domingo, 1 de maio de 2016

Guiné 63/74 - P16037: In Memoriam (256): José Eduardo Alves (1950-2016), ex-Soldado Condutor Auto da CART 6250, Mampatá, 1972/74), falecido ontem, dia 30 de Abril de 2016. O funeral é amanhã, segunda-feira, pelas 10 horas, na Capela do Corpo Santo, em Leça da Palmeira

 IN MEMORIAM

José Eduardo Alves (1950-2016),
ex- soldado condutor auto da CART 6250, "Os Unidos de Mampatá" (1972/74), natural de Leça da Palmeira... O funeral é 2ª feira, dia 2, às 10h00

A notícia chegou ontem ao nosso conhecimento através do Ribeiro Agostinho, que estava a acompanhar mais de perto o estado de saúde do nosso malogrado camarada José Eduardo.
Mal chegados do convívio comemorativo do Dia do Combatente de Matosinhos, no Núcleo de Matosinhos da Liga dos Combatentes, já a esposa do José Eduardo, a D. Conceição, comunicava ao Agostinho o falecimento de seu marido.

Desde há algum tempo que o José Eduardo [foto actual à direita] lutava contra a doença que o apoquentava. Ainda chegou, mais a esposa que sempre o acompanhava, a inscrever-se no X Almoço/Convívio dos Combatentes do Ultramar do Concelho de Matosinhos e no XI Encontro da Tabanca Grande, mas em nenhum deles participou, infelizmente.

O José Eduardo e a D. Conceição eram muito amigos, principalmente das crianças, da Guiné-Bissau, onde se deslocaram várias vezes a partir de 2009, no seu automóvel, com fins humanitários(1).
Estava inclusive prevista uma ida à Guiné-Bissau, ainda este ano, para levar mais donativos, contributos variados que fazem imensa falta à população daquele país irmão.
  
A D. Conceição chegou a confidenciar que quando encontrava roupa de criança abandonada, ainda em bom estado, levava para casa, lavava, consertava, passava a ferro, e guardava para um dia levar, ou mandar, aos meninos da Guiné-Bissau. 

Duas boa almas, uma, o José Eduardo que nos deixa, e outra, a D. Conceição, que vai ter de enfrentar a saudade do seu marido. O filho de ambos, a trabalhar na Suíça, estará já junto de seu pai para a derradeira despedida e para confortar a sua mãe, no dia de todas as Mães.

Quem quiser e puder prestar uma última homenagem ao nosso camarada José Eduardo, um homem simples, mas de grande estofo moral, altruísta, trabalhador incansável(2) e amigo verdadeiro de quem pela sua vida passou, pode fazê-lo a partir de hoje, domingo, na Capela do Corpo Santo, em Leça da Palmeira, onde o seu corpo já se encontra em Câmara Ardente.

O funeral sai da mesma Capela às 10 horas da manhã(3), de amanhã segunda-feira, para a Igreja Matriz, onde será celebrada Missa de Corpo Presente, seguindo depois para o Cemitério n.º 2 da mesma freguesia, onde o corpo será sepultado.

Em especial, à D. Conceição e ao filho de ambos, a tertúlia do nosso blogue envia as mais sentidas condolências, com a certeza de que o José Eduardo jamais será esquecido por nós.


Guiné-Bissau - Numa das sua visitas àquele país, o José Eduardo, à esquerda e o António Carvalho, à direita.


Guiné-Bissau - A D. Conceição rodeada de meninos
____________

Notas do editor

(1) Vd. poste de 23 de maio de 2010 Guiné 63/74 - P6459: Ser solidário (72): Viajar (e sentir) pela Guiné (José Eduardo Alves, ex-Condutor da CART 6250/72)

(2) Vd. poste de 22 de maio de 2009 Guiné 63/74 - P4400: História de Vida (22): Refazendo a vida correndo o mundo (José Eduardo Alves)

(3) - Horário alterado posteriormente ao lançamento do poste, depois de o editor falar com a D. Conceição.

Último poste da série de 21 de abril de 2016 Guiné 63/74 - P15999: In Memoriam (254): Nina Amado (1932-2016), Mãe do nosso camarada e amigo Juvenal Amado, falecida no passado dia 13 de Abril

9 comentários:

JD disse...

Tive oportunidade de conviver com o casal numa deslocação à Guiné, e eram de facto pessoas simpáticas e solicitas. Agora o Zé acabou a caminhada, como um dia vai acontecer-nos.
Aproveito para apresentar as minhas condolências pelo infeliz evento.
Um beijo para a D. Conceição com votos de coragem e resignação nesta hora, e para o Zé fica um abraço a aguardar agenda.
JD

Carlos Vinhal disse...

