçada geração.

Falando em justiça, não posso deixar de "confessar" a minha dívida pessoal, com duas pessoas, cada uma a seu modo, que me guiaram e incentivaram, nesses por vezes tão íngremes e tortuosos caminhos da memória; e só nós sabemos, que o "caminho da memória" dos veteranos de guerra, por vezes é ainda mais tortuoso que o do comum dos mortais.

A Maria Helena, minha companheira do pós-guerra, que é psicóloga clínica, foi quem me guiou com datas e factos que já estavam "jogados" no subconsciente, e me incentivou a essa catarse. E o camarada Carlos Vinhal, quem me recebeu nesta GRANDE TABANCA, criou até o caminho para os FANTASMAS saírem, e sempre me incentivou a encaminhá-los para o papel.

As palavras, como disse acima, são de JUSTIÇA e GRATIDÃO.

Forte abraço a todos

Vasco Pires


4. Comentário do co-editor CV.

Nesta época já de si nada alegre, uma notícia como a de hoje cala bem fundo em que estava habituado àquelas mensagens, curtas e concisas, que invariavelmente começavam por: Bom dia Padrinho, Cordiais saudações...

A última mensagem de trabalho, que guardo do meu afilhado é de 13 de Maio passado. O assunto era Fundo do Baú (revisitado), referente à sua série Fantasmas... e realidades do fundo do baú.

Quando se levantavam dúvidas na edição dos postes, deixava ao "meu exclusivo e avalizado critério" a escolha da melhor solução.

Refere o Luís a sua delicadeza, ternura e bom humor, o que confirmo após quase 5 anos de contacto. Os seus comentários, sempre correctos e oportunos, vinham no sentido de tentar esclarecer ou completar ideias ou acontecimentos, nunca depreciando qualquer camarada, mesmo os que davam palpites na área em que ele se sentia mais à vontade, a artilharia, aquela que usava obuses e peças, não a nossa, a da G3.

O Vasco vai para a equipa dos que partiram, mas não sem antes deixar o seu valioso contributo no nosso Blogue.

Pela minha parte, agradeço ao seu afilhado Pedro Araújo o nobre gesto de nos dar a notícia, que não queríamos receber, do seu falecimento. Peço-lhe que seja portador, junto da família, do nosso pesar pela perda do seu ente querido e do desgosto destes velhos combatentes pela perda do seu camarada e amigo Vasco Pires, de quem se orgulham. 

Carlos Vinhal
Co-editor
_______________

Nota do editor:

Último poste da série > 28 de outubro de  2016 > Guiné 63/74 - P16653: In Memoriam (267): gen pilav ref Francisco Dias da Costa Gomes (BA12, Bissalanca, 1967/68, cmdt do Grupo Operacional 1201)... Foi o primeiro piloto de Fiat G-91 a ser abatido, em 28/7/1968, sob os céus de Gandembel (José Matos, investigador independente em história militar)

15 comentários:

Anónimo disse...



Para os meus amigos e camaradas de aquém e de além mar que tiveram a gentileza de me cumprimentar dando-me uma opinião simpática, agradeço-vos muito e envio um grande abraço para todos, transatlântico para alguns, para todos electrónico. Para mim sois todos amigos de referência, o Hélder Valério desde a primeira hora procurou ambientar-me e incentivar-me a participar no blogue, O Vasco Pires e o José Câmara cada um a seu modo sois uns amigos leais e vibrantes meus e desta grande camaradagem da Tabanca Grande, o Carvalho de Mampatá é o meu meio irmão transmontano que tem também um grande amor pelos meus Montes.
Francisco Baptista
29 de outubro de 2016 às 22:39

Escrevi isto anteontem a agradecer as opiniões que estes camaradas deram sobre um poste meu, encabeçadas pela do Vasco Pires que eu considerei sempre como um grande homem, inteligente, culto, simpático, humilde, vertical. Foi com muita emoção que eu recebi esta triste notícia, gostava do Vasco como tenho gostado de poucas pessoas. Amanhã irei para Brunhoso, onde não tenho internet, pelo que não podia deixar de manifestar o meu pesar e o grande apreço que tenho por este grande amigo e camarada. Apresento os meus sentidos pêsames à sua família. Se o seu corpo vier para Portugal gostaria de saber para puder estar presente no seu funeral. Nunca te esquecerei Vasco, até sempre camarada!
Francisco Baptista

Anónimo disse...

