quinta-feira, 16 de março de 2017

Guiné 61/74 - P17145: O ten cor cav António Valadares Correia de Campos que eu conheci (1): José Manuel Pechorro (ex-1.º cabo cripto, CCAÇ 19, Guidaje, 1971/73); Manuel Oliveira Pereira (ex-fur mil, CCAÇ 3547 / BCAÇ 3884, Bafatá, 1972/74)


Coronel de cavalaria reformado António Valadares Correia de Campos, que faleceu em 2006, foi um dos bravos de Guidaje e vai-lhe ser prestada homenagem, em documentário televisivo, assinado pelo realizador António Pedro de Vasconcelos, pelo seu papel no 25 de Abril. Imagem, de origem desconhecida, enviada pelo nosso camarada José Manuel Pechorro, um dos bravos de Guidaje (ex-1.º
cabo cripto,  CCAÇ 19, Guidaje, 1971/73).


Estandarte do BCAÇ 3884 (Bafatá, 1972/74). Cortesia de Manuel Oliveira Pereira: Este batalhão ("Velozes e agressivos", era o seu lema), esteve na Guiné entre Março de 1972 e Julho de 1974, e dele faziam parte, além da Companhia de Comando e Serviços (CCS), sediada em Bafatá, as companhias de quadrícula estacionadas em Contuboel (CCAÇ 3547), Geba (3548)  e Fajonquito (CCAÇ 3549).

O batalhão teve 6 comandantes: (i)  ten cor inf Mário da Cunha Torres; (ii) ten cor inf Artur Baptista Beirão; (iii) ten cor cav António Valadares Correia de Campos; (iv) ten cor cav  Henrique Augusto Teixeira  de Sousa Sanches; (v) maj art Óscar José Castelo da Silva; e (vi) maj inf Mário José Vargas Cardoso.


1. Mensagem do José Pechorro [, foto à esquerda], com data de hoje, às 00:46

Olá , Luís Graça,

Sobre a solicitação de fotos do Ex. Cmdt do Cop 3 – Bigene – Guiné Bissau, Sr. Ten Cor Cav António Valadares Correia de Campos, “Águia”, posso acrescentar, para já, que faleceu em Lisboa em 3-6-2006, com o posto de Coronel.

Entrou em Guidage em 10 de Maio de 1973 e deixou esta povoação e quartel em 13 de Junho de 1973, Terça-feira.

Infelizmente não disponho de fotografia do nosso ex Cmdt Sr. Ten Cor Correira de Campos, o que disponho é uma foto que anexo, e que extraí de um artigo, numa revista sobre este militar e o seu papel na defesa de Guidage. Não recordo o nome da revista, nem a data (terão passados 15 a 20 anos...). Poderá ter sido um anexo do jornal o Século...

O ex. 1º Cabo Radiotelegrafista Janeiro, ficou de verificar, mas em princípio não tem.

Um abraço,
José Pechorro


2. Comentário de Manuel Pereira (*):

Caros amigos/camaradas, S
ó agora vi o "nosso" blogue que procura "ajudar" na obtenção de fotografias do Ten Cor Correia de Campos. Este militar, de quem guardo as melhoras lembranças e amizade, foi meu comandante de batalhão (BCaç 3884 - Bafatá).

Vou procurar nos meus arquivos se tenho alguma fotografia - ele era avesso a este tipo de registo - ou se eventualmente alguém do conjunto do Batalhão. Logo que tenha informação, voltarei a este espaço.

Saudações,
Manuel Oliveira Pereira,
ex-Fur Mil da CCaç 3547 (72-74) 
__________________

Nota do editor:

(*) Vd. poste de 15 de março de 2017 > Guiné 61/74 - P17140: Em busca de... (274): uma foto do tenente-coronel de cavalaria António Valadares Correia de Campos, comandante do COP 3 e um dos bravos de Guidaje... Precisa-se, com urgência,  para documentário sobre o 25 de Abrilm, a realizar pelo cineasta António Pedro Vasconcelos

(..) A Just Up, produtora de audiovisuais, encontra-se na fase final de produção do documentário sobre o 25 de Abril, "A Vox e os Ouvidos do MFA". O documentário será exibido na RTP1 e é realizado por António Pedro Vasconcelos

Retrata as duas noites anteriores ao 25 de Abril, quando um grupo de 20 soldados fizeram a instalação de um cabo telefónico desde Benfica até à Pontinha, que veio permitir ao Posto de Comando do MFA ter acesso às escutas dos telefones do governo.

