sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Guiné 63/74 - P16570: Blogpoesia (473): Peregrinação (Augusto Mota, camarada da diáspora no Brasil; ex-1º cabo, Grupo Material e Segurança Cripo , Bissau, QG, CTIG, 1963/66)

1. Mensagem de Augusto Mota, com data de 12 de setembro último:

[foto à direita: ex-1º cabo, Grupo Material e Segurança Cripo (Bissau, QG, CTIG, 1963/66)]


Caríssimo Luís,

Acabei de ler nosso último contato. Temos algumas retificações:

DESTERRO DE ENTRE RIOS - É em Minas Gerais (MG) e não em Mato Grosso. "MG" é a sigla. Em consequência a foto do lago ou represa tem o mesmo erro. A foto 2, em Carmópolis (também em mg), idem.

Aproveito para mandar algo "escrito" de minha lavra [Peregrinação, datada de 2005].

Tchau, amigo!

PS [28/9/2016] - Passei pelo blog e reparei que a correção (Minas Gerais e não Mato Grosso), não consta. Imaginando tratar-se de algum desvio de meu e-mail, aqui estou reencaminhando o mesmo.



PEREGRINAÇÃO


refrigerado...
condicionado,
mergulho no bafo
possessivo do sol...
martírios,
Praça dos Martírios.
-jesus está chegando!
-ehehehehehe!
crendices, crendices...
a esteira sebosa do pedinte
é sofisticação.

rua do Sol...
João Pessoa,
Augusta...
rua das árvores...
comércio...
rua do Comércio
empréstimo
dinheiro
empréstimo
Boa Vista...
bancas... carroças...


-patrão
-freguês
-mestre
-negão!
... perdido no tempo
rasgando o espaço...
humanoide repetitivo,
reciclando fantasmas.
-eita, miséria!!!


Casarões, casinhas,
Remendos, galpões...
IN-I-DEN-TI-DA-DES!
a massa agitada,
miasmas, parasitas,
enfermidades.


navego absorto
em busca da linha
seccionada.
-que dia é hoje?...


CD... amendoim...
pastel chinês...
sapateiro...
buraco... buraco
buzinas...
muitas buzinas...
e o trem pastando
entre barracas:
-Te!... teeeeee!
e o trem posando
sobre os trecos 
da feira do troca-troca:
-Te!... teeeeee!


costuro o trânsito:
paro aqui, sigo acolá,
subo e desço calçadas
por entre odores
de noites e matinas.
-tem mulher pelada?...


calor, suor,
filme pirata
pirata
lotação
santa amélia
água de coco
vozes...
muitas vozes
de mundos inexplicáveis.


-não tenho
-não tenho
-não tenho
-que horas moço?
máculas citadinas...


João da moenda,
Bio cachaça,
Rita canavial,
caldo de cana,
cheiro de usina...
Bia... Bia garçonete.
Canetinha vocifera.
Maria... Maria
do esgar constante.
Madalena brava
qual sabor amargo da desilusão...
hematoma, mioma...
os óculos escuros na cara de madame
são janelas fechadas
para o mundo.


caramba,
esqueci a passagem de volta
ao ventre de Mãe!...
-Mar!... quero ver o mar alto,
alto mar.
sua infinitude.
sorver lhe a imensidão,
cortar e pesar o silêncio
em suas catacumbas
onde jaz a civilização:
plásticos,
dejetos,
minérios letais,
esqueletos das naves
dos meus ancestrais.


zoada! zoada!...
investir social
excluir excluídos
zoada... zoada...
para todos
para todos...


olha! Lá vai a ave preta
de bico dourado...
-oi menino, cadê teu pai?
-gaaaalo!... gaaaaalo!...
gritaria correria
um guri voando...
menina aponta 10 dedos da mão
para titio.
a mímica da vida.
DES-PA-TER-NI-DA-DES!
Sinimbu...
sem terra,
sem vergonha,
sem teto
curtindo ao sol
para todos...
paira no ar Salgadinho.
... Deodoro
Pirulito
vale... vale transporte
lotação
filme pornô
quinquilharias...


-quantas léguas!...
a destra ocupada,
a sinistra cansada.
na frente, a galáxia em que
gravito.
verdades, mentiras, imaginações,
mas meu horizonte ninguém vê.
factível ou não,
como é fácil moldar a fantasia!...
nada de novo
no reino de morfeu.


augusto mota

Maceió/2005

 ________________

Glossário:

AVE PRETA DE BICO DOURADO = Tucano. Símbolo de partido político
GALO = time de futebol
GURI = Criança
PIRULITO = Pequena Praça em Maceió
SALGADINHO = Canal levando dejetos para o Mar
SINIMBU = Praça, em Maceió, onde normalmente se fazem acampamentos de “Sem Terra” preparados para protestos.

___________
Nota do editor:

Último poste da série > 2 de outubro de 2016 > Guiné 63/74 - P16548: Blogpoesia (472): "Segundo dia de Outubro"; "Me sinto um não pintor que quer escrever" e "Marés vivas", poemas de J.L. Mendes Gomes, ex-Alf Mil da CCAÇ 728

2 comentários:

Tabanca Grande disse...

(...)caramba,
esqueci a passagem de volta
ao ventre de Mãe!...
-Mar!... quero ver o mar alto,
alto mar.
sua infinitude.
sorver lhe a imensidão,
cortar e pesar o silêncio
em suas catacumbas
onde jaz a civilização:
plásticos,
dejetos,
minérios letais,
esqueletos das naves
dos meus ancestrais. (..:)


Augusto, há aqui um poeta... esquecido ? ocultado ? desterrado ?...Não há mais poemas no baú ? Fico curioso, expectante... Afinal, Maceió é do outro lado do Altlântico, ao alcance do braço dos poetas... E não é só sol e praias... LG

Anónimo disse...


augusto mota
8 out 2016 03:28


Caríssimo,

Vejo que está bem disposto rsss... isso é maravilhoso. Afinal, nos tempos em que vivemos a boa disposição chega a ser um acinte. Felizes os que conseguem manter o estado de espírito de braço dado com a alegria.

Realmente tem sol, tem praia, tem muita gente boa, muito povo que sofre e ordas imensas dos que não prestam. Meu amigo, sou um observador doente de qualquer sociedade e, o que vejo à minha volta me preocupa muito.

Versos eu faço desde a minha infância. Mas os faço para mim próprio. É uma forma simples de conversar comigo. Volta e meia abro o tal "baú", retifico isto ou aquilo do "stock", de forma a se ajustarem à época e ao "status". Por vezes sou obrigado a "parir" um.
Um dia destes mando outro.

Grato pela retificação. Como as distâncias por aqui são enormes, misturar Minas Gerais com Mato Grosso é uma blasfêmia e eu fiquei preocupado com a imagem do blog. A culpa foi minha que deveria ter imaginado a necesidade de esquecer siglas e escrever por inteiro.

Mais uma vez agradecido pela vossa atenção. Um abração para vocês.


mota