sexta-feira, 9 de março de 2018

Guiné 61/74 - P18393: Fotos à procura de... uma legenda (102): Uma mulher fula a amamentar a "sua" cabrinha!... Ainda em tempo, celebrando o Dia Internacional da Mulher (Foto de João Martins, Piche,1968)


Guiné > Região de Gabu > Piche > Foto nº 112/199  do álbum do João Martins > 1968 > Uma  mulher fula amamentando, com o leite do seu próprio peito,  a "sua" cabrinha (ou cabritinho ?), provavelmente um dos bens mais preciosos do seu escasso património familiar... Uma ternura de foto do álbum do nosso camarada João Martins, já célebre nas redes sociais.... Era mais fácil aos fulas vender-nos uma vaca do que um cabrito...

Foto: © João José Alves Martins (2012).  Todos os direitos reservados. [Edição e legendagem: Blogue Luís Graça & Camaradas da Guiné]


1. Já na altura (*) eu tinha comentado a "felicidade" e a "ternura" desta foto (e,  por tabela, a apreciação do João sobre os fulas)... Dizia mais ou menos isto:

João: sobre as tuas andanças pelo leste, o "chão fula" (foste de Bambadinca a Piche com 3 peças de artilharia 11.4), as tuas reflexões, os teus temores, a tua perceção do portuguesismo dos fulas, não me compete, a mim, pronunciar...

Sabias, logo entraste,  que umas das regras de ouro do nosso blogue era justamente não fazer "juízos de valor" sobre o que cada um de nós viveu, experimentou, sentiu, pensou (ou pensa)... Aliás, no dia em que transformássemos o nosso blogue em tribunal (inquisitorial) dos combatentes da Guiné, assinarímos a sua sentença de morte!... O que felizmente não aconteceu ao fim de quase 14 anos a "blogar"...

Eu estive 22 meses entre os fulas, numa companhia africana, a CCAÇ 2590 / CCAÇ 12 (Contuboel e Bambadinca, junho de 1969/março de 1971), composta por praças fulas, do recrutamento local,  comi e dormi em tabancas fulas, defendi tabancas fulas, vivi entre os fulas, fiz amigos e amigas fulas... Tenho outras vivências, diferentes de ti, que estiveste de passagem pelo "chão fula"...

Agora, acredita, nunca vi, que me lembre, uma mulher (fula) a dar de mamar, com o leite do seu próprio peito,  a uma cabrinha!... Nem fula nem balanta ou de outra etnia... Mas no caso dos fulas, entende-se melhor: eram originalmente um povo de pastores e nómadas...

Ainda continuo a pensar o mesmo que te disse em 2012: espantosa foto a tua, parabéns!... Se fosse agora, merecias que a mandássemos para o concurso da Worl Press Photo!

Passou ontem o Dia Internacional da Mulher, ainda vou a tempo de voltar a reproduzir, no nosso blogue, esta foto que merece, seguramente,  melhor legenda do que a minha!... Aqui fica o desafio aos nossos leitores e leitoras. (**)
______________

Notas do editor:

(*) Vd. postes de:

13 de maio de  2013 > Guiné 63/74 - P11565: (Ex)citações (220): Cherno Baldé, deixo aqui a minha homenagem à mulher do teu país...(João Martins)

8 comentários:

Tabanca Grande disse...

Gostava que o Cherno Baldé, filho deste grande povo de pástores e nómadas que são os fulas, pudesse comentar esta foto de certo modo insólita...aos olhos ocidentais.

Valdemar Silva disse...

'Mãe de leite', que extraordinária fotografia.

Valdemar Queiroz

Cherno AB disse...

Caro Luis,

Confesso que fiquei tao atonito quanto voces, nao eh uma pratica corrente, nunca tinha visto nem ouvido falar. A vida e especialidade dos fulas estava ligado a criacao de gado bovino. Mas, tambem, o caprino nao eh negligenciado, com a sedentarizacao.