Para além de entrevistas aos militares envolvidos nesta operação, necessitamos também de algumas
imagens de arquivo. Durante a pesquisa para o documentário, chegamos até ao vosso blogue sobre as campanhas na Guiné onde fazem referência ao tenente coronel Correia de Campos. Neste contexto venho saber se têm na vossa posse algumas fotos com o sr. tenente coronel Correia de Campos que possamos usar no nosso documentário. (...)

(...) Tem sido uma aventura encontrar uma foto do tenente coronel Correia de Campos! Nem Centro de Documentação 25 de Abril nem Associação 25 de Abril... só uma, do Arquivo do Exército, mas péssima. Estou a tentar encontrar alguém que tenha convivido com o senhor e que talvez possa ter 1 foto da época. (...)

5 comentários:

Tabanca Grande disse...

Teresa: Deve ter recebido o mail do meu camarada José Pechorro. É o melhor que se pode arranjar... Dei um retoque à imagem. Não sabemos a quem atribuir os créditos fotográficos. Deve ser foto já do fim da vida: o coronel morreu em 2006. É pena não haver uma
do tempo da Guiné...

Entretanto, temos mais um comentário de um camarada nosso, Manuel Oliveira Pereira, que ficou de ver no seu álbum fotográfico da Guiné. O Campos de Campos foi um dos seus comandante de batalhão, é mais fácil ele ou algum camarada de batalhão ou das suas 4 companhias (600 homens) ter um foto... Dou-lhe também, a ele, Manuel Pereira, conhecimento desta mensagem.

Teresa, como vê, isto é o melhor da camaradagem, entreajuda e solidariedade que existe entre os antigos combatentes da guerra da Guiné, e que se reunem à sombra do "poilão" da nossa Tabanca Grande.

Bom dia, Luís Graça

Anónimo disse...

Teresa Sousa
16 mar 2017 10:25

Bom dia, Sr. Luís Graça

Muito obrigada pela sua ajuda! Nem tenho palavras para vos agradecer este empenho. Realmente a solidariedade entre camaradas que serviram o país em zona de combate não é um mito...Estou sem palavras!

Pode ser que ainda se encontre uma fotografia do Senhor Tenente Coronel dos anos 70. De qualquer forma vamos ver o que pode ser feito na mesa de edição. Mas isto é ótimo!

Os meus respeitos a todos vós que nos serviram

Teresa Sousa

José Marcelino Martins disse...

Até ao momento estive "em silêncio" sobre a questão da fotografia.
No processo individual, que pode ser solicitado no Arquivo Histórico Militar, mas que terá de ser transferido para as instalações da Sala de Leitura, é muito provável que tenha uma foto, pelo menos dos anos do inicio da sua carreira militar.

Outra fonte, e muito mais viável, será a família, se contactada e informada para que se destina.

Com a "folha de serviços" que o visado tem, já não se trata de uma questão "pessoal", mas "nacional". Na realidade foi um dos nossos e dos melhores.

Anónimo disse...



Segundo as informações que ouvi na Guiné de alguém que , durante algum tempo, foi adjunto dele, informações do blogue e dos meios de comunicação social, o Tenente-Coronel Correia de Campos, para mim, foi o oficial superior mais competente, mais digno, mais corajoso que passou pela Guiné. Tenho uma grande admiração por esse grande homem e grande militar.
Francisco Baptista

Jorge disse...

Para mim os oficiais mais destemidos na guerra das colónias foram os três capitães e o majos que participaram no assalto a Kumbamory em Maio de 1973. Esses sim arriscaram a vida em pleno Senegal incorporados na Batalhão de comandos africanos que libertaram Guidage. Quanto a Correia de campos, não compreendo como ele terá ido em 10 de Maio para Guidage quando sabíamos que, nem plo ar nem por terra era possível ter acesso a esse quartel... ???