Não esperava, ao abrir do Blogue, como faço todas as noites,encontrar uma notícia tão triste!... Não conheci pessoalmente o Vasco, mas Gadamael aproximou-nos. Ainda não há muito tempo que por mail me indicou uma maneira para podermos falar por telemóvel gratuitamente.
Perante as minhas insistências em obter elementos sobre a Artilharia de Gadamael, era notória a sua insatisfação em não me poder esclarecer, como desgostoso vivia em não poder contatar com os seus Furrieis!... Infelizmente já não vai ter a satisfação de ler a "memória" dos PelArt´s que passaram por Gadamael em que também colaborou... Adeus camarada, até sempre!...
Á família envio os meus sentidos pêsames.
Manuel Vaz

Anónimo disse...

Ao longo dos anos sempre apreciei os artigos e comentários do Vasco Pires e que o nosso amigo e camarada Francisco Baptista tão bem descreve.
O Vasco partiu, mas a sua memória ficará no meio de nós.
Até logo!!!
José Câmara

José Marcelino Martins disse...

É sempre com tristeza que tomamos conhecimento, da partida dos camaradas que, como nós, pisamos as terras da Guiné.
Começaram a partir antes de 1963, sim, porque antes já se registavam acidentes naquela terra, apesar de não estarem considerados nas estatísticas.
Porem, muito breve, talvez antes do que imaginamos, todos estaremos juntos.
Condelências à familia e a todos que com ele privavam.

Juvenal Amado disse...

Há família e amigos enlutados quero manifestar os meus mais sinceros sentimentos.
Não o conhecia pessoalmente mas os seus comentários fizeram dele uma pessoa próxima de quem se acaba por ter como família.

Até sempre camarada

Manuel Reis disse...

Amigo Luís:

Soube há momentos do falecimento do nosso amigo Vasco, através de um amigo comum.

Deixei um breve comentário no facebook, logo que me apercebi da notícia.

O Vasco era natural do concelho de Anadia, da mesma aldeia, amigo dos tempos de escola, do colégio e um bom companheiro da nossa juventude. Ambos pisámos os terrenos minados de Gadamael. Entrei, quando ele saiu.

Com ele perdemos também a escrita afável, doce e sábia ao falar da nossa Bairrada " terras do barro" de que tanto se orgulhava. A caçoila de que sempre falava, fica na minha memória, como recordação de amigo que amava a sua terra e se deliciava com os seus pratos regionais.

Resta-me desejar que repouse em Paz e apresentar as sentidas condolências à família.

P.S. Luís estou à tua disposição para te fornecer todas as informações sobre ele. O que não souber, informarei-me junto de amigos comuns. Um abraço para ti.

Anónimo disse...

Acabo de ser alertado do falecimento do meu Alferes.
Julgo que foi em 2012 que aqui referi "O Vasco Pires foi o meu alferes artilheiro. Empenhado, eficaz e corajoso. Uma das minhas "muletas" que a minha memória muito preza."
Hoje, consternado, sobrecarrego a memória com mais esta perda inesperada de um camarada a quem estou muito grato pela sua generosidade para comigo.
Sentidos pêsames à família e à Tabanca Grande.
Rezo a Deus para que o tenha junto de Si.
Morais Silva
Coronel, ex-cmdt da guarnição de Gadamael 1971-72


José Botelho Colaço disse...

À família enlutada os meus sentidos pêsames e com este desaparecimento da vida activa perdemos nós uma voz afável e fiável.

Anónimo disse...