O Joao Martins conseguiu um feito que, talvez, nunca se repetira no futuro. O instinto humano eh capaz de milagres.
Sera possivel repetir, mas nao sera encorajado, pelos riscos que poderia acarretar, relativamente ao filho(a) humano(a), supondo que estivesse vivo(a) e utilizando a mesma fonte.

Com um abraco amigo,

Cherno

Tabanca Grande disse...

Podia-se pensar que esta jovem mulher estava a "bater-se" à fotografia... Pode parecer, pelo seu sorriso algo matreiro (?), que ela é "cúmplice" do fotógrafo... Mas não estou a imaginar o João Martins, pelo que já conheço dele (de há anos, e agora mais recentemente, é meu comnpanheiro das caminhadas de terça-feira, na Quinta das Conchas e dos Lilases, em Lisboa...), a "fazer batota" para conseguir a "foto do ano"...

Também não me parece haver aqui qualquer conotação sexual, não é um caso de "zoofilia"... Enfim, falta-nos informação de contexto, eu diria que é um caso de "compaixão" de uma mãe humana (que ainda tem leite e alimenta um filho de tenra idade...) para uma cabrinha ou cabritinho que pode ter ficado órfão...

Não sei se o João Martins tem mais elementos para completar a história...Mas podemoes especular... O ser humano tem a forte ligação aos seus animais domésticos, do cão ao gato... Mas também há histórias de zoofilia entre os pastores...e não só!

Tabanca Grande disse...

A comunicação não verbal,corporal, entre os seres humanos é complexa, não é fácil entendê-la... E, para há, há aqui duas culturas diferentes, uma africana e outra europeia...

Olhando bem, não vejo aqui nenhum "sorriso matreiro" nesta jovem mãe que amamenta com o seu próprio peito uma cabrinha ou um cabritinho, provavelmente órfã(o)... O seu sorriso parece-me cândido... Quem devia estar surpreso era o "tuga" do João Martins que, de resto, não teve em Piche os melhores encontros com os fulas, pelo que se deduz das suas memórias...

Tabanca Grande disse...

Que idade é que pode ter esta mulher, Cherno ? Parece-me ainda muito nova, e deve ter tido o seu primeiro filho...

Quanto ao animal, é difícil saber se é macho ou fêmea...

Cherno AB disse...

Caro Luis,

A julgar pela posicao e elasticidade dos seios caidos no peito e o avontade no amamentar nao eh o primeiro filho (nos dizemos barriga). Ela eh muito nova, nao devendo ter mais de 22 anos, mas nao tao nova para o casamento que, entre os fulas, comeca aos 15/16 anos. Todavia, posso estar errado na minha avaliacao.

Quanto ao animal, parece-me impossivel determinar se macho ou femea, nessa fase.

Cherno

Tabanca Grande disse...

Estes casos não são inéditos: podem encontrar, no You TUbe, vídeos de mulheres (em África, na Índia, na Amazónia brasileira...), amamentando bezerros, cachorros, cabritos, pequenos macacos do Novo Mundo... Com o seu próprio peito, não de biberão...

https://www.youtube.com/watch?v=vBJ6eoGlFiI

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2011/01/em-tribo-no-maranhao-indias-amamentam-animais.html

(...) Os awá-guajá são uma das últimas tribos nômades das Américas. Em sua reserva, no noroeste do Maranhão, eles mantêm a a tradição de contato próximo com os animais. O filhote de cutia é alimentado com o fruto do babaçu. E o de macaco é amamentado pelas índias.


"O awá-guajá é um povo muito único. E essa relação que eles têm com o bicho, ele passa a ser membro da família", conta Bruno Fragoso, coordenador de Índios Isolados da Funai. A índia Tapanií explica que quando o macaco órfão que ela adotou ficar maior e mais agressivo, ela o soltará na mata. É na floresta que a vida dos awá-guajá se renova e também corre risco no encontro com invasores. (...)

https://www.youtube.com/watch?v=ie4ecpI-vfI