Acabei de estar com a D. Conceição e com o filho, que estão inconsoláveis. Por eles soube da alteração do horário do funeral, 10 horas, que sai mais cedo da Capela do Corpo Santo, para que seja rezada Missa na Igreja Matriz.
Carlos Vinhal

António Murta disse...

O José Eduardo Alves, o "Leça", foi meu contemporâneo em Mampatá, mas só o conheci verdadeiramente (e à sua esposa), no encontro da Cart 6250 em Julho do ano passado. Era a simplicidade em pessoa mas de carácter firme.

À sua esposa e restante família, envio as minhas sentidas condolências.
Aos seus amigos e camaradas, especialmente o Zé Manel e o Carvalho de Mampatá, envio um abraço solidário.

A. Murta.

Tabanca Grande disse...

Para a nossa amiga Conceição, viúva do Zé Eduardo, para o filho e restante fam+ilia, e ainda para os "Unidos de Mampatá" a minha solariedade na dor pela perda do marido, pai, parente, amigo e camarada. Abraço fraterno, Luís Graça, fundador deste blogue.

PS -Peço ao nosso editor Carlos Vinhal para confirmnar ou eventualmente corrigir o ano de nascimento do Zé Eduardo que deixa a nossa Tabanca Grande, mais vazia, mais pobre. Deduzo que sele seja de 1950, tendo em conta o ano em que foi mobilizado para a Guiné.

Juvenal Amado disse...

DE lamentar mais esta perda da grande família que são os ex combatentes.
Não havendo palavras suficientes para minimizar a dor e consternação de quem com ele conviveu, quero aqui deixar as minhas mais sinceras condolências à família e aos amigos, que com ele mantiveram a mais estreita ligação.

Anónimo disse...

Sempre optimista e esperançoso, a nada se vergava ele José Eduardo, mesmo quando perdeu uma filha, há alguns anos, logo se reergueu com novo ânimo. Por sorte, também a esposa Conceição o acompanhava nas jornadas de solidariedade para com o povo da Guiné, especialmente da área de Aldeia Formosa e Mampatá, que visitava, todos os anos, desde 2009. Mas a morte não escolhe só os maus nem só os bons, leva-nos a todos, quando calhar. Cada vez ficamos mais reduzidos, até que o último morrerá também, inexoravelmente.

Para toda a família
A minha homenagem
Carvalho de Mampatá

Anónimo disse...

Sempre optimista e esperançoso, a nada se vergava ele José Eduardo, mesmo quando perdeu uma filha, há alguns anos, logo se reergueu com novo ânimo. Por sorte, também a esposa Conceição o acompanhava nas jornadas de solidariedade para com o povo da Guiné, especialmente da área de Aldeia Formosa e Mampatá, que visitava, todos os anos, desde 2009. Mas a morte não escolhe só os maus nem só os bons, leva-nos a todos, quando calhar. Cada vez ficamos mais reduzidos, até que o último morrerá também, inexoravelmente.

Para toda a família
A minha homenagem
Carvalho de Mampatá

Anónimo disse...

Não estive convosco na Guiné, estive em Angola e é fácil de entender o espírito de grande camaradagem entre vós. Há uns anos atrás criei um slogan que diz:
AS ARMAS TAMBÉM UNEM OS HOMENS
Neste momento, quero dizer que conheci o Eduardo há poucos anos, mas além de grande trabalhador, era um homem de carácter e amigo.
O seu grande coração dividia-se pela Guiné. Falava deste país com uma alegria e vaidade por bem conhecer.
Neste ano da Misericórdia que o Papa Francisco bem instituiu, o nosso amigo Eduardo e a sua esposa Conceição, muito bem lá cabem. Que Deus lhe dê coragem para enfrentar este desenlace, bem como a seu filho que os amigos tenham o discernimento adequado para os ajudar. Enfim, vamos dar as mãos para ultrapassar este momento tão difícil, mas a vida é isto e não para.

Manuel Carvalho disse...

Homem de carácter e de forte personalidade mas simples e amigo do seu amigo.Gostava de olhar olhos nos olhos e cumprimentos de mão bem apertados.Sempre preocupado com o seu semelhante e passou os últimos anos da sua vida a ajudar os seus amigos da Guiné.
Que Deus o tenha num bom lugar que bem merece.Um dia nos encontraremos por aí.Para a esposa e filho as minhas sentidas condolências.

Manuel Carvalho