Manuel Augusto Reis
1 nov 2016 13:49

Obrigado, Luís

Fui hoje surpreendido com essa dolorosa notícia. Reagi de imediato, mas a informação é dispersa e o que te digo aqui já o disse no Blogue e facebook.

O Padrinho muito se orgulha do seu afilhado. Era de facto uma pessoa de alto gabarito, a sua escrita não mente, é o seu espelho.

Como te disse num comentário, dispõe de mim para recolher informações. Muito desconheço da vida dele, a partir do momento em que partiu para o Brasil, mas junto de amigos comuns recolherei mais informações. Eu e um amigo comum já conversámos sobre a possibilidade de colaborar em tudo o que necessitares.

Estudámos juntos no Colégio Nacional de Anadia ], donde o Vasco era natural,] e em alguns períodos na Escola Primária.

Um abraço amigo,

Manuel Reis

Anónimo disse...

Habituei-me a vê-lo por aqui, vou estranhar a sua ausência. Nunca o conheci pessoalmente, mas a vida e a morte são isto exactamente.
Vou ter saudades, não sei por quanto tempo.
À família enlutada os meus sentidos pêsames.
Cada vez vamos sendo menos, lei natural da vida, mas também descanso para aqueles a quem possamos eventualmente incomodar.
BS

Anónimo disse...

Pedro Araújo

1/11/2016 16:27


Caro Luís.

Agradeço suas elogiosas palavras a respeito do Vasco. Foi ele que me enviou sempre os links para os posts que enviava para o seu blog.

Vou enviar-lhe o material biográfico que possuo do Vasco. Recebi também algumas mensagens de voz enviadas pela filha do Vasco para o seu amigo Jamil, de S. Paulo a respeito das cerimónias fúnebres, que também lhe poderei enviar.


Cumprimentos.

Hélder Valério disse...

Mais um camarada que parte!

Sabemos que a morte é inevitável, mas nunca se está verdadeiramente preparado.
No caso deste nosso grande amigo Vasco a surpresa foi grande.
Lamento profundamente, gostava muito de ler as suas intervenções, serenas assertivas, esclarecedoras.
É uma pena.

Aos familiares, os meus sentidos pêsames.

Hélder Sousa

Anónimo disse...

Professor Vasco Filipe Pires,

Sou filho do Vasco e no domingo tive a pior notícia da minha vida , a morte de meu Pai , fui surpreendido pois conversei 3 dias antes e me relatou que estava bem assim como das outras centenas de vezes que eu ou a família ligava , talvez por estar com pressentimentos afirmei que iria visitá-la no feriado de finados e ele recusou com impaciência minha visita assim como em outras vezes , ele não deixou encontrá-lo muito provavelmente não querendo mostrar fragilidade com sua saúde delibitada , não gostaria de mostrar fraqueza pois Ele sempre foi um grande guerreiro , seu exemplo de homem é o maior já visto por mim , sempre cumpriu com suas obrigações , demonstrava a todo momento honestidade e coragem.Ele faleceu contudo sua imagem permanecerá eternamente na minha memória devido seus bons exemplos , valores e atitudes que sobretudo me guiaram para o resto da minha vida até reencontra-lo em outra oportunidade.

Isabel Pires Zanini disse...

Meu irmão eloquente e paradoxalmente introspectivo, bom, culto, inteligente e amigo, descanse em paz (30/10/16)
Isabel Pires Zanini
Porto Seguro, 3 de novembro de 2016

Monica Pires disse...

Meu nome é Mónica. filha mais velha do Vasco Pires. Somos três, todos morando no Brasil (Monica, nascida em 73; Catarina, nascida em 76 e Vasco Filipe, nascido em 78)

Quero dizer que fiquei muito feliz ao ler as mensagens e saber que meu pai deixou tantos e tão afetuosos amigos, bem como que sua existência fez uma diferença positiva no mundo.

Aproveito para comunicar que a missa de 7º dia do Vasco Pires será em São Paulo, sábado (dia 05/11), as 12:00 hs na Igreja da Cruz Torta

http://www.cruztorta.org.br/

abs

Monica Pires